segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Trabalhar por cona própria


Há já algum tempo que não ia a uma festa organizada pelo meu amigo Xerife. Se há coisa que o gajo sabe é organizar festas, que é como quem diz, encher o antro com esgrouviadas da senisga que, todas misturadas, prometem originar um cocktail de javardice a todos os títulos de louvar. Engalanei-me e lá fui a destilar tesão para a festa repleta de pachacha dondoca. Contudo, ou fiquei demasiado exigente, ou o Xerife ficou com os bifes do lombo só para ele e partilhou apenas as peças de qualidade inferior. Aquilo estava apinhado de mulheres desenxabidas. Assim que entrei senti umas largas dezenas de pares de olhos a comerem-me. Não as condeno. Estavam todas a trabalhar por cona própria. Mas eu não me queria apropriar de nenhuma daquelas pachachas. Encosto-me na varanda a beber à bruta quando, nas minhas costas, ouço uma dondoca dizer que estava com cieiro. E foi aqui que se fez luz. Enchi-me de alento, pois sempre acreditei que o cieiro é a doença do cio e tinha agora uma oportunidade de ouro para testar a minha teoria. Virei-me e é aí que a vejo toda altiva e de sublime beleza. Estava pronto para começar a arte do engate mas nem precisei de usar a minha lábia. Apenas usei a lábia dela. Aliás, levei-a mais depressa para o quarto de hóspedes do que o tempo que demora a soletrar a palavra lábia. Confirmou-se assim o cieiro como a doença do cio. Aquilo foi uma genuína parada de orgasmos. Deitei-me satisfeito pela confirmação da teoria e a congratular-me por ter encontrado uma mulher assim no meio de toda a feiura presente. Não só encontrei uma autêntica agulha num palheiro como ainda consegui enfiar-lhe o Pacheco no buraco.

45 comentários:

L.O.L. disse...

Conseguiste enfiar a agulha no buraco????
ahahahahahahahahahahahahah:))))

nAnonima disse...

espero bem que não tenhas estragado o Pachequinho no meio desses lábios todos rebentados, ou que te rebenta a ti sou eu!!!

L.O.L. disse...

Isso mesmo nAnonima. Dá-lhe!!! lolololololol!!!

Kapikua disse...

A fama já te leva a festas do Social!!! ;)

Qualquer dia estás a partir a Maya!

Grande abraço!

Patife disse...

L.O.L.:
Todo e qualquer pulha sabe onde enfiar a sua agulha. ;)

nAnónima:
O Pacheco gosta muito de brincar ao rebenta a bolha. Nada o rebenta. E muito pouca chona se aguenta. ;)

Kapikua:
Acabaste de me fazer perder o tesão durante as próximas horas. ;)

L.O.L. disse...

Patife
Olha que a Maya é o traço. lololololololololololololol=))))))

L.O.L. disse...

*um traço (quis eu dizer)
:P

Patife disse...

L.O.L.:
É mais uma esfera: Não tem ponta por onde se lhe pegue. ;)

Malena disse...

O teu batôn é polivalente? Também tira cieiro? :P

Patife disse...

Malena:
O Pacheco não tira, antes põe a doença do cio a toda a gente. Mas sim. É polivalente, que como toda a gente sabe é poligâmico e valente. ;)

L.O.L. disse...

És mesmo um grande patife. Eheheheheheh=)))

Maria D Roque disse...

O bâton agora é outro....

Kalimero disse...

Não trabalhamos todos por cona própria?

Patife disse...

L.O.L.:
O Pacheco consegue ser maior. ;)

Maria B Roque:
Não há baton no mercado mais eficaz que o Pacheco para tratar a doença do cio. ;)

Kalimero:
Eu cá trabalho sempre por cona alheia. ;)

nAnonima disse...

É portanto um destruidor de Chonas... certo?

Patife disse...

nAnónima:
Destruir é um bocado forte, vá. Não destrói. Mas molda-as. ;)

nAnonima disse...

E tens o Certificado e cumpres as Normas Europeias???

*Leila* disse...

Patife...és o meu idolo...ora....encontraste a cura para o cieiro.Sinto-me grata assim,saber que não sou a única a usar baton :D

*Leila*

Yugo disse...

AHAHAHAHAHA. Foda-se, és genial!!

Patife disse...

nAnónima:
Tenho o Certificado de Qualidade e Quantidade Fálica mas não cumpro norma alguma, tirando as minhas. ;)

*Leila*:
Se o cieiro bater à porta, é só lamber a minha torta. ;)

Yugo:
Isso é quando me esfregam aqui a lamparina. ;)

nAnonima disse...

Com Amor...

Não quero ser a último a comer-te

Não quero ser a última a comer-te.
Se em tempo não ousei, agora não pode ser tarde.
Não derramarei uma gota quando estiver a beber-te
aplacarei esta sede que arde

em minha boca seca de querer-te,
de desejar-te tanto e com alarde,
fome que sofro em não comer-te
assim és pasto de tantas, e eu covarde

a esperar que limpasses todo o mel
que por teu corpo e alma ainda resvala,
e chegasses imaculado no teu pincel

para travar comigo a luta extrema
que fizesse de toda a nossa foda
um chamejante, universal poema.

CDAndrade (que me perdoe)

nAnonima disse...

* a última!!!! (Porra)

S* disse...

Custou, mas chegou lá.

desejo disse...

Oh, e eu que não me dou sem usar o baton do cieiro.
Partes-me a rir, raio de Patife.
As dondocas são todas feias?
Deve ser por pensar que os homens não admiram as mulheres dondocas , que eu não sou, mas feia um pouquito (há muito por descobrir numa mulher feia, Patife).

:) desejo

Patife disse...

nAnónima:

Ele perdoa. E não precisas de ser a última. Basta seres a próxima. ;)

S*:
O Pacheco, dado o seu tamanho, chega sempre lá. ;)

desejo:
Aquelas eram desenxabidas, o que é grave. As mulheres mais sensuais com que já pinei não primavam pela beleza. Da mesma forma que as possuidoras de maior "beleza socialmente estabelecida" não eram as melhores na cama. Todas essas características concentradas numa só pessoa só me conheço a mim. ;)

nAnonima disse...

ok. seco.

Patife disse...

nAnónima:
Isso é um jogo? Ok, vou arriscar. Molhada. ;)

nAnonima disse...

Diabo, ganhas-me sempre! :)

POC disse...

Quando aqui entro e leio o texto do dia, sinto-me desarmado.

É como estar prestes a atingir o clímax e a Odete Santos chamar-me para lhe dar carinho.

É querer escrever algo interessante e ver que o Patife já o fez.
É achar que mais vale fechar o tasco, porque a concorrência não dá hipótese.

Patife, espero que o Pacheco continue a desbravar caminho.

Sufocada disse...

Cieiro, doença do cio han?
Isto foi realmente genial, fosse eu a responsável e merecias um prémio!

Pat. disse...

Não sei o que é cieiro, mas independente, continuas com um humor incrível em meio as tuas aventuras! ;)

Impossível não sorrir lendo teus posts.

Boa Semana!
Beijinhos

G. disse...

É a primeira vez que comento pq quando começo a ler não paro de rir. Grande criatividade!

Agora compreendi pq ando ultimamente com muito cieiro.
Explicadíssimo!!! ;)

MS disse...

Tens noção do que acabaste de fazer?
Agora sempre que uma colega minha chegar ao pé de mim e disser que está com cieiro, ou tenho um ataque de riso ou então um ataque de tesão! ;)

Patife disse...

nAnónima:
Estou habituado a ficar por cima. E por baixo. E por trás. ;)

POC:
Quem não dá hipótese é o Pacheco. Eu sou apenas parvo. ;)

Sufocada:
O Pacheco ouviu falar em prémio e ergueu logo a cabeçorra na ânsia de o receber. Desculpai-o. Ele sabe muito bem o que faz. ;)

Pat.:
Ora cieiro é aquela coisa que deixa os lábios gretados sob o efeito do frio ou de ácidos. Também há outra coisa que deixa os lábios inferiores gretados, mas isso é o Pacheco sob o efeito do calor. ;)

G.:
Ora aí está. Fico sempre tão comovido quando consigo dar uma explicação útil para as dúvidas das pessoas. ;)

MS:
É reconfortante saber que torno os dias das pessoas um pouco mais divertidos. ;)

nAnonima disse...

Pois, meu querido Patife, eu só queria (quero e quererei) que fiques DENTRO! :))))
eheheheheh!

beijinhos da tua eterna (e parva) apaixonada.

Pedro Ferreira disse...

É arrombar com elas! ;)

filomena disse...

És sempre tão inspirador!
Nunca pensei que o cieiro tivesse um tratamento desses

Patife disse...

nAnónima:
Guelra à vista, guelra adentro. ;)

Pedro Ferreira:
Tenho uma bela marreta, lá isso é verdade. ;)

filomena:
Não há mal que sempre dure e não há mal que o Pacheco não cure. ;)

Felina disse...

Ahahahahahah...ups... desculpa tenho de ir ao WC... esta incontinência cronica só me deixa ficar mal...

G. disse...

Li por aí que o "Pacheco" vai começar a pagar impostos. a partir de 1 de Janeiro de 2013!


"As razões pela ausência de imposto seria pelo facto de 99% do tempo estarem pendurados e sem emprego, 0,2% do tempo trabalharem às mijinhas, 0,5% do tempo terem trabalho duro e 0,3% do tempo estarem metidos num buraco.
Além disso, não ajuda nada ter dois dependentes que não arranjam TRABALHO EM LADO NENHUM E NÃO TÊM ONDE SE METER.

A partir d'agora a taxa de imposto irá variar conforme o respectivo tamanho, com os seguintes escalões como a tabela indica:

25 a 30 cm - imposto sobre bens de luxo...... € 300.00
20 a 24 cm - imposto sobre postes............... € 250.00
14 a 19 cm - imposto sobre a classe média....€ 150.00
10 a 13 cm - imposto sobre a maçada...........€ 30.00"
(◕‿◕)

@PENSADO E ESTRUTURADO POR ► JOTA ENE ◄




Patife disse...

Felina:
É sempre bom saber que te deixo as cuecas molhadas. ;)

G.:
É muito bem visto. Mas o meu bem de luxo não paga imposto. Até porque 90% do tempo o tenho posto. Ah... e os dependentes têm sempre onde se meter. ;)

Clint disse...

Abaixo o trabalho precário...
Como diria uma grande fadista:
- Anda Pacheco!

Patife disse...

Clint:
É mais "Manda Pacheco". ;)

Daniela disse...

"Estavam todas a trabalhar por cona própria. Mas eu não me queria apropriar de nenhuma daquelas pachachas. Encosto-me na varanda a beber à bruta quando, nas minhas costas, ouço uma dondoca dizer que estava com cieiro. E foi aqui que se fez luz. Enchi-me de alento, pois sempre acreditei que o cieiro é a doença do cio e tinha agora uma oportunidade de ouro para testar a minha teoria."

"(...)nem precisei de usar a minha lábia. Apenas usei a lábia dela."

Oh pah, muito bom. Gosto do teu blog e da forma como as coisas são abordadas!

Patife disse...

Daniela:
Olha que coisa boa de se ler logo pela fresca. A fresca que agora tenho na cama também gostou da forma como a coisa dela foi abordada pelo Pacheco. ;)