quinta-feira, 20 de maio de 2010

Era uma vez uma ratinha

Tinha apenas seis anos de idade quando um dos meus “tios”, aqueles amigos dos pais que estão sempre por perto e que nos tratam por “sobrinhos”, me deu a primeira lição sexual. Calma taradolas. Não pensem já em rabetices. Aposto que todos sorriram de soslaio a pensar que o Patife pega de empurrão e imaginaram tio e sobrinho numa cavalgada épica de nabos ao vento sobre um campo de papoilinhas e feno, não foi? Não? A sério? Pronto. Então fui só eu. Mas não foi isso que aconteceu. Foi um primeiro ensinamento que me marcou para a vida e que teve grande importância no facto do Patife se ter tornado um artista do pinanço. Um trapezista da corneta. Um malabarista do postilhão. Um homem-canhão. Pronto. Já chega. Eu sei. Contou-me então esta história própria para rapazinhos de seis anos, esta fábula encantadora que já me foi muito útil, e cuja moral jamais esquecerei em qualquer tempo de vida:

Era uma vez uma ratinha. Uma ratinha que vivia na floresta. Estava a caminhar e encontrou um lago. No meio do lago estava um nenúfar e no meio do nenúfar um sapinho. A ratinha pensou: Isto é que vai ser um belo almoço. Quando se preparava para saltar e devorar o sapinho ouviu uma mosca a passar e pensou: Se esperar que o sapo como a mosca o meu almoço vai ter ainda mais proteínas. Aguardou pacientemente que a mosca fosse engolida e quando estava a preparar-se para saltar ouviu o som de uma abelha. Pensou: Espero mais um pouco, o sapo come a abelha e aí fico mesmo de barriga cheia. Assim foi. Decidida a saltar para abocanhar o sapo ouve, então, uma libelinha. E a ratinha pensa: Isto é uma maravilha. Se o sapo comer a libelinha vou ter um autêntico manjar. Aguardou até o sapo afiambrar a libelinha, vincou as patas no chão e prepara o salto triunfal para o nenúfar. No preciso momento em que está em pleno voo, o vento sopra mais forte, afasta o nenúfar do local e SPLASH. A ratinha cai mesmo no meio do lago. Moral da História: Quantos mais preliminares, mais a ratinha fica molhada.

Quando era miúdo aquilo não me fez grande sentido. Era apenas mais uma história parva. Mas há uns anos estava com uma matulona, daquelas que aguentam um estrafego de piçada valente, e fui com muita sede ao pote. Resultado: Ela tinha a chona mais ressequida que um bunker em deserto iraquiano. Claro que podia assumir o esquecimento da moral da história e contar-lhe a fábula para aligeirar a situação. Mas a moça ainda ficava ofendida e eu sou um senhor Patife. Por isso safei-me com um não menos significativo: Julgas que isto aqui em baixo é alguma picareta?

50 comentários:

Waldorfa disse...

Conclusão tiveste de andar de pá e picareta a escavar a mina de carvão da moça! LOLOLOL Não te esqueças do capacete, hehe

Beijinhos

S* disse...

ahahah

Foda-se oh Patife! Seca como um deserto? Mau, muito mau.

almighty yellowphant disse...

Ri-me tanto com isto. boa história ~:P

Patife disse...

Waldorfa:
O Pacheco anda sempre de capacete em gruta alheia. Daqueles com lanterninha.

S*:
Foi mau, foi. O Patife passou uma semana a limpar poeira do nabo. Ainda para mais, tenho para mim que uma mulher, só de olhar para o Patife, deveria ficar tão encharcada como a ratinha da fábula.

almighty yellowphant:
Já o Patife não se riu nada quando reparou que ela estava seca como uma pedreira.

The Fine Pair disse...

Já estou com pena de ter lido isto à hora do almoço, Patife. Uma história de encantar destas é para ser susurrada na horinha do ó-ó... Do tipo, ó-ó, que já cá cantas! ;)

Mas, prometo que logo, a horas bem impróprias e mais que boas, volto a ler a história da ratinha gulosa. :)

Waldorfa disse...

Oh Patife acho um ultraje ela não ter ficado a escorrer só de ter a honra de estar com o Pacheco!

Já não se fazem mulheres como antigamente, lol

Beijinhos

retiro o que disse... disse...

Foi esta a tua segunda vez, não? :D

ehpah, um dia destes o pessoal deixa de recorrer aos filmes de queca e passa a vir bater umas aqui para o blog do Patife.

Se bem que nenúfares não é muito bem a minha onda. Eu é mais bolos. lol

Acho que com esta deves ter recorrido à molhadela de última hora, não?

beijo molhado.
(por causa do nariz, que só pinga... claro!)

Stargazer disse...

Bad Guy,

"We ought to esteem it of the greatest importance that the fictions which children first hear should be adapted in the most perfect manner to the promotion of virtue."

Plato

Should we?

A Virtuous(ly) immoral kiss,

Patife disse...

The Fine Pair:
O Patife gosta de sussurros. A horas impróprias. E, claro, de ratinhas gulosas como a da fábula.

Waldorfa:
É o que o Patife anda a dizer há séculos! Só de olharem para o Patife deviam ficar alagadas de prazer, desejo e luxúria.

Retiro o que disse:
Quanta perspicácia... A menina pediu a segunda, o Patife deu-lhe a segunda...
A molhadela de última hora tem o seu charme, mas o Patife gosta de abundância natural.

Beijo molhado.
(Por causa do Pacheco, que já pinga. É um pinga-amor). :)

Patife disse...

Stargazer:
Sábias palavras, sábias palavras.

We should, we should.

A imoralidade é a bandeira do Patife. Escusado será dizer onde é hasteada.

Stargazer disse...

Bad Guy,

Gosto desse teu lado. Tem um je ne sais quoi de profanamente provocador.

Só não sei ainda se prefiro o Patife ou o Patifório. Mas conhecendo-me e sabendo-me uma criatura "larger than Life itself" diria que só me contentaria com ambos.

É que em tempos de guerra não se limpam armas. Mas hasteiam-se bandeiras. Da Paz, obviamente, brancas como a cor dos lençóis...

Beijo hasteado no hino do Pacheco,

Patife disse...

Stargazer:
"Profanamente provocador" é um conceito delicioso. Quase tão delicioso como o beijo heasteado no hino do Pacheco. (Pacheco esse que ainda está a aplaudir a ideia).

Juni disse...

ahahah que história infantil tão educativa!
:p

Grande Querida disse...

ah cabrão....

(e nisto penso com saudade)

Azael disse...

boas patifarias...que seria do mundo sem elas!!!


abraço

Malena disse...

Culpa tua! Devia ter levado a rapariga para um local com vento... Assim, o vento tinha afastado o nenúfar e tu... SPLASH!
Como vês, a culpa é mesmo tua. Tua e do nenúfar! :P

Curiosa disse...

é bom te ler ....
bj

Senhor Geninho disse...

E agora uma pausa para publicidade:

"Só encontra ratas secas ou ressequidas pela extrema actividade sexual? Não consegue mergulhar o nabo porque a piscina está seca? Tem problemas de motor por falta de lubrificação? AQUA GLIDE é a resposta!! Com AQUA GLIDE você consegue humedecer até um buraco no Sahara em pleno verão!! AQUA GLIDE, escorregue de prazer..."

Venus in red disse...

Que patifaria!
Merecedora de um severo (not luxurious) correctivo!





Basium
(stuck in a water lily)

Patife disse...

Juni:
O Patife é assim: educativo. Com direito a aulas particulares e tudo. Ok. Há umas mais públicas...

Grande Querida:
A Querida não me chame esse nome que o Patife fica logo a salivar.

Azael:
Patifar por aí é o lema de vida do Patife.

Malena:
Epá. Dava-me jeito ter uma assistente assim. Com soluções criativas perante imprevistos. (Por acaso o Patife gosta quando faz splash splash)

Curiosa:
É bom me ler, é bom me ver, é bom me ouvir, é bom me comer, é bom me lamber. O Patife é uma espécie de bom-bom sexual.

Senhor Geninho:
Ahahahah. Eh lá. Com esse aqua glide ainda nos arriscamos a levar uma banho de chuveiro. Mas o Patife comprava, apesar de saber que lubrificação a mais torna tudo menos sensitivo. É que há moças propensas a inundações.

Venus in Red:
O Patife não enjeita um bom correctivo. Mesmo severo. Mesmo "not luxurious".

Ah sabemos latim... O Patife gosta muito línguas.
(Gostei da imagem)

Red Angel disse...

Um abraço à voz da experiencia...
...O teu tio.

Hahahahaha

Boas leituras por aqui.
Gostei!

Stargazer disse...

Bad Guy,

Não te sabia Mon Chéri da Blogosfera. Ou será mais After Eight?

I wonder...

Pena que em Portugal não haja chocolate de pimenta...mas da próxima vez que for a Paris trago-te uma caixa do Fauchon. Não sei porquê, mas cheira-me que combina bem contigo...muito melhor que a Família Ferrero!!!

Quanto muito terás a simplicidade de um M&M...o que é delicioso sob esse prisma!

:)

Felina disse...

Kakakakakakakakakaka... ups... agora fiquei molhada... de tanto me rir

Patife disse...

Red Angel:
Os "tios" sabem. E começaram a passar a sua sabedoria ao Patife desde os 6 anos de idade, factor essencial para o Patife se ter tornado num pinador de primeira categoria.

Stargazer:
Mon Chéri é muito queridinho.

After eight o Pacheco ainda continua de pé.

Chocolate de pimenta é coisa que o Patife nunca provou mas que acha que vai gostar. Ficarei à espera da oferta. Para derreter na boca, nas mãos e por aí em diante.

Para o Patife, M&M significa Mamar no Marsapo. E desse prisma o Patife adora.

Patife disse...

Felina:
Ahahahah. O Patife tem esse dom. De deixar as mulheres molhadas só com palavras. :)

Stargazer disse...

Bad Guy,

Mamar no Marsapo é verbo e substantivo que não se coaduna com as artes gueishianas da Stargazer.

Quem degusta, não mama. Quem mama são os bébés esfomeados, ou aqueles que não sabem fazer mais nada com a língua, e apenas utilizam os lábios para criar um vácuo confortável que lhes permita sugar algo rapida e eficientemente.

Para a Stargazer M&M significa derreter-se na boca E nas mãos.

Beijo derretido, ainda estou a pensar se nas (minhas) mãos, se na tua boca...

:)

Patife disse...

Stargazer:
"Sugar algo eficientemente" não me parece coisa ruim. E a língua tem um papel determinante em qualquer tipologia de sucção.

"Na boca E nas mãos". A Stargazer sabe...

Mas o Patife só derrete a elevadíssimas temperaturas.

Pedro disse...

Á caralho...isto é poesia!!!
:)

Eduarda disse...

Eu ía dizer exactamente o que disse o Pedro mas com mais algumas asneiras pelo meio pois sou do Porto e tal, mas pra primeiro comentário aqui e como ainda só li este post, acho que chega:)


Parabéns, e desde já o meu obrigada por seres o segundo seguidor. Pode dizer-se que ali só vai a nata da nata ehehehehehe

Patife disse...

Pedro:
O Patife é um poeta do pinanço.

Eduarda:
O Patife fica a aguardar os próximos comentários cheios de asneiras do Porto e tal. ;)

(Não obrigues o Patife a versar sobre natas. Não é bonito).

Stargazer disse...

Bad Guy,

Sugar eficientemente é bom.

É eficiente.

Faz o trabalho. Mas eficiencia e arte são substantivos abstractos que não se coadunam facilmente...de tal modo concordas que introduzes a língua. A língua não tem um papel determinante em qualquer tipologia de sucção. Podes sugar só com a boca sem a utilização da língua, apenas pela pressão aplicada dos lábios...

Ui, tanto tema controverso.

Acho melhor sentarmo-nos a comer M&Ms e fazer apostas onde derretem primeiro. "Blackjack. The full monty"!!!


E já agora para eu ajustar o termómetro: Celsius ou Fahrenheit?

Patife disse...

Stargazer:
Sucção sem língua é coisa de amadores. Sem arte nem eficiência. ;)

O Patife nunca perdeu uma aposta.

Ajusta então o termómetro para Fahrenheit por causa do "Fahrenheit 451" do François Truffaut, onde os bombeiros, em vez de água, atiravam fogo.

Stargazer disse...

Bad Guy,

Folgo em saber que dizemos exactamente a mesma coisa por outras palavrasc e estamos totalmente de acordo.

A Stargazer também não. Dividimos os ganhos? Algo tipo: "one for me, one for you" (que até pode ser cantado ao som Disco!!!).

Quanto a Truffaut confesso que prefiro "L'Enfant Sauvage" e "Suddenly Last Sunday"...embora a ficção do futurismo de Fahrenheit 451 seja - no mínimo - bizarra!

Termómetro ajustado.

...and climbing!

retiro o que disse... disse...

Deixo-te um selo.
Vê lá onde o colas.

bj

http://2.bp.blogspot.com/_2-9SlcN0Qyw/SafwGuGKi2I/AAAAAAAAA5c/S4sdVkam5Og/s1600/selo%2Bbab%C3%A3o.jpg

Alentejano disse...

E com que idade o teu tio te ensinou a jogar bilhar de bolso?E quando a professora perguntou ao Patife:cinco e cinco quantos são?O Patife meteu as mãos nos bolsos e depois de algum tempo respondeu?Onze senhora professora.Exclamou o alentejano:Ah!Malandro que tens um bolso roto!!!

Felina disse...

Pois... mas eu desconhecia os habitos desta casa... agora já dei que às terças e quintas tenho de trazer cuequinha suplemente

Valmont disse...

"água mole em pedra dura, tanto bate até que fura"

e o mesmo é com o Mr. Pacheco. Estilo martelo da Bosch. Como sabes. já Alexandre O'Neil criou - "Bosch é bom..."

Muito Bom Patife (como já te vou habituando não coloco vírgulas nas frases com que te homenageio.

Libertya... disse...

Ao ler isto, veio-me à memória a história do Capuchinho Vermelho curioso...
Um cogumelo trá-lá-lá, dois cogumelos trá-lá-lá... ou seriam bolinhos para a avó?

Beijo meu, em jeitos de...

Splash!

Patife disse...

Stargazer:
"One for me, one for you" soa-me a pouco. "Ten for me, ten for you" é mais à moda do Patife e até pode ser cantado ao som de blues.

Ajustado para 451 graus Fahrenheit!? Ah valente.

Retiro o que disse:
A menina baba-se aqui!? Ai que maravilha. (Obrigado menina Retiro. Se bem que não sei se conseguirei colocar a imagem de um bebé ao lado das patifarias do Patife. Soa-me a pedofilia visual. Mas imprimo e coloco em cima da minha secretária... O que também é perigoso pois o Patife acaba as reuniões em cima da secretária).

Felina:
Ahahaha. Isso é que o Patife gosta de ouvir. Que maravilha. O Patife vai lembrar-se disso todas as terças e quintas. ;)

Valmont:
Nem mais Valmont. Além disso as vírgulas são para os frouxos. Se fores como o Patife és mais homem de travessão. E sim, "Bosch é bom..." Oh se é bom.

Libertya:
O Patife ficou splashado. E gosta. Muito.

retiro o que disse... disse...

Em cima da secretária com 4 pernas, com a secretária de 2 pernas.
'tava a ver que a minha imagem tinha caído em saco roto. Mas como aqui não há nada de roto, ainda tinha esperanças.

Não seja por isso, deixo ficar uma mais própria para este ambiente:

http://1.bp.blogspot.com/_opptvFBa4ck/SUAMTvXs4GI/AAAAAAAAIvU/j8NXTuFD4Ck/s400/Sexy-Lips-.jpg

Beijo*

Patife disse...

Retiro o que disse:
Se há coisa que o Patife tem é uma memória quase tão grande como o pacheco. E sim. Esta é bem mais apropriada. O Patife até ficou com os calores.

"Mas como aqui não há nada de roto, ainda tinha esperanças". Just perfect, girl.

retiro o que disse... disse...

Aquilo que a Retiro faz, faz perfeito. Ou não o faria de todo.
Suar, por suar, ao menos que valha a pena.

E amanhã já é terça :)
Beijo esPatifado*

Miss Star Pink disse...

Parto-me a rir com o que escreves! lololol

Vontade de disse...

You naughty boy...

Patife disse...

Retiro o que disse:
Perfeitinho é que o Patife gosta. Suadinho, também.

Miss Star Pink:
Se há coisa que o Patife está habituado é a partir. ;)

Vontade de:
Oh yes I am, madam.

Patife disse...

(escapou-me esta resposta, raios, e logo a um fanático de patifaria como o grande Alentejano. Queira desculpar o Patife)

Grande Alentejano:
Ahahahah. Bilhar de bolso é uma memória placentária do Patife.
Quanto ao bolso roto, e como já aqui disse a menina retiro, por estas bandas não há nada de roto. :)

Sílvia disse...

Não me consigo fartar de ler este blog!

Um beijo

Patife disse...

Sílvia:
Vocês estragam o Patife com mimos. ;)

A Chata disse...

Diacho, onde andava eu em Maio de 2010 que não vi esta pérola?

O teu tio era um senhor, a fábula é maravilhosa.

Patife disse...

A Chata:
Não se preocupe que se depender do Patife, as pérolas chegam até à Chata. ;)