segunda-feira, 5 de março de 2018

O drama das cuecas desirmanadas

Palavra de honra que o drama das meias desirmanadas é uma ninharia fútil quando comparado ao problema que me assola há anos e que é verdadeiramente uma enorme dor de cabeça. É o drama das cuecas desirmanadas das donas, que me aflige. Tenho toda uma coleção de cuequinhas lá em casa, que foram esquecidas, deixadas propositadamente para trás, abandonadas à sua sorte, ou simplesmente desaparecidas em combate sexual. Por vezes penso que minha casa é uma espécie de triângulo das bermudas das cuecas. Assim que sai de perto da cona de sua dona, esconde-se num recanto qualquer da minha casa e por lá fica. A minha empregada é que as encontra, perdidas pelos cantos, todas amarfanhadas, certamente que a tentar voltar para casa após uma noite bem passada, numa espécie de walk of shame da lingerie. Dantes dizia para ela as deixar dentro de um vaso transparente e vazio que por lá tenho, mas depois começaram a ser tantas cuecas desirmanadas das donas que o vaso já não dava conta do recado. O que é elucidativo de que eu dou conta do pecado. Há cuecas com rendas, cuecas asa delta, cuecas-fisga, de nylon, de lycra, de algodão felizmente não, cuecas lassas, de rendinhas, cuecas de todas as cores que possam imaginar, enfim, cuecas que são a memória viva das minhas quecas. Quis acabar com este drama e este fim de semana, após encontrar mais uma cueca perdida pós-queca, decidi fazer uma máquina de cuecas desirmanadas para as entregar às respetivas chonas. Estão todas lavadas e dobradas numa gaveta, prontinhas a entregar à pachacha que as abandonou. Depois do primeiro passo, tento estabelecer relações e recorrer à memória para associar caras às cuecas, mas o máximo que consigo é associar a cueca à cona de onde as tirei. Mas depois falha-me o passo de associar a cona à sua dona. Agora tenho toda uma coleção de cuecas desirmanadas e perfumadas sem saber a quem as devolver. A próxima mafarrica que vier cá a casa pinar e no final não souber das suas cuecas, vou sugerir que leve uma das cuecas desirmanadas, a ver se dou cona disto. Pergunto-me se alguma ficará chateada…

28 comentários:

Isa disse...

experimenta, são sei se sairás vivo da história.
Mas devo dizer-te que o nylon dá alergia. As de algodão são mais amigas digamos do ambiente... :p Bjos

Delta de Vénus disse...

Podes sempre tratar de fazer uma caderneta com cuecas ...

Luana disse...

Palpita-me que deixam as cuecas de propósito para depois terem de voltar a tua casa!

Patife disse...

Isa:
Eu até acho de cavalheiro, oferecer umas cuecas lavadas e perfumadas depois do regabofe. Normalmente fiam num estado miserável. Devia ser norma social. O algodão até pode ser amigo do ambiente, mas não me engana. Cuecas em algodão é bom para usar nos fins de semana chuvosos, debaixo de um pijama polar e de um robe. ;)

Delta de Vénus:
Mas que bela ideia. És uma visionária. Gostava agora de ter fotografado todas as pachachas para meter ao lado da cueca respetiva. Isso sim, dava um bom álbum de recordações. ;)

Luana:
Ah... se calhar é por isso que me ligam no dia seguinte insistentemente... Bem, se se preocupam tanto com as cuecas é nunca as deixar para trás. ;)

Lucy disse...

Grande problemão o seu.
Comigo, você não iria correr o risco de mais uma cuequinha perdida.
As minhas têm uma rachinha mesmo lá, no sitio da rolinha, um tesão!!!
Já pensou em vender as cuequinha no OLX com o selo do Patife? Era a loucura total.

Maria Antonieta disse...

Por acaso não te apareceram por aí umas de gola alta, não?

ehehehehehehehehehe

Felina disse...

Eu acho que as deixam de propósito por delicadeza, como souvenir ou lembrança. eh eh eh

Patife disse...

Lucy:
Assim é mais prático e não se perdem cuecas. E dessas de rachinha não ficou nenhuma para a coleção. Tens de vir dar uma volta ao Chiado, é o que é. Vender no OLX!? Jamais. Tenho alergia a dinheiro. E uma atração fatal por cuecas. ;)

Maria Antonieta:
Por sorte, não. Muito provavelmente porque engato no Chiado e não à saída da missa. Agora que falas nisso, acho que nunca vi umas cuecas de gola alta vestidas numa mulher. Há vidas de sorte, hein? ;)

Felina:
Belo souvenir: Cuecas amarrotadas repletas de fluídos certamente provenientes da minha conversa e do meu sex appeal antes de as tirar. Preferia que me fizessem o pequeno almoço, caso isso não lhes desse a ilusão de um futuro feliz a dois para todo o sempre. ;)

Cláudia disse...

Cá para mim isso é feito propositadamente =P
Mas experimenta entregar uma a quem não seja a dona para ver o que te acontece... :P

Bj

António disse...

por isso é que tento sempre convencê-las a vir sem cuecas

João P. disse...

Tenho cá para mim que devem sair à pressa...

As cuecas!

Hetero Doméstico disse...

Cuecas tramadas :-D

Gaja Maria disse...

Faz um inventário e cola-o na porta do prédio eheheh

Kique disse...

Por cada berlaitada que deres ofereces um par lavado
ficas com as usadas para lavares e dares à proxima.
Tipo troca de cuecas.
Abraço
https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

Olvido disse...

Se calhar tens mesmo de arranjar um sistema de indexação...
se calhar até aproveitavas e fazias umas estatísticas que associem o tipo de cuecas ao nível de satisfação do Pacheco, pode ser que assim à primeira vista da cueca já consigas fazer algumas previsões, ou até ficar (ainda mais) famoso, e quiçá rico, com as revelações de tão aturado estudo ;) eheheheh

Patife disse...

Cláudia:
Mas para quê deixar cuecas para trás, logo as mulheres que são tão obcecadas pela sua lingerie e tudo mais. Será para deixar um aroma recordatório? Vou tentar despachar umas da próxima vez que uma magana não encontrar as cuecas. Promete. ;)

António:
És um visionário. Mas se há coisa que gosto é de arrancar cuecas. Fetiches, vá-se lá tentar perceber. ;)

João P.:
Disso não tenhas dúvidas. As cuecas tendem a saltar do corpo das moças num ápice. Tenho dedos habilidosos. Quem me dera que as raparigas saíssem tão depressa após a pranchada. ;)

Hetero Doméstico:
Não me largam. É um sarilho. Parecem as turistas no Chiado, sempre de volta. Nem sei o que fazer a tantas. ;)

Gaja Maria:
Já pensei nisso. Mas é bem capaz de me estragar as novas quecas que me entram casa adentro. ;)

Kique:
Dava uma bela linha de montagem. Onde eu é que monto. ;)

Olvido:
Sempre fui um visionário antes do tempo. Ora espreita lá o meu sistema de indexação: "Diz-me a tua cor de cuecas, dir-te-ei como quecas" -
https://fodefodepatife.blogspot.pt/2011/02/diz-me-tua-cor-de-cuecas-dir-te-ei-como.html

Linda Blue disse...

Não percebi ali um excerto: então mais vale uma cueca lassa do que uma cueca impecável, apesar de ser de algodão?
Nem tenho dormido com esta dúvida :)

Ghost disse...

Tu queres é desirmanar-te das donas assim que as avias meu malandro!!!

Patife disse...

sLinda Blue:
O Patife esclarece. (Se é para não te deixar dormir tenho truques mais interessantes na manga.) As cuecas de algodão podem ser muito fofinhas para a pachacha mas são uma transgressão grave em noite de queca. É tipo os pijamas-polar. Não usas na primeira noite com um tipo. Não devia ser permitido. Tal como cuecas de algodão para ir pinar. De resto, podem usar o algodão que quiserem pela bardanasca acima. ;)

Ghost:
Desirmanado das donas mas irmanado nas conas. Tudo certo. ;)

Olvido disse...

ahahah... já vi. muito bom :D
... mas tenho em minha defesa que fui uma visionária... depois do tempo (antes já é muito batido) :P
E fiquei a saber que devo ter personalidade múltipla, o que se aprende aqui com o Patifório, hein?!...

S* disse...

Eu cá não sei, mas levaria a mal se me tentassem enfiar em cueca alheia... só perdoaria se fossem, sei lá, de renda, pretas, com uns lacinhos.

Patife disse...

Olvido:
O Pacheco é que já está muito batido. Gosto de visionárias em qualquer tempo. Mas não te preocupes que não tens personalidade múltipla. Mas quando escolhes uma cor de cuecas de manhã, isso é o teu subconsciente a dizer-te como está o teu mood de pinanço. Nunca falha. ;)

S*:
Check! Tenho aqui umas cuecas pretas rendadas com um lacinho fofinho à frente. Há de tudo aqui. Parece a feira do relógio. Portanto, já sabes. ;)

L das Horas disse...

Triângulo das bermudas das cuecas... morro de rir! Eu estava com a dúvida da Lindablue, mas fiquei esclarecida e vou eliminar as cuecas de algodão das minhas saídas à noite aahahahahah

Patife disse...

L das horas:
O Patife está sempre aqui para ensinar. E fica de salpicão em riste quando vê que os seus ensinamentos são levados a sério. Confia no Patife. As tuas saídas à noite só tenderão a melhorar. Assim como as pinadas. Palavra de Patife. ;)

cantinhodacasa disse...


És um grande Patifório!

Patife disse...

cantinhodacasa:
Lá grande é ele. ;)

Lucy disse...

Que grande pesadelo! Já pensei se você seria ele ou ele seria você?
E eu que gosto dele! E de você também...!
Não há fodas sem poesia.

carpe vitam! disse...

Ah, ah, mas não se pode menosprezar o drama das meias desirmanadas. Se bem que as minhas aproveitam muitas vezes para swingar na máquina de lavar e nos meus pés... quem disse que se tem de usar sempre meias iguais, que coisa tão aborrecida, viva a biodiversidade! Ahah!
https://provocame.blogspot.pt/2018/03/a-maquina-de-lavar-e-uma-especie-de.html
;D