quinta-feira, 7 de novembro de 2013

A pentelhuda


Foi sem estar minimamente à espera que, em pleno ano de 2013, retiro as cuecas a uma magana e sai lá de dentro o maior tufo de pentelhos que a minha memorável saga de pinanço assistiu. Olhei para aquilo e garanto que não encontrei um vestígio de ali ter estado algum dia uma pachacha. Era toda uma selva sombria e escura que escondia a razão de lhe ter arrancada as cuecas. Confesso que me senti um pouco a jogar às escondidas com a pardaleca da moça, tal o exagero da sua pentelheira. Mas o Patife é um verdadeiro garimpeiro da pachacha e, estando de pau feito, não há mata que detenha o Pacheco. É nestas alturas que penso que o meu nabo devia andar com um sinal de perigo pendurado. É que é um autêntico cabo de alta tesão. Mas continuando. Não queria colocar em risco a pranchada, até porque sabia que ela era cavaleira profissional e queria ver como é que montava este puro sangue lusitano do meu bacamarte. Por isso, encenei uma falsa calma perante a versão pentelhuda da alegoria da caverna, fiz-lhe a risca ao meio e comecei a bombar a trote. Ou era isso ou ia-lhe ao pacote. Depois dei-lhe espaço para apresentar as suas elevadas técnicas de cavalganço na minha corneta. E teve nota máxima, denotando boa postura para apanhar nas bimbas. Mas claro que no fim tive de lhe mostrar quem mandava. E com a carga de bombada que dei naquele grelo, até posso dizer que a montei a grelope.

16 comentários:

nAnonima disse...

Patifóide foi à Golegã :b

Quero que a nossa foda equestre seja um prodígio:
Enterra-me alazão pacheco, enterra-te mais e mais e mais,
Trepa-me as pernas, depois as coxas, até à choninha
Rumo àquele ponto, onde fico sempre tão apertadinha,
Esfrega depressa agora, que relincho e já sinto os ais!


leve adaptação a Reinaldo Ferreira :)

beijos

AC disse...

Estar na moda agora é ter pêlos. O tempo de "no bush" já era, usam-se as pentelheiras fartas, bem penteadas e cuidadas. A rapariga era cool e estava na moda, tu é que não percebes nada de matas e do Amazónia Style.

Beijoca Tifinho

Rosa Cueca disse...

O Pai Natal este ano certamente lhe dará uma rebarbadora pelo aniversário do menino Jesus.
A ver se na próxima come menos palhota.

Baby Suicida disse...

Bom, dizem as ditas más línguas, (não deve existir língua que aguente), que está na moda! Não adiro mas isso são outras opiniões, que aqui ninguém quererá saber.
És o maior e gabo-te o jeito para cabeleireiro!

Aperto :)

Shiver disse...

Cá para mim estavas bebado e foste para a cama com o Paulo Bento :P

Anónimo disse...

AHAHAHA Grande mestre!!

Que grande corta mato esse Pacheco!! heheh


Boas Fodas!

Anónimo disse...

"Montei a grelope", ehehehehehe!

:) desejo

Anónimo disse...

Isso de andar a grelope, no fim tem que ser bem montada com recurso a esporras.

vendo bem as coisas, a pentelheira fez efeito mola, quanto mais ela saltava, mais o mato apoiava



Sigrdmir

PM disse...

Ahah Mto bom!

Anónimo disse...

O Patife é um cavaleiro andante!

Kapikua disse...

antigamente gostávamos de cona no geral, agora gostamos de cona rapada.

Modernices. ;)

Abraço

Eu sou assim disse...

A grelope é muito bom! Mas cuidado com essas florestas que podem sempre esconder animais perigosos!!!

Salve Patife o grande!

S* disse...

Montar a grelope é genial. És grande, Pacheco! Grande em todos os sentidos, pelos vistos.

Katherine disse...

Eu cá gosto de mulheres com pêlos, não necessariamente de uma floresta sombria, mas de uma pentelheira bem cuidada :)

Um beijo, Patife :)

A Pipoca Mais Queimada disse...

Tretas. Só tretas. O gajo é completamente murcholas. Triste é como ainda ninguém percebeu que ele faz isso tudo com recurso a um strap-on! Cambada de anjinhos.

Maria Eu disse...

Preparava-se a moça para enfeitar-se toda com motivos de Natal, não percebeste? Daí deixar crescer tal arbusto! Foste o primeiro dos enfeites...

Beijinhos Marianos! :)