quinta-feira, 11 de outubro de 2012

À falta de bico


No outro dia abri a gaveta da minha secretária antiga de madeira e encontrei uma caneta sem bico. Precisava desesperadamente de uma caneta e aquela era a única caneta em casa. E estava sem bico. Naquele momento identifiquei-me de imediato com a caneta. Ainda olhei para baixo da secretária numa vã esperança mas nem vestígios de bico. Escusado será dizer que a ideia se plantou  na minha mente com tal intensidade que saí à rua pronto para arranjar um bico e emendar a situação. Claro que quando dei por mim estava a tentar arranjar um bico, não para a caneta, mas para mim. Distraio-me muito facilmente. Sentei-me então numa esplanada do Chiado a avaliar potenciais sugadoras de sardões até que uma moça ficou instantaneamente caidinha por mim. E não estou para aqui a brincar às metáforas e com os seus efeitos de transposição. Eu tinha as pernas estendidas na esplanada, ela tropeçou em mim e ficou de joelhos prostrada a meus pés. Apressei-me a ajudá-la a levantar, pedindo desculpas pelo sucedido e aludindo ao tamanho exagerado dos meus pés, claramente a ver se ela estabelecia uma ligação à teoria que indica que o tamanho dos pés de um homem é proporcional ao tamanho do seu bacamarte. Quando a estava a levantar cheguei mesmo a dizer-lhe:  Sempre posso contar aos meus amigos que uma mulher sensual ficou caidinha por mim esta tarde. Ela sorriu de forma tímida enquanto olhava para os joelhos esfolados. Confesso que também eu olhei, com elevada dose de preocupação, note-se, para os seus joelhos esfolados. Mas foi a pensar que isso iria dificultar o acto de ela me mamar no Pacheco. É que sou um homem com princípios e custava-me muito imaginá-la de joelhos no soalho debaixo da minha secretária a fazer-me o bico desejado, com os joelhos naquele estado. Por isso, quando a levei para minha casa para lhe fazer um curativo, tratei de lhe meter, estrategicamente, uma almofadinha para os joelhos no chão. A caneta, essa, continua sem bico e presumo que a morrer de inveja de mim. Um dia arranjo-lhe um bico tão bom como o que nesse dia recebi.

26 comentários:

nAnonima disse...

aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!

nAnonima disse...

tao bom. tao bom. tao bom!!!!

(Ela) disse...

E assim num repente "o meu chapéu tem três bicos" comes to mind. :)

Beijo d'(Ela)

Patife disse...

nAnónima:
É o que costumam dizer depois de levarem com o Pacheco. ;)

(Ela):
Curiosamente, neste momento o meu Pacheco também. ;)

Maria D Roque disse...

Tem que ir ao "Regresso às aulas" e comprar uns apara-lápis...

Kapikua disse...

tu derrubas a menina e ela é que te faz o tratamento! ;)

Grande abraço!

Patife disse...

Maria D Roque:
Já tenho o Pacheco, que é um belo apara-lábios. ;)

Kapikua:
Mas de almofadinha nos joelhos. Digam lá se não sou um cavalheiro. ;)

Anónimo disse...

Ó mestre,

O meu também só lá vai de gabardina.

Apanhei as "feridas de guerra" através dum bico, igual ao que relatas.

Agora esta treta não saí com nada, algum conselho??

(Ela) disse...

It's a conundrum. Três bicos e um Pacheco. Hummm...


Beijo d'(Ela)

Patife disse...

Anónimo:
Há quem diga que água de rosas faz milagres. Mas eu acho que qualquer falo não recuperaria na íntegra a sua virilidade depois de estar demolhado em água de rosas. ;)

(Ela):
Não pense a menina que tinha três bicos, tipo espinhos, naquele momento. Tinha era três bocas a fazerem bicos ao Pacheco ao mesmo tempo. Até entoei a música a tudo: O Pacheco tem três bicos.. ;)

nAnonima disse...

Sabes quem também reza de joelhinhos na almofada? as velhinhas desdentadas :)))
conta lá a verdade, Patifoide, que idade tinha essa "jovem"? ;)

Patife disse...

nAnónima:
Por acaso ela ia ficando desdentada durante o processo, dada a potência impressa pelo Pacheco. O esmalte, esse, ficou seriamente comprometido. ;)

nAnonima disse...

ahahahaha! És Louco!

Kim III disse...

Gostei gostei :p

Patife disse...

nAnónima:
De Patife e de louco não tenho apenas um pouco. ;)

Kim III:
Ela também gostou. ;)

Malena disse...

Mania de mandar ajoelhar!!! Sentavas a miúda e ficavas tu de pé (Eu sei que em pé já estavas!)!

Girly Mood disse...

:)))))))))
Patife, já conheces a Terapia do bico? Recomendada por psiquiatras do mundo inteiro para combater o stress e afins... melhor do que uma aspirina! :)))

AC disse...

Esse é o anti depressivo mais recomendado, alivia o stress e cura a depressão...medicação via oral.

O tifinho é um perfeito cavalheiro.

FRED disse...

Foi um remédio com administração por via oral!!!

Patife disse...

Malena:
Sem dúvida que podia. Mas não sabe tão bem. O cérebro também é felattiado dessa forma. ;)

Girly Mood:
Então não conheço!? Receito-a desde mil novecentos e troca o passo. ;)

AC:
Obrigado. Haja alguém reconheça a nobreza dos meus actos. ;)

FRED:
Com recomendação para gargarejar no final. ;)

desejo disse...

ahahahahahahahahaha!
Sem comentários, somente rir.


:)

Patife disse...

desejo:
És tu sem comentário e eu com cu lendário. ;)

Rosa Cueca disse...

Sempre desconfiei das canetas Bic.

Mamã de Peep-Toe disse...

Patife,o esmalte é a estrutura mais dura do nosso corpo...se dizes que este ficou seriamente comprometido,imagino o resto....

Patife disse...

Rosa Cueca:
Eu cá sou bicodependente. ;)

Mamã de Peep-Toe:
Ficou desfeita. Mas o Pacheco não lhe fez nenhuma desfeita. ;)

Anónimo disse...

Eu também quero fazer-te um bom bico. E faço-o muito bem. ^^