quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O nabo mau e as três porquinhas

Em antítese ao tamanho do meu nabo, esta vai ser uma história curta. Como diz a menina Retiro e muito bem, só agora consegui empurrar da cama a terceira lambisgóia que passou cá a noite e finalmente arranjar espaço para escrever estas linhas. Por isso, esta vai ser uma história curta. É uma história passada no Portugal interior profundo. Ah esperem. Isso foi onde o Pacheco passou a noite inteira… Mas não divaguemos. Era o Patife ainda adolescente e já mostrava todos os indícios de ser fresco. No interior profundo, e oh como esta expressão flui inesgotável, pouco havia para fazer e era comum ser eu a inventar as “brincadeiras”. Certa tarde, a ocasião tomou conta do assunto. Estava apenas eu e mais três mocitas para brincar e eu proponho: Já sei vamos brincar ao Nabo mau e as três porquinhas. Elas roncaram de prazer. Assim que meto o nabo falante de fora, fazendo de ventríloquo para avisar que as vou papar, elas desatam a correr na direcção de um casarão no meio daquele pasto que, para minha sorte, era do meu tio. Era uma casa três em um pois era feita de tijolo, tinha palha lá dentro para dar às ovelhas e o telhado era de madeira. Talvez por isso se tenham ido as três abrigar debaixo do mesmo tecto. Assim que fecham a porta penso: Bem… se há trabalho a fazer é tempo de arregaçar as mangas do galho. Arregaçar o mangalho, portanto. Bato à porta enquanto falo pelo falo: Abram a porta que eu quero penetrar. Entre risinhos suínos elas não respondiam. Já as imaginava semi-nuas no meio daqueles fardos de palha prontinhas para se tornarem autênticos enchidos. É claro que havia uma chaminé. E uma escada. Mas confesso que não gosto de ter trabalho. Há quem aprecie fazer pela vida. Eu prefiro fazer pela picha. Por isso entrei pela porta das traseiras que estava toda escancarada. Duas fugiram, envergonhadas. Fico sempre aborrecido quando metem o rabo entre as pernas. É sinal que não lhes vou meter o nabo entre as guelras. Mas outra ficou, com a promessa de lhe meter uma outra porta toda escancarada. Que foi exactamente o que aconteceu. Não sei se era admiração pelo tamanho da minha verga, estupefacção por ter conseguido meter tudo dentro da boca ou se ficou com uma lesão maxilar, o certo é que no final ficou mesmo de queixos caídos.

27 comentários:

oral_muito_melhor_que_palavras disse...

No portugal profundo que esperavam elas?? de ser uam coisa meramente superficial?? hahaha

Abraço com aqulea distancia higienica.

Continuo a ler . . .

Pintas disse...

Apenas uma pequena provocação. Sabes o significado de personificação? Atribuir qualidades humanas a objectos INANIMADOS. Ora..tendo em conta a quantidade de nomes e adjectivos que já atribuiste ao teu "material" eu diria que a animação não deve ser assim tanta. Eh eh eh .

Felina disse...

Oh não foi assim que eu imaginei o fim... estava à espera que saisses da lá todo assadinho e a uivar de dor... é que a pele de adolescente ainda é muito fininha...

M. disse...

Das três o lobo comeu uma?

Lobo nabo mesmo!

lol

Patife disse...

oral_muito_melhor_que_palavras:
Ora nem mais. Era assunto que tinha de ser aprofundado. ;)

Pintas:
Ahahah. Mas não se aplica aqui. O Pacheco é um objecto muito animado. ;)

Felina:
O Patife assa sem ficar assado. É um dom dos grandes chefs. ;)

M.:
Eheheh. São os típicos erros de principiante. Agora é só múltiplos de três. ;)

desejo disse...

"Era uma casa três em um pois era feita de tijolo, tinha palha lá dentro para dar às ovelhas e o telhado era de madeira"
ahahahahaha! três em um!
Histórias que contava á minha pequena.
Ai que me puseste de queixo caído!
Não sei onde vais buscar a imaginação! Vpcabulário não te falta! E que delícia.

desejo

oral_muito_melhor_que_palavras disse...

mas de forma que o "aprofundanço mais fica se a parecer o tunel do marão" com tanto fudangal matarruano.


;-)

Isabelle disse...

Patife,
Gosto de te imaginar como uma espécie de Hank Moody português!

CC disse...

Pronto, nunca mais vou conseguir ler a estória dos 3 porquinhos à descendência (vou lembrar-me disto e rir muito sem poder explicar).
Está fantástico!!! :)

S* disse...

E desperdiçar assim rabos é pecado...

VM disse...

juro que quando li o titulo do post, li "o rabo mau e as 3 porquinhas", perguntei-me a mim proprio: mas quem deu o rabo ao narso do Patife? e as 3 porquinhas serão algumas atrevidas do Hi5? Afinal, não! vou lá fora ver se chove e já volto!

=D

retiro o que disse... disse...

Um dia destes o Patife vem para aqui contar como conseguiu acordar a bela adormecida, ou mesmo como se desbravou a trepar os longos cabelos da princesa Rapunzel... Para mim, o Pacheco não passa de um verdadeiro Peter Pan, na terra onde nunca se lhe pode dizer nunca...

Se bem que eu acho que o Patife possui uma faceta muito mais Family Guy do que Disney. Mas isso só pode descobrir se passar pela minha casa online...

Beijo assim ao estilo de Dama e Vagabundo

MARIAS DE PORTUGAL disse...

Ainda bem que havia escadas,às vezes dão jeito...

TILIDA disse...

Ó Patife enganaste-te outra vez...
É "Abram a porta que eu quero entrar".
Fantástico o pormenor de telhado ser de madeira...A chaminé também é algo muito romântico,assim para o fálico...
Eram três ficou uma...
Coitada da que ficou,é que uma lesão maxilar deve ser desagradável,principalmente se lhe perguntarem:"Então o que te aconteceu"?
Hi...

J. disse...

uma versão mais ao estilo do interior destas histórias infantis obriga a uma reflexão profunda..eheh

desejo disse...

Fim de semana Pacheco-longado.


desejo

Patife disse...

desejo:
Ainda assim o 3 em 1 predilecto do Patife é 3 de volta de 1 Pacheco. Uma sagrada trilogia. ;)

oral_muito_melhor_que_palavras:
Não estou certo de ter percebido tudo direito mas tudo o que meta "aprofundanço" sou a favor. ;)

Isabelle:
Tirando o facto de eu ter uma verga maior somos muito parecidos. ;)

CC:
Desde que não contes a das três porquinhas não há problema. Já a do nabo mau posso contar-te eu. ;)

S*:
É pecado sim senhora. Os rabos foram feitos para serem encavados. ;)

VM:
Os rabos são sempre bons. Não me lembro de algum dia ter papado um rabo mau. É sempre bom mesmo quando é mau. ;)

Retiro o que disse...:
A menina está a chamar-me vagabundo? Por acaso gosto. Eu vagabundo: Vagueio na bunda. ;)

MARIAS DE PORTUGAL:
Para trepar ao Monte Pacheco dá jeito umas escadas, sim. ;)

Tilida:
Entrar ou penetrar, desde que meta o Pacheco ao barulho o Patife sorri. ;)

J.:
O Pacheco é que é especializado em reflexões profundas. ;)

Stargazer disse...

Mauvais Mac,

Pergunto-me qual delas era Cícero, qual Heitor e qual Homero...

Ou então, nesse meddley entre os Três Porquinhos e o Capuchinho Vermelho acabaste por meter o capuchinho onde não devias...

I wonder where Grandma was????

Arooooooooooooooooooooooooo,

:)

Patife disse...

Stargazer:
Ahahahahahahha. Para mim eram Pícero, Meitor e Fodero. Pelo menos foi assim que aprendi. ;)

A avozinha deixei de parte. Sou um cavalheiro quando se trata de avozinhas. ;)

Lita disse...

Eu é que fiquei de queixos caídos com a descoberta do teu blog. que vício.

Patife disse...

Lita:
Recompõe-te depressa que o Patife precisa de fãs com as mandíbulas operacionais. ;)

DeepGirl disse...

Looooooooooooooool.
O que te vale é teres humor apurado e imaginação, caso contrário nem cá punha os olhos [nem mais nada, antes que te ponhas com ideias :p].

Patife disse...

DeepGirl:
Já me contento por meteres cá os olhos. ;)

Libélula Purpurina disse...

És mesmo patife! Nem o interior profundo te escapa!

Patife disse...

Libélula Purpurina:
Nada escapa ao Patife. Olhos e pincel de lince. ;)

Desejo Evidente disse...

Estupefacção... só pode sê-lo!

Patife disse...

Desejo Evidente:
Também era a minha primeira opção. ;)