segunda-feira, 9 de abril de 2012

Umas abertas

No outro dia saí todo contente à rua assim que ouvi no rádio a previsão de períodos de chuva com algumas abertas. Onde há umas abertas o Patife marca logo presença e sou muito picuinhas nestas coisas. Lá saí de casa de guarda-chuva na mão, à espera que aparecessem as abertas anunciadas. Apesar de não ter parado de chover apanhei uma aberta logo ao virar da esquina e trouxe-a para casa. Ou pelo menos eu esforcei-me por imaginá-la toda aberta. Já a conhecia ali das esplanadas do Chiado e normalmente trocávamos uns acenos ou uns bons dias. Estava toda encharcada e eu disse que tratava dela. O que foi bem verdade. Assim que estou a começar o tratamento deparo-me com a coninha mais bem-feita da história das coninhas. Um paraíso chonal. Um oásis do pachachal. Uma autêntica ode ao grelo. De formas convexas sem ponta de escancaramento exagerado, claramente de uso selecionado. Como diria o célebre Pipi, “até cheirava a novo”. Como os travões da língua estão gastos, assim que avanço para lambuzar aquela pachachona, e como sou um moço educado e de elogio pronto, saiu-me um naturalíssimo: Mas que bela cona, sim senhora. Até as bordas da pachacha se franziram: Ai Patife, cona não. Cona é que não! Lembrei-me do Miguel Esteves Cardoso, uma referência nos relatos da fodenguice, e apeteceu-me igualmente perguntar-lhe “Há alguma lista que eu possa consultar?”. É que eu perco o tesão com o clínico vagina, desato a rir se me dizem para lhes ir ao pipi, temo que o meu cérebro comece a bolçar se ouço a palavra pombinha, fico com a picha marreca se me imagino a pinar uma parreca, sinto-me um actor porno de classe Z se digo que lhe vou lamber a boceta, receio passar por campónio se disser que lhes vou ao pito e tenho a certeza que qualquer gaja iria buscar um insecticida ou desataria a fugir se eu manifestasse o meu encanto por uma linda rata. Além de que o Pacheco não é vegetariano para andar a papar grelos. Por isso deixei-me de merdas, disse de forma decidida Cona é que sim!, que até é um dos meus lemas de vida, e chafurdei aquilo tudo. Não que me importe muito, pois ninguém me mete freios na língua, mas agora pergunto-me, do alto da pertinência científica, qual será a fórmula léxico-pachachal mais consensual de se ouvir na hora de pinar?

49 comentários:

Anónimo disse...

nPatife...do fundo do coração.... MUITO OBRIGADA! Uma Ode à Cona! até a 2ª feira me parece mais risonha ;)

Anónimo disse...

Fodilhão que se preze, chama CONA...

Sairaf disse...

Isto é que é começar a semana com ele a pensar em buracos, perdão Conas!!
Chorei de tanto rir com este teu texto seu Patife!! :)
Abraço

Black Angel disse...

É assim mesmo..chamar as coisas pelos nomes!!!!

Eu como moiçola do Norte tenho muito esse hábito :) :)

Xoxos nortenhos

Patife disse...

Anónimo dos énes:
É inevitável escrever cona sem pensar em ti. ;)

Anónimo:
Ámen! ;)

Sairaf:
Estou aqui para servir as suas gargalhadas com umas quantas caralhadas. ;)

Black Angel:
Eu cá sempre chamei as conas pelos nomes. ;)

Anónimo disse...

nPatife... que me levas às lagrimas com tanta ternura ;)

(assim de repente, só me lembro de mais uma coisa que me faça vir as lágimas aos olhos tão depressa... ;)

Patife disse...

Anónimo dos énes:
O filme "My fair lady"? A "Lassie"? Os versos do Mikael Carreira? ;)

Anónimo disse...

.... uma verga de tamanho descomunal a bater me na garganta...

desculpa a franqueza...

nAnónima

desejo disse...

Ai, Patife que post sem papas na língua.
Deves chamar os nomes que entenderes.Aumentam a libido.
Resposta à tua pergunta: "cona".

:)

Patife disse...

Anónimo dos énes:
Antes franquezas que fraquezas na hora de abocanhar a lontra. ;)

Patife disse...

desejo:
Eu sabia que não me ias deixar ficar mal. Não tenho papas na língua mas gosto de ter papos na língua. ;)

Stiletto disse...

Ah ah ah, já fui às lágrimas Patife. Delicioso! :-)

retiro o que disse... disse...

'Tifinho,
supondo que o sexo oral implica conversa, chamemos-lhe rata.
Desde que o desempenho seja válido, vale tudo... o resto é conversa.
E, como disse o Miguel E. Cardoso,
"A educação, de Platão para a frente, é mais uma coisa que se tira. Não educar é negativamente positivo: é como vendar os olhos ou cortar a língua."

Beijo, de revólver lingual, como tiro certeiro, na linguística Pachecal.
(E sim, espero estar de volta...)

Patife disse...

Stiletto:
Delicioso é aqui o Pacheco. Eu sou apenas incrivelmente sensual. E parvo. Em particular esta última. ;)

retiro o que disse...:
Tudo o que é oral pressupõe conversa. E isto não é conversa da treta. É conversa da greta. Rata será. ;)

(Hell yeah)

Dias Cães disse...

Ainda bem que falas disto. Mesmo muito oportuno. Ontem disseram-me "gosto tanto da tua cona" e confesso que me senti a ser comida por um camionista daqueles que param na borda da estrada para comer uma sandes de moelas. E olha que o gajo é médico por isso a metáfora nem tem grande explicação... devia-lhe ter saído o tal "termo clínico - vagina". Mas depois (que já estava desconcentrada) pus-me a pensar: mas que raio é que o gajo lhe havia de chamar? Foda-se... também só me lembro de cona. Depois, lá bem no fundo do baú, fui-me lembrar de um nome que um gajo de marketing com quem andava a sair, lhe chamava: a tua menina. Foda-se, eu não tenho menina nenhuma entre as pernas a querer ser comida, que eu cá abomino pedofilia.
Nisto, vou ter de concordar contigo... apesar de não ser um encanto de nome, pelo menos faz justiça ao que é... agora andarem-me a comer a "menina" ... isso é que não!

retiro o que disse... disse...

Como eu senti falta desta conversa gretal... até se me regelam as mãos, tanta é a excitação...

O que me vale é ser de boas colheitas, só as mãos me regelam, tudo o resto aquece.

Pacheco, let's talk... e, em tempos de crise, tirar tudo de misérias...

Patife disse...

Dias Cães:
Ora lá está. Há que meter (pausa estratégica) a infantilidade de lado e assumir as coisas pelos nomes sem pruridos. E olha que já uma vez fiz role playing de "camionista daqueles que param na borda da estrada para comer uma sandes de moelas". O bigode ficava-me a matar. Já aqui o Pacheco ficava a papar. ;)

retiro o que disse...:
Podes tirar tudo de misérias pois o Pacheco não gosta de férias. ;)

S* disse...

Estou a ver que o teu sacrifício pascal foi comer grelos...

Sexy Couple disse...

Como sempre, muito bom.
Respondendo à pergunta, o termo cona não me incomoda, é o que é, assim como pachacha, também não.
Acho que vale tudo quando o sexo é bom...
Beijo sexy,
Ana

Patife disse...

S*:
Ahahahah. Isso é na passagem de ano. Em vez de doze passas, como doze grelos para dar sorte para o ano que se avizinha. ;)

Sexy Couple (Ana):
Eu na verdade acho que vale tudo sempre. Mas há dias que não digo cona com cona. ;)

Dias Cães disse...

Por falar em bigode... tenta esclarecer todo um mundo de homens que por aqui passa que, ou se tem farto e macio bigode, ou então tem de estar absolutamente limpo e polido. Que ontem além de ter ouvido a palavra "cona" ainda tive de levar com uma esfoliação forçada. Epá, bigodes com três dias é que não. Vocês não gostam pois não? Guess what? Nós também não. Solicito, portanto, a curto prazo, um momento pedagógico aqui no teu estabelecimento (no meu não dá... acham sempre que estou cheia de filosofias e levam-me demasiado a sério) e fala lá dos bigodes masculinos. Pode ser, caro Patife?
Vá láááá... (estou a pedir com todo o carinho :))

Malena disse...

Chamar os bois pelo nome! Ora que porra! Pudicas na hora do vai-se a "comer"? ;)

Anónimo disse...

Eu cá gosto de 'cona' quando é mais bruto, e 'coninha' quando é mais carinhoso :)

Anónimo disse...

Sugiro que se faça um poll para os homens: pau? caralho? pila? picha? pichota?...

Anónimo disse...

caralho, sempre...
pau, às vezes...
picha e pichota, nunca! (não gosto do ch)
pila?... isso é de meninos...

;)

nAnónima

Kim III disse...

Olha o melhor é estares calado ahaha xD pelo sim pelo não, não vão elas ficar chocadas com alguma coisa.... (sabes que as mulheres são santas, até na cama são santas! oh oh...)

Patife disse...

Dias Cães:
Normalmente, o que agrada ao toque e ao olhar não é a mesma coisa. Mas já que pedes com tanto jeitinho e como o Patife é um cavalheiro mais virado para o sim que para o não, acederei em breve gentilmente ao seu humilde pedido. O Pacheco depois cobra a factura. ;)

Malena:
Ora que porra! Foi exactamente o que eu pensei. Gente de estranhos apetites esta. ;)

Anónimo 1:
És cá dos meus/minhas. "Coninha" pode ser das coisas mais carinhosas deste mundo. ;)

Anónimo 2:
Só tenho uma palavra para ti: PACHECO! ;)

Anónimo dos énes:
Nisso tens toda a razão. Pila é para meninos. ;)

Kim III:
Calado é coisa que não consigo estar nem tão pouco reprimir! E sim, as mulheres são todas umas santinhas e nós uns devassos fodilhões prontos para as conspurcar. ;)

Dias Cães disse...

Cobra, cobra... Cobra, sardão, lagarta... o que quiseres meu caro, que eu cá ralo-me pouco com os nomes das coisas ;)

Anónimo disse...

ai nPatife... ainda falta tanto para 5ª... isto de só blogares 2 vezes por semana até parece pinocanço de velhos...


(dias cães, para quando mais daquilo?... ;)

Dias Cães disse...

Os meus Dias são Cães, não são de rosas, por isso não prometo nada. Mas espero compreensão.
Hoje, por exemplo, estou murcha... Como grande parte dos dias do Pacheco. A diferença é que admito e ele inventa :)

Dias Cães disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patife disse...

Dias Cães:
"Homérico bacamarte" assenta-me melhor. Raramente vejo aqui a lentrisca murcha. E quando estiver murcha tudo se resolve com uma boa chucha. ;)

Anónimo dos énes:
Gosto tanto de te ouvir aos ais. Só por causa disso amanhã só escrevo à tarde. Pode ser que ganhe uns ais múltiplos. ;

Anónimo disse...

és tau mau!!!.... e eu gosto tanto assim.... ;)

nAnonima

Patife disse...

Anónima dos énes:
Nunca ninguém verdadeiramente interessante aprecia os homens que dobram o pijaminha. ;)

Anónimo disse...

gosto bastante de um 'adoro encher-te a coninha' ao ouvido, é um mind trigger :) e pila uso, tal como pau. caralho, pichas e pichotas não, e pacheco nunca, faz-me lembrar logo o pacheco pereira, credo.

patife, eu tenho várias amigas que gostam de homens submissos. acho que a maioria das mulheres de 20 anos é assim...

Anónimo disse...

homens e pijaminha na mesma frase, nPatife?... nunca....

ai.... ainda falta tanto....

Dias Cães disse...

Não queiras ir ver o que se passa no Facebook da Ursa!
O BILF ainda está a dar que falar....

Patife disse...

Anónimo:
Encosta o ouvido ao altifalante do computador. Já está? Agora mete baixinho, como num sussurro. Já está? Então cá vai: 'adoro encher-te a coninha'. ;)

Anónima dos énes:
Gosto tanto dessa impaciência. ;)

Dias Cães?
Não me diga!? Lá vai o Patife espreitar que sou muito espreitalhuço. ;)

Anónimo disse...

pois... às vezes mais vale ser amarrada... não consigo esperar...

nPatife... vá lá.... vem(te) para mim... já é 5ª....

(adorei a tua resposta à outra anónima! delicia)

Patife disse...

Anónima dos énes:
Vá, podes ir tirando a cuequinha. ;)

Anónimo disse...

;) ;) ;)

(já tá... dá-me!!!!!)

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Liz disse...

Tenho um termo "novo" para ti: xaboita.

GataHari disse...

E que tal coninha? Coninha é bonito! Coninha é querido e directo ao mesmo tempo! Eu gosto de ouvir um "Hummm que coninha tão boa que tens" ou um "Ui..adoro comer-te essa coninha toda"...e pronto..maneiras que já tenho os bicos espetados só de escrever isto. Porra.

Patife disse...

Liz:
Xaboita!? Estou deveras encantado. Gosto muito de aprender conas novas. ;)

GataHari:
Ahahahahahahahah. Uma "coninha" é irresistível, concordo. Também eu fiquei com o Pacheco espetado. ;) Coninha é efectivamente delicioso.

V disse...

Apesar deste post ser um subversivo estudo de mercado, não pude deixar de me enternecer pela reverência prestada a tão perfeita maravilha anatómica.

Patife disse...

V:
Ámen! ;)

Salvador disse...

Bom dia, Patife...))

Excelente texto, como sempre. E pertinente. A dúvida que colocou no final não se limita ao Chiado e é extensível ao Monte. Vagina tem mais sinónimos do que genes o genoma humano e não a apelidar correctamente na hora H pode pôr em causa uma foda épica, quem sabe a de uma vida... rsrs
Pergunto-lhe: Autoriza-me a fazer uma 'versão' desta crónica, com os devidos e merecidos créditos ao seu Autor?

Patife disse...

Salvador:
Mas é claro! O Patife não censura nada. Liberdade individual, sempre. ;)