segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A espremedora de borbulhas

Para onde quer que olhe só vejo mulheres a espremer borbulhas aos namorados. A culpa não é delas, coitadas. É deles, por permitirem tal insanidade. Na verdade não percebo a necessidade de qualquer tipo de contacto físico entre um homem e uma mulher que não tenha como finalidade o orgasmo. Acho o contacto humano desnecessário fora do contexto sexual. E este fim-de-semana havia um daqueles novos casalinhos, muito atenciosos um com o outro, que passou a tarde a catar-se em público na esplanada do meu café. Espreme-me mazé o caralho! é o que me ocorre sempre dizer. Mas pronto. Apesar da confrangedora recriação da vida dos símios, não reclamei pois não é todos os dias que temos um fragmento do zoo em pleno Chiado. Levei aquilo como um espectáculo de variedades decadentes até uma das borbulhas ter vindo parar à minha mesa. Aí exaltei-me. Estava prestes a levantar-me para gritar Mas que grande lata! quando ela descruza as pernas e eu ouço o Pacheco entoar internamente Mas que grande rata! Percebi que era melhor estar calado e vingar-me de outra maneira. Passei o tempo seguinte a atiçar-lhe a imaginação entre olhares inquietantes do tipo “sou o pior pesadelo dos teus pais” e poses de homem misterioso do género “nem imaginas no que te vais meter”. As mulheres não demoram muito tempo a resistir a estes apelos. Pudesse eu ainda andar com o nabo de fora na rua e seria sempre tiro e queca. Até me cairiam de quatro em plena calçada histórica. Mas enfim, o estroina lá se pisgou, ficando a espremedora de borbulhas sozinha na mesa a fingir que lia. Muito gostam as mulheres de fingir que lêem em público. Aí comecei a franzir o sobrolho como se estivesse a ter um pensamento meio pecaminoso meio intelectual e foi a gota de água que a fez levantar-se e sentar-se na minha mesa. E depois deitar-se na minha cama. E ainda ficar de gatas no meu soalho. É… a vingança é um prato que se serve com o cio.

28 comentários:

retiro o que disse... disse...

'Tifinho,
estará o Pacheco na Puberdade? Na idade do armário? (Se for espaçoso, eu também entro...)

Venha de lá o Acne Juvenil Pachecal.

Os médicos pedem sempre para não espremer, mas o que eles dizem não se escreve, muito menos se consegue ler.

Beijo, entoado Chiado abaixo. Anda a Menina em Terras de Mouros e Pacheco nem vê-lo...

Provocador disse...

Eh pá eu não sou nada vingativo porque confesso que aquela imagem do prato que se serve frio nunca me conquistou! Agora esse prato é bem mais saboroso! Brutal!!!

S* disse...

Mas que nojo Pacheco! Não sei como tal te pode ter excitado. ahahah

A Minha Essência disse...

No sexo, há gostos e feitios para tudo, está visto! E quem escreve a verdade, não merece castigo. Se merecer, que seja "aquele" castigo. (Risos)

Y disse...

Chiça, mesmo...a minha mãe faz isso ao meu pai, e a minha irmã já me tentou fazer isso á uns anos....

não não não :), isso definitivamente não é para mim :)

caleidoscopio disse...

"Passei o tempo seguinte a atiçar-lhe a imaginação entre olhares inquietantes do tipo “sou o pior pesadelo dos teus pais” e poses de homem misterioso do género “nem imaginas no que te vais meter”."

Nós mulheres, temos um fraco por bad boys. E sim, sabemos perfeitamente no que (nos) vamos meter. E o pior é que gostamos. :)

Uma Rapariga Simples disse...

Não sei porquê (muito gostam as mulheres de fingir que não sabem nada), mas acho que este filme vai muito bem com o teu texto.

http://img37.imageshack.us/img37/204/oexnxi0hhxji37akt893.jpg

Fruto Proibido disse...

Confesso que já andava com saudades de vir aqui ler estas tuas pérolas.
Acabei de ficar extremamente enojada... Não me digas que ela fez o mesmo serviço em ti...

Beijinhos, Patife

Daniel disse...

Acho engraçado que estes textos, apesar de descambarem sempre no grosseiro, são muito bem escritos. Claramente dum homo sapiens a fazer-se passar por um homo erectus... ;)

Patife disse...

retiro o que disse...:
Ahahahaha. Podem espremer-me todo, mas em borbulhas não me tocam, até porque não as tenho. Isso da menina andar em terras dos mouros e não ver o Pacheco é quase sacrilégio. ;)

Provocador:
Pratos com cio são impossíveis de recusar. ;)

S*:
A mim não excitou. Mas quando o Pacheco vê uma abertura não há nada que eu possa fazer. ;)

A Minha Essência:
Eu tinha de castigar o gajo por deixar que alguém lhe espremesse as borbulhas em público. Vai daí afinfei-lhe a namorada. Estou a defender os direitos sociais de todos nós. Faço um serviço público de grande validade. E mereço que me agradeçam esse facto. ;)

Y:
Não é para ninguém que tenha evoluído ligeiramente dos primeiros primatas. ;)

caleidoscopio:
Ahahahah. A questão é que acreditam sempre que podem mudar um bad boy, ou que ele mudará fruto de um encantamento qualquer. Erram de todas as vezes. ;)

Uma Rapariga Simples:
Estou como a Louise Bourgeois: "I've been to hell and back and let me tell you: it was wonderful." ;)

Fruto Proibido:
Ahahahahah. A única coisa que ela me espremeu foi o nabo. ;)

Daniel:
Descambam no grosseiro por necessidade de coerência com Pacheco - o Grosso. ;)

caleidoscopio disse...

Lá está, porque elas confundem a beleza de um furtivo encontro com um futuro relacionamento. Taditas, não sabem aproveitar as potencialidades de um eterno e intocável(salvo seja que o que ele quer é tocar!) malandro...ou deverei dizer patife? :)

Patife disse...

caleidoscopio:
Ahahahahah. O Patife é altamente tocável por fora e incompreensivelmente intocável por dentro. ;)

desejo disse...

"Espreme-me mazé o caralho! é o que me ocorre sempre dizer", ahahahaha!
Que nojo! "até uma das borbulhas ter vindo parar à minha mesa"

"Mas que grande rata!",´estás demais, neu descarado!

"Pudesse eu ainda andar com o nabo de fora na rua e seria sempre tiro e queca", isto é o que o teu Pacheco mais deseja...

Enfim, mais um post em que ne fazes ficar de queixo caído.

:) desejo

Pseudo disse...

Às vezes até tenho medo de aqui vir ler-te, pois penso sempre que "este gajo é doido", mas a verdade é que deixas-me sempre com um sorriso. E não vale a pena dizeres que o Pacheco faria melhor serviço...já sei que sim :P

Preciso dum e-mail teu. Como faço, sem ter que ir ao Chiado?

Patife disse...

desejo:
Normalmente ficam de queixo caído após a mamada. O maxilar, não raras vezes, cede à pressão do Pacheco. ;)

Pseudo:
Por mais anos que viva nunca me irei cansar de dizer isto: “Afinal o que importa é não ter medo. Fechar os olhos frente ao precipício e cair verticalmente no vício”, diria o Cesariny.

Tivesse a menina visível um e-mail associado ao seu blogue ou à sua pessoa e já teria uma missiva electrónica do Patife. ;)

Beu, a Ruiva. disse...

Muito Bom!
Se o 'tio' Júlio Machado VAz descobre este blog terás com toda a certeza um lugar de destaque para falar abertamente sobre SEXO, nos canais de TV.

Parabéns pelo texto está excelente ... as always!

Petra disse...

Foda-se oh Patife... onde foste buscar essa das borbulhas? que nojice!!! acho que andas a meter cogumelos na cabeça nas pausas dos cafés na brasileira....

Anónimo disse...

Saudações paneleirice avulsa,

É com imenso "prazer" que leio e releio estes contos literários, com uma escrita ablosutamente impecável.

Faz lembrar o velho mas inesquécivel blog "O meu pipi".

Abreijos,
Tio Fodinhas






Pois claro.. o pipi a elogiar alguma coisa!! e sem «caralhadas» pelo meio...
como diriamos cá pelo Porto (não eu obviamente)

TÁ BÉÉÉNHEEEE!!!

Só por isto vou assinar com o meu primeiro nome verdadeiro


Isabel(não Joana) Campos Guimarães






Isto foi relativo a um post publicado a 17 de Maio mas só comentei à data que o li..algures em Novembro..
Mantenho a minha opinião mas respeito a necessidade do anonimato caro pipi patife. Como eu te compreendo :)

(Em relação ao texto deveria existir a opção: ordinarinho.
Vamos refectir sobre o assunto?)
;)


Isabel Campos Guimarães

Senhor Geninho disse...

Tentando imaginar a cena, vejo-te como uma máquina de fazer sumos e ela uma inocente laranjinha... :P

Patife disse...

Beu, a Ruiva:
“Muito bom” é o novo esquema de montagem do Pacheco. De resto, o Patife fala abertamente de sexo em qualquer local. ;)

Petra:
De todo. Estava sossegadinho a beber café e uma borbulha espremida veio parar à minha mesa. True story. ;)

Isabel (não Joana) Campos Guimarães:
A parvoíce avulsa será sempre o meu reino. Além do mais, se eu fosse o supracitado teria chamado ao blog “os meus pipis”, que eu cá sou pela quantidade. ;)

Senhor Geninho:
Que magnífica imagem. Efectivamente ela foi bem espremida. ;)

Ulisses disse...

...é de presumir que ela te tenha expremido bem...?

:)

Patife disse...

Ulisses:
Ahahahahah. Ela tinha o dom da linguística sim. Ela com o dom da fala, eu com o dom do falo. ;)

Malena disse...

Patife, é a primeira vez que te vejo a usurpar um dos meus pensamentos!! Também costumo pensar que meninas espremedoras de borbulhas deviam era ir espremer o caralho! :P Coisa mais nojenta, tirar pûs de uma pequena cratera!!!

Patife disse...

Malena:
Podemos começar um movimento. Se bem que sempre que eu começo um movimento acaba em orgasmo. ;)

Gasper disse...

Espremer borbulhas alheias em público devia ser proibido!

Patife disse...

Gasper:
Concordo plenamente. E a punição deveria ser mamar-me no palhaço em via pública. ;)

AC disse...

Mulheres e bad boys...hummm so true, gostei do "nem imaginas no que te vais meter" sabemos pois...mas há riscos que valem a pena!

Sem borbulhas e sem vingança...

Patife disse...

AC:
Por acaso costumo usar mais o "Nem imaginas o que te vou meter". ;)