segunda-feira, 21 de novembro de 2011

A Aristorrata

Se há coisa que aprecio é uma boa festa. As que mais me divertem são as de alta sociedade. As aristocratas, educadas e pomposas, estão habituadas a homens enfadonhos e peneirentos, mais entretidos com o insuflar do seu próprio ego e dos seus negócios. É por isso um terreno pronto a ser explorado pelo Patife. Assim como as suas aristorratas. Antigamente era de uma facilidade tremenda. Mas é impossível fornicar a torto e a direito durante anos a fio com tudo o que tenha pachacha sem ganhar alguma má fama. Depressa percebi que falavam de mim em surdina. Eram duas. A mais altiva olhou para mim num misto de desdém e interesse. O que a outra lhe contou para a avisar sobre os malefícios da minha pessoa teve certamente o efeito contrário pois viu-se claramente que ela ficou com água na boca. Também te posso deixar com algo na boca, boneca, apeteceu-me dizer-lhe. Mas tenho nível. Por isso acheguei-me da finória para encetar um diálogo inteligente. Mas ela, nervosa e corada, olhou-me como se eu fosse um bicho papão e eu não resisti: Calma, não sou nenhum bicho papão mas tenho uma picha papona. Olhando em retrospectiva acho que a minha sorte é ter um charme irresistível e correr o fidedigno boato de eu ter um bacamarte de proporções inimagináveis. Não fosse isso e tenho ideia que teria muitas histórias para contar que acabariam em estaladas. Mas como sou um dínamo de sexualidade a coisa passa. E neste caso a coisa passou para um escritório da mansão, no primeiro piso. Palavra de honra que nunca vi alguém da alta sociedade mamar assim. Aquilo mais pareceu uma viagem de tapete mágico. Ela era como um Merlin da brochada, só que sem barbas, com um ganda par de chuchas e uma língua de veludo. Quando ela se levantou percebi pela forma como tinha os cantos da boca sujos que tive um orgasmo dentro da goela da moça. Eu não dei conta. Já ela deu cona.

23 comentários:

A Minha Essência disse...

Risos... ainda matas a rapariga e depois? Com a crise e tal, ainda de sai a "f***da" mais cara que o previsto. Oh céus!!

Patife disse...

A Minha Essência:
"Oh céus", foram exactamente as palavras da aristocrata quando comprovou o tamanho do Pacheco. ;)

Stargazer disse...

Mauvais Mac,

Isso é que é quebrar uma regra de ouro relativo às meninas do Anuário da Nobreza: "kiss & tell"...bad boy!

Agora ou é o processamento das tuas palavras nos meus neurónios que está errado, ou então não entendo o paradoxo/incongruência. Se ela era brochista exímia, como é que o Bad Boy não deu pela (sua, sua dele) vinda?

Falhaste essa Viagem ao Centro do Nirvana...ou even worse, are YOU getting old??? :)

Beijo on the spot,

:)

Patife disse...

Stargazer:
Ahahaha. A regra de ouro só seria quebrada se eu revelasse a identidade a aristorrata. De resto, como qualquer alucinante viagem de tapete mágico, o deslumbramento faz-nos elevar a mente para uma zona de prazer onírica em que nos deixamos levar. Mas com o Patife não há problema pois o Mister Pacheco nunca se contenta com apenas uma viagem. ;)

Margarida disse...

Oh Aladin, como é que não deste por teres lá chegado? Andas a perder qualidades ou a Jasmim era qualquer coisa? :)

desejo disse...

Para quê comentar?!
Muito bom.

(tempo de almoço, sem mais um minuto)

:)

Malena disse...

Grande poder de recuperação... ;)

Patife disse...

Margarida:
O Patife deixa-se ir, da mesma forma que se deixa vir com a maior das naturalidades pois não necessita sequer de pausa para recuperação. É um dom que tenho: o Dom Pacheco. ;)

desejo:
Se é tempo de almoço, nem mais um minete. ;)

Malena:
Fui abençoado com o dom dos orgasmos seguidos sem necessidade de pausas. ;)

Ulisses disse...

Pá, nem deste conta...
...mmmmmmm!!!!!!!!!!!

Estará o pacheco a ficar insensivel?

:)

Patife disse...

Ulisses:
Eu, Patife, é que não dei conta pois estava a apreciar a viagem no tapete mágico. O Pacheco deu bem conta do recado. ;)

Diuska disse...

Ai patife patife...lol

Pseudo disse...

Mas ainda não disseste uma coisa fundamental: notaste grande diferença relativamente à plebe? :P

Patife disse...

Diuska:
Soubesses tu o que o Patife adora ais... ;)

Pseudo:
Ora aí está uma questão pertinente. Tens toda a razão, mas eu esclareço já. Havia uma grande diferença. A aristorrata despediu-se do Pacheco apenas com um beijo. Na face do tomate esquerdo. O direito ficou literalmente pendurado. ;)

Valerie disse...

"Calma, não sou nenhum bicho papão mas tenho uma picha papona." MEGA LOL!!!!

Anónimo disse...

omg :o como gosto disto (; voce sabe o que diz, gostoso :)

Patife disse...

Valerie:
A única coisa mega por estes lados é mesmo o tamanho do meu nabo. ;)

Anónimo:
Desengane-se. Apenas sei o que fiz. ;)

Senhor Geninho disse...

As aristogatas também precisam de beber leitinho de vez em quando, não pode ser só Whiskas Gourmet!!!

Patife disse...

Senhor Geninho:
Com o Patife, leitinho é directamente do pacote. ;)

tiago leal disse...

Ó Patife, tens que contar também, se tiveres, as histórias das tuas negas. É que se não tiveres, és um grande candidato a tornares-te no meu herói!

Patife disse...

tiago leal:
Ahahahah. Infelizmente, meu caro, não há registos de histórias de negas. Só histórias de esfregas. ;)

Sairaf disse...

A isso é que se diz, está tudo lá dentro e bem conchegado que é um mimo!!
O Pacheco estava tão satisfeito que teve de espalhar o seu prazer sobre a moça.
Sairaf:)

Patife disse...

Sairaf:
Uma viagem de tapete mágico é mesmo para nos deixarmos (v)ir. ;)

A Chata disse...

Não ia comentar até ter visto isto:

A aristorrata despediu-se do Pacheco apenas com um beijo. Na face do tomate esquerdo. O direito ficou literalmente pendurado. ;)

Sempre brilhante nos comentários!!