segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Acender o bico

Está um frio de rachar e ainda melhor para as rachar. É por isso que me é impossível resistir a alguns apelos. Tal como todos os domingos, é sagrado que me ponha numa das esplanadas do Chiado a beber o meu conhaque (sim larguei o whisky há uns meses). Duas mesas à minha frente, uma mocita oferecida atreveu-se a arregaçar as mangas da camisola, imagine-se. É mais que certo que arregaçar as mangas em pleno Chiado é uma incitação óbvia para eu arregaçar o mangalho. Ainda se fosse Verão, poderia haver a dúvida se seria do calor, mas em pleno Inverno está bom de ver que gostas pouco, gostas. Sendo domingo, achei por bem não me sentar na mesa dela e desatar a dizer ordinarices embrulhadas em humor com um laçarote de charme. Por isso sentei-me na mesa dela e comecei a falar de cozinha. Isto porque ela estava a preparar-se para almoçar e à primeira garfada fez um esgar de desprazer gastronómico. Por isso avancei, afirmando que os cozinheiros amadores querem sempre fazer tudo depressa e depois não fica saboroso. Na cozinha, (tal como no cuzinho), é preciso ter paciência. É preciso levar o seu tempo para apurar. Se for à pressa tende a esturricar. (Tanto na cozinha como no cuzinho, sim. Quando era principiante esturriquei alguns assim). Começámos então a falar de cozinha e de cozinhados como quem, na verdade, falava de quecas. Senti-me bem por manter o nível, ainda que dissimulado, em dia sagrado. Gosto muito de fazer analogias com o acto de cozinhar. Até porque é sempre preciso acender o bico. Andámos neste jogo linguístico do toca e foge durante algum tempo. Mas estava bom de ver que a tarde iria acabar no jogo do toca e fode.

23 comentários:

L.O.L. disse...

Imagina só que no meu local de trabalho há uma bacana que passa a vida a arregaçar as mangas! Agora fiquei a saber quais os intentos dela! Eheheheheh!
Abraço!

Malena disse...

O Herman tinha a rubrica "Cuzinho para o povo". Contigo é cuzinho para o Pacheco!! É justo!! ;)

Rod disse...

É bom saber que o Patife respeita os domingos. Fossem todos como ele.

Patife disse...

L.O.L.:
Sou um ás a decifrar estas singelas insinuações. ;)

Malena:
O Pacheco não se queixa, não. E sim, normalmente é justo. ;)

Rod:
O Pacheco é um senhor. ;)

desejo disse...

continuo a perguntar-me como é´possível teres uma "linguistica" fenomenal...

:)

(Ela) disse...

O Patife a respeitar o dia sagrado? Yeah right...

Beijo d'(Ela)

Anónimo disse...

as minhas críticas funcionaram ;) está brilhante, ao nível habitual!

bb

Kim III disse...

E acabou? :p

Anónimo disse...

(sempre gostei muito do toca e foge e suspeito que esta versão não (me) fica atrás)

c

Sairaf disse...

Opá, isso do toca e foge ou aquece mais ainda o momento ou faz tudo esmorecer como o fumo da comida a arrefecer.
Trata lá de resolveres isso, e dá-lhe com jeito :P
Abraço

Patife disse...

desejo:
São muitos anos a dar à língua. ;)

(Ela):
Dia Sagrado para o Patife é dia que queca. O resto é conversa. ;)

Anónimo bb:
O nível habitual é um tesão descomunal. ;)

Kim III:
Na verdade foi assim que tudo começou. Mas um cavalheiro não conta a forma como escarafuncha a bardanasca de uma senhora. ;)

Anónimo c:
É uma pena. gosta muito quando a minha versão de nabus erectus fica por trás. ;)

Sairaf:
Nunca lhe dou com jeito. É sempre à bruta. O jeito é para quem tem pila pequena e não sabes usar convenientemente língua e mãos. ;)

Benedita disse...

E quem arregaça a manguinha à frente do Patife, desafia o Pacheco. Essa dupla... ui! :)
Beijos

tiago leal disse...

Tu és um poço de sabedoria! :D

viagensnomeucaderno.blogspot.com

Joao disse...

Aposto que os cozinhados preferidos do Pacheco é pipis e cuscus. Por outro lado, as punhetas de bacalhau é prato a evitar. Este, só em tempos de muita fome, e felizmente a crise ainda não chegou aí.
Aposto que o cuzinhado do Pacheco ficou no ponto, e com um bico bem aceso, ela comeu e chorou por mais.

Nunca te esqueças meu caro cozinheiro, e isto e válido para algumas mulheres mais velhas mas nem por isso menos interessantes.
Panela velha, faz comida boa!

Patife disse...

Benedita:
É uma dupla sempre pronta a arregaçar a manga do mangalho. ;)

tiago leal:
De sabedoria sou um poço da mesma forma que o Pacheco dá a volta ao pescoço. ;)

Joao:
Chorar, choram quase sempre. Não é fácil receber um bacamarte desta envergadura no meio das guelras. ;)

Storyteller disse...

Mon dieu! Esse Pacheco já percorreu todos os buracos do Chiado..tsc tsc tsc de Lisboa!

Bisous comilão!

Marota disse...

Senhora que arregace a manga neste frio, anda certamente com problemas hormonais... será a menopausa?

Patife disse...

Storyteller:
É um tapa-buracos. ;)

Marota:
Nabopausa é que não é com certeza, pois dei-lhe sete pinadas de seguida sem pausas pelo meio. :)

Anónimo disse...

eheh maravilhas do viagra :p

bb

Ulisses L disse...

...e, na verdade, são sempre bons os jogos linguisticos...

LOL

:)

Patife disse...

Anónimo bb:
É mais a maravilha da natureza, que foi muito generosa com o Patife e com o Pacheco. ;)

Ulisses L:
Há lá coisa melhor que um bom jogo linguístico. ;)

Petra disse...

és o mestre da cuuuulinária.

Patife disse...

Petra:
E gosto tanto...