segunda-feira, 23 de setembro de 2013

A da vizinha


Este fim de semana fui à praia para aproveitar o fim da época balnear do Pacheco. Assim que chego a uma das minhas praias naturistas de eleição vejo logo uma gaja de papo para o ar. E que grande papo. Completamente rapado e de bordas bem definidas. Qualquer peitinho de frango ficaria invejoso. Deitei-me não muito longe, se bem que se tivesse uma erecção não duvido que o Pacheco lhe cutucasse o ombro. Quando ela se virou e reparou no meu portento de nabo rapidamente entabulámos conversa. Juro que eu estava muito contido, mais preocupado em bronzear o Pacheco, conferindo-lhe um tom dourado próprio da sua majestosa posição social. O problema é que ela meteu o charro à frente dos dois. Dadas as primeiras passas já não me apetecia outra coisa que não fosse aviar-lhe a bichana solarenga até as areias ficarem movediças. Só que levantei o olhar e ao longe consegui vislumbrar uma pachachinha ainda mais perfeita que aquela que eu estava a esbardanar à bruta. A cona da vizinha é sempre melhor que a minha.

18 comentários:

Mustache disse...

Perfeito para o fim da época balnear!

Malena disse...

E a areia não se meteu onde não era chamada? ;)

MS disse...

Não podes levantar o olhar, tens de estar concentrado na coisa!
Então e depois? Queremos saber o que aconteceu a seguir... ;)

xarmus disse...

Olá Patife... vem voltado. Andas fugiudo pah.

Olha... agora deste-me uma novidade... Nem sabia que tinhas pachacha... hehehehehehehe

Eu Também faço nudismo... mas tenho sempre que levar uma picareta para abrir um buraco na areia para ter onde enfiar o gostoso quando estou de barriga para baixo.... heheheh

Abraço

A Chata disse...

Saudades!!!
Excelente para finalizares o Verão ;)

Anónimo disse...

Então o Pacheco precisa de ser bronzeado! Falta-lhe o quê? Vitamina?

S* disse...

Caro Patife, não cobice a pachacha alheia. É feio.

Shiver disse...

Patife pah não podes desaparecer assim sem avisar.

Eu sei que é como andar de bicicleta nunca se perde o jeito e a tua escrita continua afiada como sempre mas tu fazes falta!

Folgo em ver que continuas em altas.
Agora roda maze o charro :P

(Ela) disse...

Um Patife que se preocupa com as aparências, pffff! :)

Beijo d'(Ela)

nAnonima disse...

perdoa-me ARR (sei que perdoarás), mas pelo meu Amo e Senhor, adaptei um pouco do teu belíssimo poema.


«Ele é o amante fatal que inflama o prazer na blogosfera, da corola
do seu pacheco. Osmose branca, embriaguez vertiginosa.
A sua manha é a distância fluída, a subtileza no ar.
Quase sempre aparece de mansinho e se dissipa
e nasce da lembrança da pachacha da vizinha, sempre a suspirar.»


beijinhos

homem sem blogue disse...

Bom regresso caro Patife!

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

Felina disse...

Voltaste???

Pensei que o Pacheco se tinha reformado por ter enjoado tanta pachacha


Bom regresso


Beijoca

Anónimo disse...

Foda se! Que saudades!! Um bem haja a esse regresso!!

Boas fodas Patife!

Abc

Mariavaicomasoutras disse...

Patife, Cu...mo tu nunca te cansas de fo..mentar a beleza intrin...seca da coisa...

Pusinko disse...

Um patife não se satisfaz com uma pachacha só.
Foi um regresso à maneira! :)

Pusinko disse...

Um patife não se satisfaz com uma pachacha só.
Foi um regresso à maneira! :)

Gaja Maria disse...

Uma coisa é certa, assim de mastro levantado se fores ao mar nunca te afogas e olha que o extenso oceano torna o avianço bem menos problemático... As areias são demasiado movediças por vezes...:D:D

Anónimo disse...



E o da vizinha é mais gostosa.

:) desejo