quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Fittipaldi da canzana


Era elegante e graciosa, com uma essência feminina assinalável, e cantava jazz como uma sereia contemporânea. Mas também tinha umas mamas generosas. Dirão as más-línguas que foi esse o único motivo que me fez engatá-la e levá-la para casa. E estarão cobertas de razão. Tão cobertas como ficaram as mamas dela pela nhanha aqui do Pacheco. Mas confesso que a voz também ajudou. Foi, por isso, com alguma dose de estranheza que reparo que na cama a magana não emitia um único barulho. Depois de décadas a pinar como gente grande foi a primeira vez que uma sardanisca não me desatou a gemer de forma histriónica como se estivesse com um coqueiro entre as pernas, o que, convenhamos, não andará muito longe da realidade. Esta deve ter vindo com silenciador, pensei. É nesse momento que me armo em Fittipaldi da canzana e lhe meto a quinta a fundo, aumentando o ritmo de bombada para a red zone das rotações pélvicas. Ela mordia os lábios, o rosto ia aumentando de tonalidade de vermelho, o corpo trepidava como se estivesse a ter um ataque epilético, mas, foda-se, que nem um gemido saía daquela boquinha. E já nem queria saber de atingir um orgasmo. Naquele momento o meu objectivo de vida passou a ser apenas um: Conseguir que a magana soltasse um mísero sonzinho que fosse. Sou um pouco como as crianças. Quando não consigo uma coisa não resisto a esgotar todas as possibilidades para descobrir o que se passa e dar a volta à questão. Invade-me sempre um pensamento Proustiano e assemelho-me a esses miúdos que desmontam um despertador para saber o que é o tempo. Por isso tive de inspecionar de perto. Tirei-lhe a jiboia de dentro das guelras e lancei-me nas artes do abocanhamento. Invisto com técnicas aprimoradas e devidamente comprovadas por centenas de pachachas lambuzadas e esta sirigaita continuava sem um único espasmo vocálico. Fulo da vida e prestes a desistir, é aqui que me revolto. Afasto o meu corpo do corpo dela e penso alto, soltando inadvertidamente um desapontado mas nada ofensivo: PUTA!. Haviam de ver: o corpo dela explode, soltando o acumular do prazer pelas refinadas técnicas nela investidas nas últimas horas e começa numa sucessão de uivos articulados com impropérios profundamente ordinários e por isso impróprios de serem reproduzidos neste espaço. Eu fiquei impávido a observar o descontrolo orgástico da moça, todo altivo e de peito cheio a olhar de longe com superioridade, satisfeito por ter conseguido desvendar o enigma. Ao vê-la a ter um orgasmo assim, recordei então uma pérola literária do Miguel Esteves Cardoso que legendaria este momento na perfeição: “E conseguir vir-se no vácuo, a grande puta”.

44 comentários:

Uma Rapariga Simples disse...

Já é quinta-feira?

Logo mais leio, agora vou entupir-me de cafeína e inspirar o ar fortemente carregado de fumo de pinhais ardidos.

Ulisses L disse...

LOL

Do MEC lembro-me mais do:

(...)
Ela: «Mais! Chama-me mais! Trata-me mal que eu venho-me!»
Eu, de cabeça igualmente perdida, incapaz de encontrar mais
sinónimos, ou nomes ainda mais reprováveis, limito-me a um
simples e pouco significativo: «Puta!»
Pára tudo.
Pronto. Já ninguém nesta casa se vai vir.
Ela diz: «Não; isso não.»
Eu, verme: «Desculpa...»
«Não», repete, começando a arranjar a roupa, «Isso é que
não.»
Está mais composta do que no momento em que meti conversa
com ela. O sorte.
(...)

(digamos que adoro esta pérola da literatura Portuguêsa

:)

Kapikua disse...

Como diria o Engenhocas em "O Pátio das Cantigas": Tu havias de dar com a coisa...

Grande abraço

nAnonima disse...

Soneto de Todas as Putas

Não lamentes, oh Nise, o teu estado;
Puta tem sido muita gente boa;
Putíssimas fidalgas tem Lisboa,
Milhões de vezes putas têm reinado:

Dido foi puta, e puta dum soldado;
Cleópatra por puta alcança a c'roa;
Tu, Lucrécia, com toda a tua proa,
O teu cono não passa por honrado:

Essa da Rússia imperatriz famosa,
Que inda há pouco morreu (diz a Gazeta)
Entre mil porras expirou vaidosa:

Todas no mundo dão a sua greta:
Não fiques, pois, oh Nise, duvidosa
Que isto de virgo e honra é tudo peta.

Bocage (o teu amigo ;)

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Tens noção que vou passar o dia a imaginar-te de farda de bombeira, não tens? ;)

Ulisses:
É precisamente da mesma obra. Todo esse capítulo é digno do meu mais desconcertante gargalhar. ;)

Kapikua:
Foi de escafandro, mas enfim. São muitos anos a fazer viagens ao centro das guelras. ;)

nAnónima:
É sempre saudável reler as odes do génio do Bocage. Exalta-me o espírito do Pacheco. ;)

Queeny disse...

"É nesse momento que me armo em Fittipaldi da canzana e lhe meto a quinta a fundo, aumentando o ritmo de bombada para a red zone das rotações pélvicas". AHAHAHAHAHAHAHAHA.

És o rei da galhofa!!!!!

(Ela) disse...

Na minha terra costuma-se dizer: "Não há puta que me arreguenhe a beiça!" No caso, puta! propiciou o click que fez a menina espraiar o que tinha preso na garganta e a beiça dela não mais foi a mesma. Well done!

Always a pleasure!

Beijo d'(Ela)

Uma Rapariga Simples disse...

Uhh, que sexy! (cá entre nós, maangueiras só a de regar o jardim)

Já li, parece que "logo" já chegou, fiquei ali no Fittipaldi, lembrou-me uma série de poemas sobre carros do Daniel Maia-Pinto Rodrigues.

desejo disse...

ahahahahaha!
Querido Patife, "PUTA" dita com prazer, faz despoletar tudo o que de melhor há em nós, mulheres.
E tu sabes que essas palavras têm o seu encanto nestes enredos à Fittipaldi.

:)

Patife disse...

Queeny:
Galhofa: Meter o galho na alcofa. É certo que é o meu reino. ;)

(Ela):
Todos temos os nossos secret triggers. Mas não descanso enquanto não os encontro. ;)

Uma Rapariga Simples:
Tu dás o jardim, que eu trato da mangueira. ;)

desejo:
E eu que pensava que o que fazia despoletar o que de melhor há em vós era o tamanho do meu pincel. ;)

Sufocada disse...

Por momentos pensei que o Patife tinha perdido o jeito ;)

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Oh pah, conheço uma tipa assim.

Espasmos vocálicos, népia. E no orgasmo, digamos que os gemidos, sussuros e alguns "grunhidos" são imperceptíveis. Bom, atribuo esse facto às mulheres que têm orgasmos intelectuais.

SERÁ QUE É A MESMA ?
ANDAMOS A PAPAR A MESMA GAJA ?
BEM CAPAZ DISSO ERAS TU, E NÃO DIZER NADA :)

Mariavaicomasoutras disse...

Querido Patife, como eu gostava de ter um Pacheco como o teu, tipo fórmula 1...não tive, não tenho e nunca terei já que me habituei ao meu mini morris...só agora descobriste esse tipo de reaçao orgásmica? Pois sou mais velha e
PUTA não é mais do que Ponho-te o Utero Todo Abonado...claro que esta coisa é para quem está em idade fértil e espera por uma enchente de nhanha....

Aqui a "Maria" tem orgasmos intelectuais e carnais como tu mas a tua capacidade de nexpressão é de uma máquina com vinte bares...

Patife disse...

Sufocada:
Ahahahaha. Esperar por esse dia é como esperar pelo apocalipse já em dezembro de 2012. ;)

► JOTA ENE ◄:
É sempre possível sermos "eskimo brothers". Se assim for, brindemos. ;)

Mariavaicomasoutras:
Também tenho uma forte capacidade de impressão. Um nabo deste tamanho causa, não raras vezes, uma forte e inimaginável boa impressão. ;)

Mariavaicomasoutras disse...

Lá está tu ainda estás na fase de torrefação eu já estou moida(o)...que nesta coisa de expressão e de impressão o melhor é café num falte...
bota a fitipaldar magano...

Maria D Roque disse...

Patifaria em grande estilo

Patife disse...

Mariavaicomasoutras:
Sou um Fittipaldi por vocação. Já tenho a primeira engatada. ;)

Maria D Roque:
Em grande estilo foi a pinada de ontem à noite. ;)

Alien David Sousa disse...

"a jiboia " nada convencido lol

O meu comentário é simples: se começas logo a bombar em silêncio sem nada dizer a determinadas terrestres, muitas ficam constrangidas em se expressar verbalmente.

Ópa isto é básico, antes de o enterrares todo que nem um maluco, tenta perceber que tipo de terrestre tens na cama. Mais simples que isto é impossível!Após saberes o que tens entre os lençois ou na casa de banho, ou na praia, ou no elevador, ou no terraço...saberás utilizar as tuas extraordinárias técnicas de forma a obteres o que pretendes....terei feito algum sentido. Isto só para rematar que as humanas não são apenas um buraco com lábios lol Compreendes?

Saudações alienígenas ;)
Um beijo para o Jotazito...vi a sua careta aí em cima e não acredito que andem com a mesma gaja, shame on you JOTA, não saberes reconhecer que uma gaja é mais do que um buraco

S* disse...

O MEC sabe-a toda, mas tu tens mais pinta.

Patife disse...

Alien David Sousa:
O Patife sempre soube que as mulheres são mais que um mero buraco. São na verdade três maravilhosos buracos. Variedade ao poder. ;)

S*:
MEC, perdoai-lhe. Ela não sabe o que diz. ;)

(Tenho é definitivamente mais pica.)

Felina disse...

Quer dizer ... era uma gaja com orgasmo de gajo

nAnonima disse...

Ai Patife, Patife...

Patife disse...

Felina:
Oh diabo! Os gajos com que pinas não emitem barulhos? Palavra que considero isso profundamente doentio. ;)

nAnónima:
Eu dou-te os ais. ;)

Guga disse...

Hmmmmmmmmmm. Deixas-me com água na boca!

Felina disse...

Não emitem barulhos porque normalmente estão amordaçados e algemados

nAnonima disse...

Mentes, meu vil Patife! Mentes, com quantos pentelhos tens nesses entrefolhos!

Malena disse...

A culpa é tua! Afinal ela vem-se com palavras, porra! :D

PinUp Me disse...

Um grande PUTA na hora certa pelos vistos resolve a questão!
Tu começa a passar palavra homem!!! Muitos irão descobrir o 3º segredo de Fátima agora :P

Patife disse...

Guga:
Normalmente não é água que costumo deixar-lhes na boca. ;)

Felina:
Ah bom. isso já acho profundamente saudável. ;)

nAnónima:
Nesse caso não minto, pois neste momento não tenho quaisquer pentelhos nos entrefolhos. ;)

Malena:
Raispartam as palavras, que me retiram protagonismo ao Pacheco. ;)

PinUp Me:
Ahahahahah. Ámen. Passo a palavra e o prazer. É como se fosse um objectivo de vida. ;)

nAnonima disse...

ahahah! Apenas com provas irrefutáveis, poderia acreditar em ti, mas não vejo por aqui nenhum anexo .jpeg :):) :)

Bom fim de semana, Patifão :)

Patife disse...

nAnónima:
E vem-me à memória uma frase aqui batida: "O exílio do imaginário é uma espécie de longa insónia". ;)

nAnonima disse...

lembro-me perfeitamente dela :)

(bates, bates, mas não é na frase ;)

AC disse...

Isso não é o Ferrari da canzana é o carro do kit, pisca uma luzes, fala e faz barulhos estranhos...

Uma só palavra provoca uma torrente de argumentos!

Flor disse...

Para algumas é preciso ter o dom da palavra, patife!! ;)

eu sou assim disse...

Apesar de preferir o Senna das pranchadas há que saber respeitar esse adversário de valor! :-)

Alien David Sousa disse...

Épa, foi isto que o Jota me mandou vir ler? A tua grande resposta?

Como lhe disse gostei do teu blog e vou a outros que fazem este corar. Acho que as minhas piadas não devem ser bem compreendidas e eu não ando aqui para me chatear.

Respondi isto ao JOTA que graciosamente disse para vir ler a tua respsta espectacular:

"Jota

Parece que não entendeste o meu comentário, estava mais a gozar com tudo do que a criticar seja o que for. A minha piada mantenho-a ; as mulheres não são apenas um buraco!!!!!!"


Saudações alienígenas

Patife disse...

nAnónima:
O Pacheco manda dizer que quanto mais lhe bates mais ele gosta de ti. ;)

AC:
Um só Pacheco também. ;)

Flor:
Ainda assim prefiro ter o Dom Pichote. ;)

eu sou assim:
O Fittipaldi era mais agressivo nas curvas. Usava menos travões. Na canzana não há travagens. ;)

Alien David Sousa:
Eu percebi caro Alien e respondi no mesmo tom jocoso. Que elas são mais que um buraco: são três. Mas já toda a gente sabe que o Patife fala mais do que fode. O que é uma chatice porque fode muito. ;)

P.s: Felizmente que até são bem mais que três buracos. São três buracos com uma mente cheia de fantasias sexuais por desbravar. ;)

Luis Bento disse...

Estive ausente da blogosfera durante quase seis meses, mas ainda bem! A esta distância consegui aperceber-me do salto qualitativo e da consolidação da tua escrita. Uma escrita com ritmo , uma ironia fina de mãos dadas com o mais brutal sarcasmo e tudo isto acompanhado duma selectiva escolha de palavras que nos prende até ao fim. Consegues usar o vernáculo com tal mestria que ele perde a sua carga de vulgaridade e ganha uma preciosa carga literária. Definitivamente, e desde há muito tempo, que esta escrita já merece outros públicos mais vastos, outros suportes... livros, e-books ou televisão...Não seria favor nenhum ver-te no 5 para a meia noite, por exemplo...Em frente é que é o caminho. Parabéns.

A Chata disse...

Tifinho, continuas com grande dedo para as mulheres ;)

Patife disse...

Luis Bento:
Ena pá. Quase me fazes corar, homem. Por acaso ontem comi cinco lá para a meia noite. Mas por vezes, por trás é que é o caminho. ;)

A Chata:
Ahahahahaha. Grande dedo e grande nabo. É uma parelha digna de resgito. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

O jardim tem de ser tratado ou pode estar em estado selvagem? É que não me apetece nada ir agora pegar no corta-relva. :/

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Não precisas de pegar no "corta-selva". Mas um jardim tratado tem outro encanto. ;)

Uma Rapariga Simples disse...

Eu sei, ou não tivesse eu já sido conhecida em alguns sítios virtuais como a Rapariga dos Jardins Secretos. :D (dos decentes, entenda-se, nada de badalhoquices)

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Inevitável não ficar a pensar em badalhoquices no seu jardim secreto. ;)