segunda-feira, 26 de março de 2012

Bocantónio Gedeão

Este fim-de-semana aviei uma professora de filosofia que garantiu a pés juntos, e depois a pernas abertas, que a superior prestação do meu nabo dava azo a desmedidas considerações filosóficas. E depois ainda aventou umas quantas ideias mirabolantes sobre o imperativo categórico que é o Pacheco mas eu já só queria era dormir para descansar da maratona de sete horas de pinada. Por isso, adormeci a pensar que se o Bocage e o António Gedeão fossem um só, podiam ter criado uma obra poética categórica no panorama literário português ainda mais célebre que a Pedra Filosofal. E se o Bocage e o António Gedeão fossem um só teriam certamente criado coisinhas poéticas lindas assim:

Nabo Filosofal

Elas não sabem que o tesão
é uma constante da picha
tão comilona e decidida
que come uma chona qualquer,
como essa chona pardacenta
em que entro com grande avanço,
como um furacão nada manso
sem grandes sobressaltos,
numa gaja de saltos altos
em que as mamas se agitam,
como essas vozes que gritam
em pinadas de alegria.

Elas não sabem que o nabo
é hino, é espuma, é fermento,
bicho estouvado e sedento,
de focinho pontiagudo,
que espeta através de tudo
num perpétuo movimento.

Elas não sabem que o mastro
é tela, é cor, é pincel,
base, fuste, capitel,
nabo erecto, imperial,
pináculo nabal,
contraponto, sinfonia,
em chona troiana ou grega faz magia,
que pina como malabarista,
vai ao fundo num instante,
bacamarte sempre errante
para o trepar só uma alpinista.

Elas não sabem, nem sonham,
que o tesão comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o nabo pula e avia
com fúria atrevida
entre as pernas de uma vadia.

23 comentários:

Anónimo disse...

nPatife...

valeu a pena esperar até às 16:50 ;)

"Que sempre que um homem sonha
o nabo pula e avia
com fúria atrevida
entre as pernas de uma vadia."

Uma Rapariga Simples disse...

Ah Patife, Patife, no mundo real, fora da literatura, quem vê chonas não vê doenças... Cuidado que quem anda à chuva às vezes morre com pneumonias. :P

AC disse...

Oh Patife...elas não sabem que o nabo é bicho estouvado e sedento de focinho pontiagudo, que espeta através de tudo num perpetuo movimento..Ah grande patife,e viva o bichinho de estimação das meninas:)

Anónimo disse...

nPatife, para ti...

Já Bocage não sou!... À cona escura
Meu Pacheco vai parar rijo e de rompante...
Eu, Patife, as c(h)onas ultrajei! O meu tormento
É ser um só e ser maior do que gigante…

;)

(Bocage está-me no coração ;)

Anónimo disse...

sei perfeitamente que o tesão comanda e remanda a vida.

desejo disse...

Elas não sabem, nem sonham,
que o tesão comanda a vida.
Que sempre que um homem sonha
o nabo pula e avia
com fúria atrevida
entre as pernas de uma vadia.

Só de uma vadia?!


:)

Patife disse...

Anónimo dos énes:
Quem espera sempre se amansa. ;)

Uma Rapariga Simples:
Nah. O Pacheco anda sempre de gabardina. ;)

AC:
É um Pachequinho de estimação. ;)

Anónimo dos énes:
Olha que coisa bonita. Bocage é coisa para se trazer como uma medalha ao peito. ;)

Anónimo:
O tesão comanda a vida mas também comanda a picha. ;)

desejo:
Gosto de chamar vadias às mulheres durante a queca. É dos impropérios mais proferidos na pinada. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

Que chique! Se usar um chapéu à Humphrey Bogart, nem quero imaginar!!!

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Imagina, que ele ivagina. ;)

Rusty disse...

Imagina, que ele ivagina..
Gabardina e chápeus de chuva..
Seja qual for o poeta, nenhum é como o patife..

"com nabo que pula e avia
com fúria atrevida,
imagina o que ivagina,
entre as pernas de uma vadia. "

boa 3º feira para todos
abraço patife

Anónimo disse...

medalha, nPatife?... prefiro broches.... ;-)

(igualmente, Rusty ;)

Patife disse...

Rusty:
Ivagino tanto e a toda a hora, que até as deixo à nora. ;)

Patife disse...

Anónimo dos énes:
Eu dou-te a medalha, tu dás-me o broche. Deal?

Anónimo disse...

;) ja falaste com o nPacheco? ele estará livre?...

Patife disse...

Anónimo dos énes:
Posso consultar a agenda e meter-te uma cunha. ;)

Anónimo disse...

;)nPatife, nesse caso, falaremos dentro de umas horas, certo? porque essa agenda deve ser enorme...

já tou a ler "a arte de bem brochar", não quero ninguem desiludido!

;) ;) ;)

(és o melhor ;)

Patife disse...

Anónima dos énes:
"A Arte de bem brochar". Uma bela obra para fazer um bom bico de obra. ;)

Malena disse...

Olha... Nem sei o que cante!! ;)

Patife disse...

Malena:
Canta, canta que melhor me encantas. ;)

Vera Benson disse...

ahahahahh sendo uma fã incondicional de Bocage, devo dizer que conseguiste a poesia perfeita, abafando assim a caneta do Manuel.

Patife, ler-te é maravilhoso.
Obrigado por existires.

Patife disse...

Vera Benson:
A minha caneta abafa tanta coisa... ;)

Não me estraguem com mimos. Ainda fico pedante, insuportável ou assim. ;)

A Chata disse...

Epá, tu és bom nos poemas no geral. Mas este... este, homem... Jasus!

Espectáculo!

Patife disse...

A Chata:
És uma Chata adorável, pá. Contraste que me arrebita o salpicão em qualquer ocasião. ;)