quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Escolhida a dedo

Adoro a minha empregada doméstica. Chama-se Ava, é alta, loira e ucraniana. Sim, foi escolhida a dedo. No processo de selecção passei o dedo pela senisga de todas as empregadas assim que as apanhei distraídas de costas. A Ava foi a única que não me bateu, por isso foi naturalmente a escolhida. A dedo. Vem cá a casa duas vezes por semana e eu faço por estar sempre presente, estatelado no sofá a dizer disparates enquanto ela trabalha. Ela faz-me a cama e eu grito logo do sofá para ela me fazer a mama. São coisas assim que nos fazem ter uma relação patrão-empregada muito especial. Gosto muito da Ava e seria incapaz de a afiambrar. Aliás, seria incapaz de sequer ousar pensar em comê-la à canzana enquanto lhe puxo as longas tranças loiras ao ritmo dos seus gemidos burlescos e ela me olha de lado como que a pedir que lhe chame nomes e a trate por porcalhona com sotaque ucraniano. Ontem trouxe-me pastéis de nata, porque sabe que eu gosto. Não demorei muito a dizer que preferia pastéis de rata. Ela ri-se muito destas coisas. Possivelmente por não perceber um corno de português. Na verdade a Ava é tudo o que eu sempre sonhei numa empregada doméstica: é à prova de fala. Ela gosta muito da minha barba de três dias e sempre que se vai embora passa as pontas dos dedos delicadamente pela minha face esquerda em jeito de despedida. Por acaso ela deve estar quase a chegar e reparo agora que a minha barba não está de três dias. Está de quatro. Falo da barba e não da rapariga que está à minha espera no quarto, que coincidentemente também está de quatro.

28 comentários:

Margarida disse...

Meu Patifão, claro que a Ava gosta da tua barba de 3/4 dias, quem é que não gosta de uma barba de 3/4 dias? ;)

Conta-nos!!! Como são esses encontros de 3º grau entre a Ava e o mulherio que rodopia aí em casa? ahah

Ana Sá disse...

Ai nossa senhora, que antro de pecado...

Patife disse...

Margarida:
A Ava está habituada a ver mulheres a entrar e a sair cá de casa e a encontrar cuecas femininas espalhadas pelos cantos. É muito compreensiva e não se importa de esperar que eu acabe o serviço para ela começar o serviço dela enquanto eu lhe relato a pinada ao pormenor. ;)

Ana Sá:
Um antro de pecado onde se passa sempre um bom bocado. ;)

Margarida disse...

A Ava é uma santa :)

Patife disse...

Margarida:
Claro que é. Foi escolhida a dedo. ;)

Nervosinha disse...

A ser verdade o que contas (sou muito desconfiada), era capaz de jurar que te 'conheço'. Mas se calhar esse patife é outro.

Sem Reino disse...

uma santa empregada à prova de (b)fala...só mesmo escolhida a dedo!:)

Wild Things disse...

Ai, a Ava é mesmo uma querida!

C.Spot disse...

Olá! Não publiques isto! O blog "A Sós com a Noite" foi removido. Gostava muito que continuasses a seguir-me em mychocospot.blogspot.com :)

Luisaeadriano disse...

Ès tramado fode...fode ....lolololo
Gostamos do blog ...
Vamos andar por aqui .
Mas patifarias só á segunda e quinta hummmm...achamos muito pouco .
Bjs com carinho e molho .
luisaeadriano.

Vadia disse...

E a Ava terá umas manhãs livres? é que me dava mesmo muito jeito uma empregada que não fale. Abençoado silêncio!!
Calculo é que não queiras partilhar alguém com tantas qualidades :))

Patife disse...

Nervosinha:
Nah... O Patife é como uma boa miragem. ;)

Sem Reino:
Mas nunca são à prova de falo. ;)

Wild Things:
É uma jóia de moça. ;)

C.Spot:
Aqui não há censuras nem controlo sobre as palavras. ;)

Luiseadriano:
Passo tanto tempo a pinar que não posso ter muito tempo para escrever. ;)

Vadia:
Por acaso sou grande fã de partilhar qualidades, por isso é que estou sempre a partilhar o Pacheco. ;)

desejo disse...

Ai Patife, que me ri à gargalhada sobre a tu Ava. És um sortudo.
Pudesse eu ter um empregado, talvez um Ivo, em quem pudesse confiar a limpeza da minha casa.
Apanhar as cuequinhas não, porque não as deixo espalhadas pelo chão, mas outras serventias.
E não ficava nadinha chateada que ele tivesse uma barba de 3/4 dias, limpa, aparada e asseada.
Ai!

:)

sith happens disse...

Patife ando à procura de empregada. Se puderes manda foto do CUrrículo para analisar. Cumprimentos sith happens ;-)

Malena disse...

Não me digas que ias pedir à Ava para limpar as teias de aranha à senisga da outra não fosse o Pacheco ficar enredado!!! :P

tiago leal disse...

Ó Patife, mas a Ava não será um desperdício para o Pacheco?

Patife disse...

desejo:
Para outras serventias, e com barba de três dias, está cá o Patife. Um empregado ao seu dispor. ;)

sith happens:
Com as mulheres sou dado a partilhas. Posso dar-te o número da que comi ontem. Mas com a Ava sou muito exclusivista. ;)

Malena:
Se pedisse, tenho a certeza que a Ava não negava e que faria um excelente trabalho. ;)

tiago leal:
Jamais me arriscaria a perder a Ava para o Pacheco. É uma boa empregada para o Patife e seria mal-empregada no Pacheco. ;)

Salvador disse...

Nada como pô-las de quatro e tirar-lhe os três...

PC, que estou zangado com o Ps e a Ava é Ucraniana- Sabe como se diz 'Divorciada' em Ucraniano? Pachacha Seminova...

Daniel disse...

Estes textos estão cada vez mais interessantes. Têm tanto de superficial como de profundo.

A Chata disse...

Olha lá e tu deixas uma gaja de quatro à espera enquanto vens contar as tuas aventuras e desventuras para o blogue?

Eu castigava-te :p

bem passada disse...

Caro partife,
No processo de recrutamento passas com o dedo pela sesniga??
por favor especifique o local
obr

Patife disse...

Salvador:
Elas dão-me de quatro, eu dou-lhes quatro. É uma espécie de negócio pago em orgasmos. ;)

Daniel:
Eu tenho tudo só de superficial. O Pacheco é que percebe de profundo. ;)

A Chata:
Exacto. Eu faço isso precisamente para ser castigado depois. ;)

bem passada:
Aulas teóricas não são o forte do Patife. Mas dou aulas práticas diariamente. ;)

Mas vá, digamos que é um semi-passar ao de leve, da frente para trás, estando posicionado atrás, num movimento que se assemelha a um vaivém que só vem. ;)

AC disse...

Avé à Ava...
Uma empregada que não fala, não faz comentários e não se assusta com o que vê....é ficção!

Só escolhida a dedo...

Patife disse...

AC:
Não é ficção, é fixação. Além disso eu costumo andar nu pela casa. Não há nada que pague esses benefícios visuais. ;)

Anónimo disse...

Hahaha, demais!

Patife disse...

Anónimo:
"Demais" eram as bordas da tipa que aviei este fim-de-semana. ;)

Kim III disse...

Qualquer dia é ela que está de quatro. Adorei a parte do "à prova da fala", realmente mulheres assim são perfeitas!

Patife disse...

Kim III:
Mulheres à prova de fala são uma raridade que é preciso fomentar. Mulheres de quatro são a foda nossa de cada dia. ;)