terça-feira, 11 de maio de 2010

O fodilhão-mor

Devo dizer ser inevitável falar de quecas sem me lembrar de uma personagem inaudita dos tempos de faculdade. Obviamente que como todos os grandes fodilhões da praça todo ele respirava homofobia. O carácter homofóbico assiste a toda e qualquer personalidade macho-fodilhona, chegando mesmo a considerar que o grau de fodilhão-mor é proporcional ao grau de homofobismo latente. Essa personagem, de voz máscula e gutural, dizia à boca cheia, tão cheia quanto ficam as das gajas que me mamam no pacheco, que gostava de gajas porcas e ordinárias. Daquelas que quando o marido chega a casa já se encontram na cama a esfregar-se com a vizinha. Depois, segundo ele, tiram-nos o casaco e começam logo a mamar no palhaço. Como se existisse alguma espécie de magnetismo incontrolável entre os lábios de uma gaja e zé dum gajo. Mas a verdade é esta, seus ordinarões: qual é o pateta-alegre que não apreciaria chegar a casa e deparar-se com o cenário perfeitamente plausível de ver a sua CF (Cona Fixa) a esfregar-se na cama com a CV (Cona Vizinha), hein? Isto sim, é nível superior. É primeira divisão da vida sexual. É ser catedrático de pachachas. Até podemos ter um emprego de merda e uma vida de peida descaída mas isso de chegar a casa e ter a sua senhora a esfregar-se em crica vizinha, e logo o mundo parece perfeito. Até os astros se alinham com os mastros. (Sim, que tenho dois. Mas isso são cenas dos próximos capítulos).

29 comentários:

EU SOU EU disse...

Até não me importava..com a situação... mas e se em vez de ser com a C.V. fosse com o C.V. (caralho do vizinho)...acho que aí...a brincadeira não seria tão agradável... enquanto homens solteiros...podemos e devemos sempre ser Machos...no sentido que duas patarecas partilhadas é sempre bom...mas enquanto homens casados ou ajuntados...devemos é querer e dar-nos ao respeito...

retiro o que disse... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
retiro o que disse... disse...

Patife, eu só tenho vizinhas velhas e de cadeira-de-rodas, o máximo que se arranjava é uma sessão para elas assistirem. lool

Há gajos que consideram isso uma infidelidade, tal como se fosse com um gajo. Eu sinceramente concordo.
Onde é que está a placa a dizer que duas mulheres não se podem envolver com sentimento?
Pois.. a não ser que a relação do casal seja aberta. Aí, cada um que se entenda, goze e usufrua do que escolheu. :)

Peace!
bj**

Waldorfa disse...

LOOOOOOL, oh Patife mas e se a vizinha fôr um camafeu daqueles de meter medo e sair a fugir? Aí já não tem tanta piada, certo?

LOLOLOL

Beijinhos

Patife disse...

EU SOU EU:
"A nossa obrigação em qualquer tempo de vida é sermos honestos connosco próprios. Ser honestos com qualquer outra coisa ou qualquer outra pessoa não só é impossível como a marca de um falso Messias". O Patife hoje acordou em modo oráculo.

Comentário eliminado:
Também aprecio essa do toca e foge. Ainda ontem à noite tive de a usar para me escapar a meio da noite dos lençóis de uma peganhenta.

Retiro o que disse:
O Patife gosta de assistência, para aplaudir e gritar "bis" no final. Mas o Patife não acredita em infidelidades. É um conceito desmaterializável. O Aldous Huxley explica em " A ilha".

Waldorfa:
Na volta tem ainda mais piada. O Patife tem um sentido de humor retorcido.

Gingerbread Girl disse...

Tal como no filme...

Whatever works!

retiro o que disse... disse...

E eu digo ao Patife, que tudo é relativo :)

Ou somos "livres" e fodemos com quem queremos, ou estamos com alguém e fodemos também com quem queremos.

Se é que me faço entender.

Fantástica esta minha frase. Nem parece vinda de mim, fogo...
Parece sim, por causa dos palavrões. Prontess...

P.S-o comentário removido era meu, mandei grande calinada na escrita e decidi remover e enviar sem erros. És um egocêntrico do carago, ó patife. Já não se pode retirar o que se diz? Pensas que o mundo gira à tua volta? lol Ou já vais mais na onda de Nicolau Copérnico?

Bj na tromba

A minha essência disse...

Risos... as tuas expressões são surreais!

Era bom era ter um vizinho (a) assim à mão... tudo andava com um sorriso de orelha a orelha :)
... mas é uma utopia...

:P

S* disse...

Eh pah há gente que gosta dessas misturas...

Patife disse...

Gingerbread:
Whatever works. Nem mais. Mas com o Patife funciona tudo.

Retiro o que disse:
Ahahah. Essa frase é digna de Oráculo. Um aforismo que agrada ao Patife. E sim, o Patife desenvolveu a teoria Patifocêntrica. Mas a menina pode retirar o que diz, "como quem retira uma espada do ventre do adversário".

A minha essência:
O Patife não considera uma utopia. Mas o Patife é um patafísico, essa ciência das soluções imaginárias.

S*:
Há, não há? O Patife gosta de misturar e de se misturar.

Waldorfa disse...

Bolas retorcido ou desesperado? Para andar a comer camafeus, é como dizem os brasileiros matar cachorro a grito, lolol

retiro o que disse... disse...

Patife, és como um bom chocolate.

:D

Espero não ter deixado grande ferida...

Patife disse...

Waldorfa:
Para isso é que servem as vendas. E diz o Patife, que os camafeus são muito esforçados na cama. Não os quero propriamente para objectos de arte...

Retiro o que disse:
Hemorragias superficiais. Nada de grave. Mas o Patife tem uma costela canina. Gosta que lhe lambam as feridas. :)

Malena disse...

Não me imagino a ficar contente ao chegar a casa e ver o meu CF (Caralho Fixe) a penetrar o CV (Cú do Vizinho)!

Ps: Afinal é Pacheco ou Zé, porra?

Su (Glamour In Stiletttos) disse...

Isso é defnitivamente um fetiche masculino...
já agora diz-me lá... a teoria do corno manso também se aplica?

Patife disse...

Malena:
Ahahaha. Imagino que não. Isso é um bocado rabicho.
Ps: Zé é um nabo no geral. O particular do Patife é Pacheco. Tenta lá dizer Pacheco em voz alta. Tem uma fonética que enche a boca, não tem?

Su(Glamour In Stiletttos):
Neste caso não se aplica. Até porque é uma situação que deixa o nabo cheio de bravura.

Palavra Já Perdida disse...

Realmente para muitos isso é que era uma visão e depois acção melhor que sei lá o quê!
Quanto a mim, se fosse um caralho e ñ uma cona, era melhor..mas nada de se andar a esfregar com vizinhos/as...nada disso, era só meu !
Sim, sou egoísta nisto :D

(e sê bem vindo, seguidor 69) :P

' Claudjinha disse...

A Claudjinha gosta disto.

Alentejano disse...

...antes com a vizinha que com o vizinho!!!Ou será que é mais coisa menos coiso?!!!

Patife disse...

Palavra Já Perdida:
O Patife é um altruista sexual. Dá tudo o quem tem. E se há coisa que o Patife gosta é de seguir o 69.

´Claudjinha:
"Gostas pouco, gostas".

Alentejano:
Estava a ver que este post ia ficar sem um comentário do fã Alentejano.
É mais o meu coiso em mais coisas.

Alentejano disse...

Tenho estado no Alentejo...profundo!!!E lá é à moda antiga pra cima e pra baixo!!!

Senhor Geninho disse...

Pois é Patife, são conas da vida que temos que encaralhar de frente...

Candybabe disse...

Cada um sabe o que quer encontrar em casa... Logo que sejam todos felizes!!!!
ahahahahhahahaaahaha

Candybabe disse...

P.S. Não posso deixar de comentar o nome do teu espaço com o ultimo trabalho do Manel Cruz (Foge Foge Bandido), gostei!!!!

Patife disse...

Alentejano:
Pró fundo é que é.

Senhor Geninho:
Uma vez mais, em grande. Genial. O Patife aplaude.

Candybabe:
O Patife dá docinhos a quem percebe as referências usadas. Vénias para a menina.

The Fine Pair disse...

Não percebi... Tens dois astros ou dois mastros?... (Inserir ar matreiro aqui)

Bem, isso agora não interessa nada. Seja do que for, o que importa é que tens DOIS! Haja abundância! ;)

Quanto ao fodilhão maioral, só posso dizer que garganta temos todos. Uns mais profunda que outros, mas isso é para outros comentários. Agora, um gargomilo destes que tem uma crica tão dispostinha em casa... Isso sim, é que era uma coisa bonita de se ver. :))

Patife disse...

The Fine Pair:
Tenho um mastro que é um astro do pinanço. (Para se inserir com ar matreiro aqui e ali).
E o Patife gosta muito de ver coisas bonitas.

carpe vitam! disse...

Isso só será interessante se elas quiserem algo com o gajo que as apanha em flagrante. Imagina que descobrem que são exclusivamente lésbicas dali para a frente, sem dar direito ao tipo de molhar o pincel ou sequer dar uma assistenciazita? Já não teria tanta piada, pois não?

Patife disse...

carpe vitam!:
O Patife, como belo exemplar do chauvinismo pós-moderno, não acredita em mulheres exclusivamente lésbicas. Essas são apenas mulheres que nunca levaram com o pacheco.