terça-feira, 4 de novembro de 2014

Tweeto, oh se tweeto.


A verdade é como um penso rápido: estive internado nos últimos meses sem poder chegar perto de um computador ou de uma mulher. Os médicos dizem que não posso pinar tanto nem durante tanto tempo e que a mesma equação deve ser aplicada à escrita. Parece que ambas me estavam a fazer mal à saúde. Como pinar menos não consigo, mas quero fazer pelo menos uma vontade aos médicos, vou ali escrever para o Twitter que sempre me obriga a escrever coisas curtinhas, curtinhas.

Em suma:

Para coisas curtas é ir ao Twitter do Patife: twitter.com/FF_Patife
Para coisas compridas é vir aqui ao Pacheco.

58 comentários:

Silent Man disse...

And he's baaaaaaaaaack!!!! :D

Shiver disse...

Eu voto no Pacheco :)

Estimo em ler-te e rápidas melhoras.

Rosa Cueca disse...

Mantém-se a minha opinião sobre o twitter: não gosto de coisas curtas.

Pseudo disse...

Concordo com a Rosa Cueca: nada bate o Pacheco ...e que muitas continuem a bater no Pacheco!

Gaja Maria disse...

Espero que estejas melhor! Abraço

Mariavaicomasoutras disse...

Ena...vieste-te!!!!!!
Sinto-te fraquinho mas os meus sinceros desejos vão direitinhos ao teu potencial de vida... por isso rápidas melhoras.
Tal como tu, tenho passado uns meses complicados mas venceremos estas lutas infernais...sempre!
Abração

Anónimo disse...

O maior voltou! :)

Anónimo disse...

Welcome back!

Charlie Brown Jr.

Ela Vai Voltar
Minha mente nem sempre tão lúcida e fértil me deu a voz
Minha mente nem sempre tão lúcida fez ela se afastar
Mas ela vai voltar
Mas ela vai voltar

Ela não é do tipo de mulher que se entrega na primeira
Mas melhora na segunda e o paraíso é na terceira
Ela tem força, ela tem sensibilidade, ela é guerreira
Ela é uma deusa, ela é mulher de verdade
Ela é daquelas que tu gosta na primeira
Se apaixona na segunda e perde a linha na terceira
Ela é discreta e cultua bons livros
E ama os animais, tá ligado eu sou o bicho

Minha mente nem sempre tão lúcida e fértil me deu a voz
Minha mente nem sempre tão lúcida fez ela se afastar
Mas ela vai voltar
Mas ela vai voltar

Deixa eu te levar pra ver o mundo, baby
Deixa eu te mostrar o melhor que eu posso ser
Deixa eu te levar pra ver o mundo, baby
Deixa eu te mostrar o melhor que eu posso ser

Ela não é do tipo de mulher que se entrega na primeira
Mas melhora na segunda e o paraíso é na terceira
Ela tem força, ela tem sensibilidade, ela é guerreira
Ela é uma deusa, ela é mulher de verdade
Ela é daquelas que tu gosta na primeira
Se apaixona na segunda e perde a linha na terceira
Ela é discreta e cultua bons livros
E ama os animais, tá ligado eu sou o bicho

Minha mente nem sempre tão lúcida fértil e me deu a voz
Minha mente nem sempre tão lúcida fez ela se afastar
Mas ela vai voltar
Mas ela vai voltar

Fazer da vida o que melhor possa ser
Traçar um rumo novo em direção ao sol
Me sinto muito bem
Quando vejo o pôr do sol
Só pra fazer nascer a lua

Minha mente nem sempre tão lúcida fértil e me deu a voz
Minha mente nem sempre tão lúcida fez ela se afastar
Mas ela vai voltar
Mas ela vai voltar
Mas ela vai voltar
Mas ela vai voltar

c. disse...

O tamanho não é tudo: à falta de maior que seja pequeno mas competente ;)

eusouassim disse...

Twitter??? Que cena abichanada. Estás feito uma vedeta.

As melhoras e um abraço

Lucy disse...

Querido "Patifinho"!
Voçê voltou?
Lamento que tanto pinar e escrever tenham posto voçê de pantanas.
Mas, o que lá vai, já passou.
Estamos à espera das suas postagens com as aventuras do Pacheco.

Enquanto esteve fora eu e Mariavaicomasoutras, demos uso ao seu espaço.
Voçe não se vai importar...?

Para "Maria"
https://www.youtube.com/watch?v=5BWPGDd50fE

A Chata disse...

Tifinho, espero por ti aqui, sim?

Anónimo disse...

Epá finalmente! Deixa-te de merdas, sabes melhor que ninguem que, bom-bom é o caralho a fazer de batôm!

Mariavaicomasoutras disse...

Obrigado Lucy, já contei ao Patife o nosso caso na crónica poética...ele não leva a mal porque nós gostamos dele, nós gostamos de ti e ele gosta de nós!
Ou seja, estamos metidos uns nos outros!

Patife, Twittar é como dar uma foda sem nunca ao fundo chegar...Tout Court.

Anónimo disse...

Então será curto e grosso!

Lucy disse...

Oh Patife, fui dar uma espreitadinha no seu Twitter e realmente voçê está se disperdiçanco.
Twittar é como dar uma foda à "moulinex": 1,2,3 e já está!
Volte rápido.
*****
Mariavaicomasoutras tenho saudades tuas!!

Anónimo disse...

Olá Patife, finalmente voltaste!!! Adoro ler o que escreves e tive mta pena qd "desapareceste",espero que agora estejas bem.
Vou continuar a seguir o teu blog assiduamente e aguardo as tuas aventuras!
Mta força e bjinhos.

Tânia.

ALIEN disse...

As melhoras terrestres! É triste ver um humano sofrer, ser obrigado a ir para o twitter :/

Saudações alienígenas

Anónimo disse...

oh oh se tweeta: 1 usuário pediu para não ser mostrado nessa visualização.
;)

Anónimo disse...

retweetado:
e tu, MM, (Maria Manel)entenda-se;), também tweetas o passarinho?
;)

Mariavaicomasoutras disse...

Para o anónimo em primeiro lugar:
aqui a MM não tweeta nem a pássara nem o passarinho porque tweetar para mim é como uma entrada sem paladar...

Para o Patife em segundo lugar:
Meu caro, enquanto espero
por notícias tuas neste canto
A minha esperança chegou ao zero
pois não te vieste entretanto!

Para a Lucy em último já que os últimos são os primeiros:
Minha querida quanta saudade
De tuas palavras abraçar
Este é um momento de verdade
Que quase me põe a chorar...

A tua presença é um sentimento
encantado e provocante
vens e vais-te como o vento
como um amado e o amante...

Sei que tu me procuras
como quem procura um tesouro
mesmo com tudo às escuras
teu coração tem luz de ouro...

Por isso aqui te dedico
um poema que escolhi
no meu reportório fico
com a imagem de ti...

https://www.youtube.com/watch?v=7Cx6zdItgJ8

Lucy disse...

Querida e doce Maria

Nos teus Braços

Nos teus braços,
morreria
se ontem fosse amanhã.

Morreria
por gostar
da maneira como gostas,
se caísse em teus braços.

Se meus braços vacilassem,
evitaria o teu olhar.
E morreria outra vez
para poder ter
o motivo para te encontrar.

Nos teus braços,
morreria.
Novamente...

Paulo Eduardo Campos
in "Na Serenidade dos Rios que Enlouquecem"

*****

Patife, você ainda vai por o Pacheco doente de tanto twittar...!

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy, o Pacheco do Patife está na mó de baixo porque quando o nariz pinga, a coisa minga...

Querida Lucy,
"O Amor

O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar..."
(Fernando Pessoa)

Lucy disse...

EU TENHO

Eu tenho um colar de pérolas
Enfiado para te dar:
As per'las são os meus beijos,
O fio é o meu penar.

Quando olhaste para trás,
Não supus que era por mim.
Mas sempre olhaste, e isso faz
Que fosse melhor assim.

Tenho vontade de ver-te
Mas não sei como acertar.
Passeias onde não ando,
Andas sem eu te encontrar.

Maria , se eu te chamar,
Maria, vem cá dizer
Que não podes cá chegar.
Assim te consigo ver.

Fernando Pessoa
in "Obra Poética"
Quadras ao Gosto Popular

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy, eis-me:

Estrela da TardeEra a tarde mais longa de todas as tardes que me acontecia
Eu esperava por ti, tu não vinhas, tardavas e eu entardecia
Era tarde, tão tarde, que a boca tardando-lhe o beijo morria.
Quando à boca da noite surgiste na tarde qual rosa tardia
Quando nós nos olhámos, tardámos no beijo que a boca pedia
E na tarde ficámos, unidos, ardendo na luz que morria
Em nós dois nessa tarde em que tanto tardaste o sol amanhecia
Era tarde de mais para haver outra noite, para haver outro dia.


Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça
E o meu corpo te guarde.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria
Ou se és a tristeza.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza!

Foi a noite mais bela de todas as noites que me adormeceram
Dos nocturnos silêncios que à noite de aromas e beijos se encheram
Foi a noite em que os nossos dois corpos cansados não adormeceram
E da estrada mais linda da noite uma festa de fogo fizeram.
Foram noites e noites que numa só noite nos aconteceram
Era o dia da noite de todas as noites que nos precederam
Era a noite mais clara daqueles que à noite se deram
E entre os braços da noite, de tanto se amarem, vivendo morreram.

Meu amor, meu amor
Minha estrela da tarde
Que o luar te amanheça
E o meu corpo te guarde.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza
Se tu és a alegria
Ou se és a tristeza.
Meu amor, meu amor
Eu não tenho a certeza!

Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso se é pranto
É por ti que adormeço e acordado recordo no canto
Essa tarde em que tarde surgiste dum triste e profundo recanto
Essa noite em que cedo nasceste despida de mágoa e de espanto
Meu amor, nunca é tarde nem cedo para quem se quer tanto!

Ary dos Santos, in 'As Palavras das Cantigas'

Lucy disse...


Maria,toda para ti

Ternura

Desvio dos teus ombros o lençol,
que é feito de ternura amarrotada
da frescura que vem depois do sol,
quando depois do sol não vem mais nada...

Olho a roupa no chão; que tempestade!
Há restos de ternura pelo meio,
como vultos perdidos na cidade
onde uma tempestade sobreveio...

Começas a vestir-te, lentamente,
e é ternura também que vou vestindo,
para enfrentar lá fora aquela gente
que da nossa ternura anda sorrindo...

Mas ninguém sonha a pressa com que nós a despimos assim que estamos sós!

David Mourão Ferreira,
in "Infinito Pessoal"

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,
a pressa com que te despes assim que estamos sós, por mais rápida que seja é uma demora:
"A Demora"

"O amor nos condena:
demoras
mesmo quando chegas antes.
Porque não é no tempo que eu te espero.

Espero-te antes de haver vida
e és tu quem faz nascer os dias.

Quando chegas
já não sou senão saudade
e as flores
tombam-me dos braços
para dar cor ao chão em que te ergues.

Perdido o lugar
em que te aguardo,
só me resta água no lábio
para aplacar a tua sede.

Envelhecida a palavra,
tomo a lua por minha boca
e a noite, já sem voz
se vai despindo em ti.

O teu vestido tomba
e é uma nuvem.
O teu corpo se deita no meu,
um rio se vai aguando até ser mar.

Mia Couto, in " idades cidades divindades"

Lucy disse...

Maria,
Tu

Tu acendes a chama
do meu corpo
pões a lenha ao fundo
em sítio seco

Procuras no desejo o ponto certo
e convocas aí
o lume certo

Se a madeira demora
a ganhar fogo
tomas-ne as pernas
e deitas lento o vinho

Riscas os fósforos todos
e depois
é mais um incêndio
que adivinho

Maria Teresa Horta




Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,
nesse incêndio que adivinhas é assim que aprecio o teu corpo:

"Teu corpo claro e perfeito,

– Teu corpo de maravilha,
Quero possuí-lo no leito
Estreito da redondilha...

Teu corpo é tudo o que cheira...
Rosa... flor de laranjeira...

Teu corpo, branco e macio,
É como um véu de noivado...

Teu corpo é pomo doirado...

Rosal queimado do estio,
Desfalecido em perfume...

Teu corpo é a brasa do lume...

Teu corpo é chama e flameja
Como à tarde os horizontes...

É puro como nas fontes
A água clara que serpeja,
Quem em antigas se derrama...

Volúpia da água e da chama...

A todo o momento o vejo...
Teu corpo... a única ilha
No oceano do meu desejo...

Teu corpo é tudo o que brilha,
Teu corpo é tudo o que cheira...
Rosa, flor de laranjeira..."

Manuel Bandeira

Lucy disse...

Maria,
o meu corpo grita pelo teu e

Beijo a Beijo

E de novo a armadilha dos abraços.
E de novo o enredo das delícias.
O ronco da garganta, os pés descalços
a pele alucinada de carícias.
As preces, os segredos, as risadas
no altar esplendoroso das ofertas.
De novo beijo a beijo as madrugadas
de novo seio a seio as descobertas.
Alcandorada no teu corpo imenso
teço um colar de gritos e silêncios
a ecoar no som dos precipícios.
E tudo o que me dás eu te devolvo.
E fazemos de novo, sempre novo
o amor total dos deuses e dos bichos.

Rosa Lobato Faria,in "Dispersos"




Mariavaicomasoutras disse...

Lucy, tudo o que te dou tu o devolves a mim, porque será?

"Sei lá a Vida Tem Sempre Razão"


"Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída
Como é por exemplo que dá pra entender
A gente mal nasce e começa a morrer
Depois da chegada vem sempre a partida
Porque não há nada sem separação

Sei lá, sei lá
A vida é uma grande ilusão
Sei lá, Sei lá
A vida tem sempre razão

A gente nem sabe que males se apronta
Fazendo de conta, fingindo esquecer
Que nada renasce antes que se acabe
E o sol que desponta tem que anoitecer
De nada adianta ficar-se de fora
A hora do sim é o descuido do não

Sei lá, sei lá
Só sei que é preciso paixão
Sei lá, sei lá
A vida tem sempre razão"

(Vinicius de Moraes)

Anónimo disse...

Em Fevereiro de 2014, o Twitter passa a ser reformulado, ficando mais moderno, e a opção conectar é extinta, dando lugar as notificações, a rede passa a ficar quase idêntica ao Facebook

Algumas empresas mundiais estão proibindo o uso do Twitter, pois a limitação de 140 caracteres é supostamente prejudicial para um jornalismo de qualidade

Além disso, o escritor, roteirista, jornalista, dramaturgo e vencedor de um prêmio Nobel de Literatura, José Saramago fez uma dura crítica ao Twitter dizendo: "Os tais 140 caracteres reflectem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido"

Lucy disse...

Maria,as nossas vidas se cruzaram com poesia!

"Tenho Tanto Sentimento

Tenho tanto Sentimento
que é frequente persuardir-me
de que sou sentimental,
mas reconheço,ao medir-me,
que tudo isso é pensamento,
que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
uma vida que é vivida
e outra vida que é pensada,
e a única vida que temo
é essa que é dividida
entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
e qual errada, ninguém
nos saberá explicar,
e vivemos de maneira
que a vida que a gente tem
é a que tem de pensar.

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"


+++++

Eu penso em ti...

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,
Vidas cruzadas e de pensamento conexo,
"Caminharemos de Olhos Deslumbrados"

Caminharemos de olhos deslumbrados
E braços estendidos
E nos lábios incertos levaremos
O gosto a sol e a sangue dos sentidos.

Onde estivermos, há-de estar o vento
Cortado de perfumes e gemidos.
Onde vivermos, há-de ser o templo
Dos nossos jovens dentes devorando
Os frutos proibidos.

No ritual do verão descobriremos
O segredo dos deuses interditos
E marcados na testa exaltaremos
Estátuas de heróis castrados e malditos.

Ó deus do sangue! deus de misericórdia!
Ó deus das virgens loucas
Dos amantes com cio,
Impõe-nos sobre o ventre as tuas mãos de rosas,
Unge os nossos cabelos com o teu desvario!

Desce-nos sobre o corpo como um falus irado,
Fustiga-nos os membros como um látego doido,
Numa chuva de fogo torna-nos sagrados,
Imola-nos os sexos a um arcanjo loiro.

Persegue-nos, estonteia-nos, degola-nos, castiga-nos,
Arranca-nos os olhos, violenta-nos as bocas,
Atapeta de flores a estrada que seguimos
E carrega de aromas a brisa que nos toca.

Nus e ensanguentados dançaremos a glória
Dos nossos esponsais eternos com o estio
E coroados de apupos teremos a vitória
De nos rirmos do mundo num leito vazio.


Ary dos Santos, in 'Liturgia do Sangue'

Lucy disse...

Maria, contigo serão sempre as
"Noites Loucas"

"Noites Loucas
Estivesse eu contigo
Noites loucas seriam
Nosso luxuoso abrigo!

Para coração em porto
Ventos são coisas fúteis
Bússolas dispensáveis
Portulanos inúteis!

Navegando em pleno Éden
Ah, o mar!
Quem dera, esta noite em ti ancorar!

Emily Dickinson

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,
depois de noites loucas ficaste ancorada em mim:

Ancorada em mim
(Katia Guerreiro)

Mais forte que a ventania
Vieste com a maresia
Amor sem berço nem fim

Foste o mar e o veleiro
Muito mais que um mundo inteiro
Ficaste ancorado em mim
Foste o mar e o veleiro
Muito mais que um mundo inteiro
Ficaste ancorado em mim

Nem tormentos nem naufrágios
Nem os mais negros presságios
Mudam as cores deste mar

Só eu conheço os segredos
Só eu navego sem medos
Nas águas do teu olhar
Só eu conheço os segredos
Só eu navego sem medos
Nas águas do teu olhar

Gaivotas de voo rasante
Vão trazendo a cada instante
Noticias de outras marés


Que me importam outras ilhas
Se eu descobri maravilhas
No fundo do meu convés
Que me importam outras ilhas
Se eu descobri maravilhas
No fundo do meu convés

http://videos.sapo.pt/Ru8ssCpC88OB4h4f7iag

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,
depois de noites loucas ficaste ancorada em mim:

Ancorada em mim
(Katia Guerreiro)

Mais forte que a ventania
Vieste com a maresia
Amor sem berço nem fim

Foste o mar e o veleiro
Muito mais que um mundo inteiro
Ficaste ancorado em mim
Foste o mar e o veleiro
Muito mais que um mundo inteiro
Ficaste ancorado em mim

Nem tormentos nem naufrágios
Nem os mais negros presságios
Mudam as cores deste mar

Só eu conheço os segredos
Só eu navego sem medos
Nas águas do teu olhar
Só eu conheço os segredos
Só eu navego sem medos
Nas águas do teu olhar

Gaivotas de voo rasante
Vão trazendo a cada instante
Noticias de outras marés


Que me importam outras ilhas
Se eu descobri maravilhas
No fundo do meu convés
Que me importam outras ilhas
Se eu descobri maravilhas
No fundo do meu convés

http://videos.sapo.pt/Ru8ssCpC88OB4h4f7iag

Anónimo disse...

e essa azeitona esta ou não esta boa para ir para o lagar? se não esta toca a macerar a azeitona para deitar o suco de ouro:)

gostei do comentário o do Gottfried Hammer la mais atras. Inteligente.

Lucy disse...


O Fim da Noite

A nossa história é simples: somos
neste momento todo o amor na terra
e nada mais importa, senão
o que sou, verdade em ti,
o que és, verdade em mim.
Por isso este poema talvez não seja
mais do qe um silêncio pela noite,
nem verso, nem prosa,só
uma oração ao deus desconhecido.

Não é talvez senão o teu olhar,
e a tua esquiva mágoa,
e teu riso e tuas lágrimas.
E o apelo dentro de mim
ao milagre de nos queremos,
com a mágoa e com o riso,
- e teu olhar que vê em mim.

Não sei pedir, só sei esperar.
Mas já houve o milagre. Estava agora comigo ao longo das ruas, que antes
eram só casas de pálpebras cerradas.

Estava no silêncio,que antes era mortal.
E tu, sem saber, estavas comigo.
E sem eu saber de súbito na treva
buliram assas
e sem eu saber já era dia.

Adolfo Casais Monteiro

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,
o dia chegou, mas:

"Não te Fies do Tempo nem da Eternidade"

Não te fies do tempo nem da eternidade
que as nuvens me puxam pelos vestidos,
que os ventos me arrastam contra o meu desejo.
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te vejo!

Não demores tão longe, em lugar tão secreto,
nácar de silêncio que o mar comprime,
ó lábio, limite do instante absoluto!
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te escuto!

Aparece-me agora, que ainda reconheço
a anêmona aberta na tua face
e em redor dos muros o vento inimigo...
Apressa-te, amor, que amanhã eu morro,
que amanhã morro e não te digo...

Cecília Meireles, in 'Retrato Natural'


Bom fim de semana
Beijinho

Lucy disse...

Maria,queria
Estar Contigo ao Acordar

Estar contigo ao acordar, ver como
se abrem as tuas pálpebras,cortinas
corridas sobre o sonho, sacudir dos
teus lábios o silêncio da noite para que um primeiro riso me traga o dia;
assim,amor reconheço a vida que
entra contigo pela casa, escancarra
janelas e portas, deixa ouvir os pássaros
e o vento fresco da manhã, até que voltas para junto de mim, e tudo recomeça.

Nuno Júdice







Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,

Poema Anjo
Banda Eva

Hoje eu acordei mais cedo
E fiquei te olhando dormir
Imaginei algum suposto medo
Para que tão logo
Pudesse te cobrir

Tenho cuidado de você
Todo esse tempo
Você esta sob o meu abraço
E minha proteção
Tenho visto você errar e crescer
Amar e voar
Você sabe onde pousar

Ao acordar já terei partido
Ficarei de longe, escondido
Mas sempre perto decerto
Como se eu fosse humano, vivo
Vivendo pra te cuidar, te proteger
Sem você me ver
Sem saber quem sou
Se sou anjo
Ou se sou
Seu amor

https://www.youtube.com/watch?v=DEaRN5SPI4U

Lucy disse...

Maria,

Quantas Vezes te Digo

Quantas vezes te digo
quantas vezes...
que és para mim
o meu homem amado?

O que chega primeiro
e só parte por vezes
antes de perceber
que já tinhas voltado

Quantas vezes te digo
quantas vezes...
que és para mim
o meu homem amado?

Aquele que me beija e me possui
me toma e me deixa
ficando a meu lado

Quantas vezes te digo
quantas vezes...
que és para mim
o meu homem amado

Que sempre me enlouquece
e só aí percebo
como estava perdida
sem te ter encontrado

Maria Teresa Horta

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy.

A Carta Que Eu Nunca Te Escrevi
Boss AC
Desde o começo, não sei quem és, no fundo não te conheço
Se calhar sou o culpado, se calhar até mereço
Quis confiar em ti mas não deixaste, tu não quiseste
Imagino as coisas que tu nunca me disseste
Ás vezes queria ser mosca e voar por aí, pousar em ti
Ouvir o que nunca ouvi, ver o que nunca vi, nem conheci
Saber se pensas em mim quando não estás comigo
Será que és minha amiga como eu sou teu amigo?
Será que falas mal de mim nas minhas costas?
Há coisas em ti que tu não mostras ou já não gostas?
Quantas vezes te pedi para seres sincera, quem me dera
Imagino tanta coisa enquanto estou á tua espera
Apostei tudo o que tinha saí a perder, sem perceber
Surpreendido porque quem pensei conhecer
Sem confiança a relação não resiste, o amor não existe
Quando mentiste, não fiquei zangado mas triste

A carta que eu nunca te escrevi
A carta que eu nunca te escrevi

Não peço nada em troca, apenas quero sinceridade
Por mais crua e difícil que seja, venha a verdade
Será que me enganas? Será que chamas a outro o que me chamas?
Será que é verdade quando me dizes que me amas?
Será que alguém te toca em segredo? Será que é medo?
Será que para ti não passo de mais um brinquedo?
Será que exagero? Será que não passa de imaginação?
Será que é o meu nome que tens gravado no coração? Ou não?
Eu sou a merda que vês mas ao menos sabes quem sou
E sabes que tudo o que tenho é tudo aquilo que te dou
Nunca te prometi mais do que podia
Prefiro encarar a realidade a viver na fantasia

A carta que eu nunca te escrevi
A carta que eu nunca te escrevi

Também te magoei mas nunca foi essa a intenção
E acredita que ver-te infeliz partiu-me o coração
Mas errar é humano e eu dou o braço a torcer
Reconheço os meus erros e sei que já te fiz sofrer
Porquê que não me olhas nos olhos quando pedes perdão?
Será por saberes que neles vejo o reflexo do teu coração?
E os olhos não mentem quando a boca o faz
E se ainda não me conheces então nunca conhecerás
Serás capaz de fazer o que te peço?
Desculpa-me ser mal educado quando stresso
Assim me expresso, sou frio e praguejo em excesso
Se conseguíssemos dialogar já seria um progresso
A chama enfraquece sinto que está a morrer aos poucos
Porquê que é assim? Será que estamos a ficar loucos?
Acho que nunca soubeste o quanto gostei de ti
Esta é a carta que eu nunca te escrevi

A carta que eu nunca te escrevi
A carta que eu nunca te escrevi

https://www.youtube.com/watch?v=KEfMy-qkWWg

Lucy disse...

Em homenagem ao
Joe Cocker
Maria,
You are so beautiful

You are so beautiful to me
You are so beautiful to me
Can't you see
You're everthing I hoped for
You´re everthing I need
you are so beautiful to me

Such joy and happiness you bring
Such joy and happiness you bring
Like a dream
A guiding light that a shines in the night
Heavens gift to me
You are so beautiful to me

A guiding light that shines in the nigth
Heavens gift to me
You are so beautiful to me

https://www.youtube.com/watch?v=w|Dms|yGmGI

Mariavaicomasoutras disse...

Obrigado Lucy,mas...e agora?
E AGORA?
Mikkel Solnado feat. Joana Alegre

O que foi feito de ti
Eras perfeita em mim
Será que foste tentar encontrar
Que te foste libertar

Esperei tanto por ti
E caiu-me um manto em mim
Será que te perdeste a caminhar
Ou foi só para me castigar

E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti

Corri o mundo por ti
Mas o mundo correu sem mim
Será que tu partiste para além mar
Só para me abandonar

E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti

Não fiques para trás meu bem
Não quero que te percas por aí
Nesta selva de betão
É só confusão

E agora, será que te perdi
E agora, se terminar aqui
O que será de mim, sem ti

https://www.youtube.com/watch?v=J6l8IJyki_Q


Feliz Natal Lucy e para ti Patife um grande abraço.

Lucy disse...

Querida Maria,
"As Time Goes By

You must remember this
A kiss is just a kiss
A sigh is just a sigh
The fundamental thing apply
As time goes by

And when two lovers woo
They still say, "I love you".
On that you can rely
No mater what the future brings
As time goes by.

Moonlight and love songs
Never out of date.
Hearts full of passion
Jealousy and hate.
Woman needs man
And man must have his mate
That no one can deny.

It's still the same old story
A fight for love and glory
A case of do or die.
The world will always welcome lovers
As time goes by

https://www.youtube.com/watch?v=zaAq2e81y4Y

*****

Maria,
com muito amor te desejo que 2015 te dê o que precisas.
Beijo Doce

*****

Patife,
nesta época toda a gente te deseja:
Paz, saúde e amor e não sei mais o quê, bla, bla, bla... chega de farsas e discursos!!
O que te desejo, de todo o coração é que tenhas:
Relações sexuais incriveis!
Orgasmos inesqueciveis!
Sexo...Muito!
Que trabalhes metade e te paguem o triplo!
Mil noites de prazer!
Festas com os amigos!
Que te saia o euromilhões!
Que inaugures uma casa nova!
Que compres um Mercedes novo!
Que tenhas grandes alegrias e nos venhas visitar no espaço que é teu.
Bom Ano!
Lucy






Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,
fim de ano...faltam-me as palavras e o tempo conta de forma decrescente por isso em ...fim de ano.

https://www.youtube.com/watch?v=8iZwWKwA_Lg

Lucy disse...

Maria Querida,esta é a
Canção da Minha Tristeza

Meu coração não está nas largas avenidas
nem repousa à tarde, para lá do rio.
Nada acontece. Nada. Nem ao menos, tu
virás despentear os meus cabelos.

Nem, ao menos,tu,neste tempo de angústia
vens dizer o meu nome ou cobrir-me de beijos.
Ah, meu coração não está nas largas avenidas
nem repousa à tarde para lá do rio.

A cidade elouquece os meus olhos de pássaro.
Eu recuso as palavras. Sei o nome da chuva.
Quero amar-te, sim. Mas tu hoje não voltas.
Tu não virás, nunca mais, ó minha amiga.

Nada acontece. Nada. E eu procuro-te
por dentro da noite com mãos de surpresa.
Meu coração não está nas largas avenidas
nem repousa à tarde para lá do rio.

E tu longe, longe. Onde estás meu amor,
que não vens despentear meus cabelos?
Eu quero amar-te. Mas tu hoje não voltas.
Tu não virás, nunca mais,ó minha amiga.

Joaquim Pessoa, in "Canções de Ex-Cravo e Malviver"

Mariavaicomasoutras disse...

Lucy,

Não sejas tão radical
Não me vês nem tão pouco me sentes
A minha ausência é coisa dura
Sinto que anseias a minha presença
logo que ultrapasse uma luta intensa
que por ora me amargura
voltarei com mil palavras presentes
verás que estou aqui afinal.
Nosso amor não poderá acabar
enquanto palavras houver
apenas tens que esperar
volto assim que puder...

Beijo amigo com muito carinho
Mariavaicomasoutras

Lucy disse...

Maria,

Uma Rima para Ti

Em versos rimados, beijos roubados
Cartões guardados, sonhos empoeirados
Abraços apertados, sorrisos escancarrados
Mãos entrelaçadas, promessas renovadas
Será que já te disse alguma vez
Que te amo sem rimar?
É mal de poeta, quer impressionar.

Autor Desconhecido

Linda Porca disse...

Onde andas tu, Patife?

Anónimo disse...

agradeço a sugestão ;)

S* disse...

Oh Patife, que saudades!

Anónimo disse...

Clap, clap, clap!

Meninas Mulheres disse...

Eu, particularmente, não sei se hei-de pensar que é um ordinarão ou se tem piada... Mas, pela minha vontade de ler o que publica, penso que lhe acho piada... E muita!
M.M.

Anónimo disse...

medoooo de... as curtas são curtas mas fortes e verdadeiras, né? é pores uns saltinhos altos para ficares assim estilo Dakota Johnson na versão portuguesa;)

Anónimo disse...

uma curtinha, curtinha :)

Making love with you
Is like drinking sea water.
The more I drink
The thirstier I become,
Until nothing can slake my thirst
But to drink the entire sea.

The Love Poems of Marichiko: VII