quinta-feira, 5 de maio de 2011

A chupinha de massa

Ontem aviei uma sopinha de massa. Há qualquer coisa de encantador numa mulher que não consegue dizer os ésses. Por isso convidei-a para jantar, já com uma ideia fisgada. Na minha cabeça estava tudo preparado minuciosamente para um petisco de pachacha. E o plano era este: No início da refeição, e de menu na mão, perguntava-lhe delicadamente se ela queria uma sopinha, só para a ouvir responder com o seu trejeito vocal: Xim. Quero uma chupinha. E aí, o Patife, educado, sentir-se-ia impelido a fazer-lhe a vontade enquanto ela teria de se amanhar com o carácter vinculativo da sua afirmação. Pareceu-me um guião digno de registo, com uma plausibilidade própria de um documentário do Michael Moore. Por incrível que pareça foi exactamente assim que tudo aconteceu e a sobremesa foi tomada sobre a mesa da casa da pequena. E que sobremesa tão saborosa. Ainda não tinha assumido aqui publicamente as minhas capacidades orais, até porque só vos conheço há pouco mais de um ano e eu sou um gajo reservado que não anda por aí a dizer tudo o que faz na cama. Mas sinto que já temos uma intimidade que me permite confessar-vos que o Patife é um carro alegórico da minetada. Um submarino do prazer. O Merlin da oralidade. Um mestre da lambuzice. O Lúcifer do grelo. Um guru do abocanhamento. Um mago da trombada. Um tornado da crica. Um ás da serpentina linguística. E em tantos anos de minetice nunca me tinha aparecido um suco de crica tão sublime. A gaja tinha uma pachacha tão doce que mais parecia ter sido extraída de uma plantação de cona-de-açúcar.

55 comentários:

Uma Rapariga Simples disse...

Que ligação estranha, começar na sopa para acabar no açúcar, para mais quando só ia uma língua de distância.

Entende-se, o Patife é um moço reservado que não conta tudo o que faz na cama, logo não temos de saber o permeio.

Patife disse...

Uma Rapariga Simples:
Tenho este fetiche, confesso, que é o de meter mulheres-sopinha-de-massa a dizer a palavra sopinha (chupinha na linguagem delas). E acaba sempre de forma muito açucarada. ;)

TINTIN disse...

AHAHAHAHAHAHAHAH. Tenho uma colega sopinha de massa. Isto hoje vai ser complicado, vai.

Uma Rapariga Simples disse...

Ah bom! Eu não sou sopinha de massa, mas carrego nos esses e nos erres que me farto (um dos meus passatempos é ler textos em francês em voz alta só para me ouvir soprar como as cobras).

Bem, meu caro Patife, arrefinfe na sopa e na sobremesa que eu tenho um pedreiro à espera e umas paredes para rebocar. :)

Patife disse...

TINTIN:
Era de homem perguntar-lhe se ela queria uma sopinha. Faz lá o teste. Depois vem contar. Isso é que era. ;)

Uma Rapariga Simples:
Ah... o sibilar hipnotizante da fonética. Sou grande apreciador. Já tenho com o que me entreter a imaginar hoje. ;)

Blue star disse...

Há algo de genialmente engraçado no facto de chegar ao trabalho e ler isto.. =P
Parabéns ao Patife e às suas capacidades sublimes no que a oralidade diz respeito
*

Felina disse...

Obrigada pela confiança... e como já te sigo desde o início também acho que te posso segredar uma coisa... hoje tive de trocar duas vezes de cuecas por causa da tua confissão... o que vale ando sempre prevenida...

VM disse...

fiquei sem saber qual seria o prato principal... ou o elevador principal... wtf... gostei do cona-de-açucar, à dias que um homem não pode pensar nos diabetes...

=D

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Tb procuro plantações de "cona-de-açúcar", mas não tenho sorte. A maioria delas é mais "caga-de-açúcar", felizmente algumas assumem o seu cheiro nauseabundo e trazem cuecas para as mudas respectivas. O que não vale a honestidade. ;)

Poupinhas disse...

ah ah ah.. gostei da cana do açucar!!
Muito bom Patife

A Princesa disse...

Cuidado com o açúcar...
:D

Magnífico!!!

Bjo

Patife disse...

Blue star:
Apenas desejo que te tenha dado tanto prazer a ti como a mim. ;)

Felina:
Ah ah ah. A dobrar é sempre melhor. ;)

VM:
O prato principal, claro está, foi linguado no grelo. ;)

► JOTA ENE ◄:
É sempre uma lotaria. Mas há que continuar a arriscar. ;)

Poupinhas:
Faço o que posso com a parvoíce que tenho. ;)

A Princesa:
Por acaso no dia seguinte acusei glicose em excesso no organismo. ;)

iPlagiator disse...

bravo... bravo.

Tripolar disse...

O Patife também come à mesa!!!??? Revelação surpreendente!
Olha os diabetes Patife...depois queixaste que quando chegares aos 80 anos não dás uma p´rá mão quanto mais p´rá cona (quem diz cona diz também boca...)

O Alentejanito disse...

E tinhas a certeza que estavas a chupar uma crica? Nessas alturas convém acender a luz, quando algo de estranho te possa parecer ;)

Abraço

Patife disse...

iPlagiator:
Foi com bravura, foi. ;)

Tripolar:
Apanho diabetes na mesa, mas também apanho diabretes na cama. ;)

O Alentejanito:
Estou sempre de luz acesa. O Pacheco tem medo do escuro. Pelo menos é o que lhes digo para conseguir ter sempre a melhor visão possível sobre a pinada. ;)

Barão Mervelho disse...

Li algures "soprar como as cobras" e perdi-me por completo...

Cuidado com as cáries, camarada. :)

Tripolar disse...

Lambão! ;)

Tripolar disse...

@Barão Mervelho: Cona não provoca cáries, pode provocar é candidas albicans a pinarem-lhe os dentes!

o anão gigante disse...

Por algum motivo o Fidel Castro não morre. Também fizeste estágio em Cuba, percebo.

Patife disse...

Barão Mervelho:
Gosto mais quando me sopram na cobra zarolha. ;)

Tripolar:
Vou interpretar como um elogio. ;)

o anão gigante:
Em "ba" não. ;)

Diabinha disse...

ola!!! adorei a sua publicação :)so de imaginar senti uma certa humidade a tomar conta de mim :)

Jantares desses é que são bons, começam com um bom aperitivo e acabam com uma boa sobremesa doce e apetitosa seja ela em cima da mesa ou no chão :)

fazes bem em não contar todos os pormenores, as melhores partes ficam sempre para a gente =)

Anónimo disse...

Deliciei-me com a leitura.
Bravo
Acho q fiquei com apetite para jantar fora.
Mazi

Isabel disse...

"carro alegórico da minetada"?!!!!
Eu, que nem acho piada a coisas carnavalescas, achei piada a isto!

Patife disse...

Diabinha:
Na humidade é que está o galho. ;)

Mazi:
Não te esqueças de começar com uma boa sopinha. ;)

Isabel:
É um festival no lambódromo. ;)

Nawita disse...

O Patife, homem letrado, tem também o dom da palavra e uma boquinha valha-me nosso senhor, daquelas que soltam palavras mágicas que efectuam deliciosas danças para quem o ouve?

Patife disse...

Nawita:
Da boca do Patife saem as quiméricas palavras do costume que deixam toda e qualquer crica cheia de lume. ;)

Nawita disse...

Acredito, Patife, acredito.

Devia tentar ir para as vendas porta-a-porta ;)

Nawita disse...

sim, não são só os homens que apreciam uma boa campanha de marketing.

Patife disse...

Nawita:
Ah ah ah. Isso das vendas já tentei. Dentro de casa. Ela queria muito ser vendada. Bateu com o nariz na esquina da cama e partiu-o. Ninguém teve prazer naquela casa. ;)

Nawita disse...

e como é que isso aconteceu? o que andava ela a fazer vendada e às voltas pelo quarto? a comparar preços ou não se decidia pelo produto que queria?

S* disse...

Ouvi dizer que quanto mais ela treinar, melhor vai conseguir dizer. Portanto, ela que treine muito a chupinha que vai deixar de ser sopinha de massa.

hipérbole disse...

Ando fraca de inspirações .. já o Patife continua majestoso !

desejo disse...

Ainda sem ler os comentários que são tão bons quanto os teus post, fiquei axim com estas tuas exprexões:
"Xim. Quero uma chupinha"
"O Merlin da oralidade; O Lúcifer do grelo. Um guru do abocanhamento. Um mago da trombada. Um tornado da crica. Um ás da serpentina linguística".

Patife éx único nas manobrax da
"cona-de-açúcar."

:)

Isis disse...

Ó gajo reservado, tu conta-nos tudo pá! Não nos escondas nada. Afinal já é muito tempo de cumplicidade. Fantástico, como sempre :)

A Chata disse...

Ai o Tifinho também sabe fazer limpezas ao corredor...? Prodígio, este homem.

Quanto ao suco, caramba, pensava que era salgado. Entre diabetes e hipertensão, venha o Diabo e escolha...

Vera, a Loira disse...

Acho que te vou dar o número de telemóvel da Ligia, na sexta à noite confessou-nos que nunca lhe tinham feito um minete.

Sim... também fiquei com essa cara. Ainda pensei que estivesse a brincar, mas era mesmo e a sério.

Barão Mervelho disse...

@Tripolar

"Olhe que não... olhe que não..."

Quita disse...

Oh Patife, gosto das tuas patifarias ehehe toma lá um selo que é teu. Eu sei, eu sei, é paneleirice é. Mas e pá.. Cenas, tas a ver? eheh Ofereço-to. Prontos. Tenho dito ;)

Petra disse...

que jantar enjoativo Patifeiro....

Malena disse...

Espero que não sejas diabético!! ;)

Aqueleparvo disse...

Já ouvi falar do contrário. Ele andam por aí gajas ás quais se apelida de "bocas doces" que após uma bela felaciada deixam o pinto dum gajo em ponto de caramelo. Na minha terra houve um tipo que foi na tentação e acabou por partir 2 costelas com o objectivo de experimentar a iguaria após o serviço da doceira.
Concluindo: Ao fim e ao cabo, tudo isto para dizer que bocas doces estão provadas cientificamente, mas, é pá! c*n* doce nunca provei nem nunca tinha ouvido falar! Já aprendi alguma coisa contigo, nem que tenha sido um novo "minete urbano" por comprovar. Elas andem aí...

SlaveGirl disse...

Tem cuidado que isso é viciante!
Mas farto de saber isso estás tu... ;)

Von disse...

Na verdade nada sabe melhor do que lamber prolongadamente um bom grelame...

Patife disse...

Nawita:
Tinha o fetiche de fornicar vendada. Mas assim que a vendei apeteceu-me pregar-lhe um susto e ela bateu com a cana do nariz na cabeceira da mesa. Não foi bonito. ;)

S*:
Ora nem mais. Quando é para ajudar uma sopinha de massa o Patife dá o nabo ao manifesto. ;)

hipérbole:
A hipérbole e as suas hipérboles. ;)

desejo:
Mas olha que também faço uma manobras perigosas dignas de registo. ;)

Isis:
Eu conto se tu conas. ;)

A Chata:
Há de tudo. Por este Mundo fora já encontrei de tudo. Até uma egípcia com sabor a Matheus Rosé. Palavra de Patife. Nunca mais beber Matheus foi a mesma coisa. ;)

Vera, a Loira:
Não posso acreditar. Mas que idade tem essa tua amiga!? Com quantos homens esteve ela? Estou deveras intrigado com a falta de educação dos homens deste país. ;)

Quita:
A selo dado não se olha à paneleirice. Obrigado. ;)

Petra:
De todo. Uma chupinha faz bem à saúde, sempre disse a minha rica mãezinha. ;)

Malena:
O Patife é um poço de saúde física. Já de saúde mental deixa muito a desejar. ;)

Aqueleparvo:
Ahahahah. Por mais que quisesse dar origem a um "minete urbano" (grandiosa expressão máméne) acredita que as há dulcíssimas. ;)

SlaveGirl:
Os vícios fazem mal à saúde. Isto é apenas uma fixação linguística. ;)

Von:
Na verdade prefiro que metam a boca na minha botija. ;)

SlaveGirl disse...

Patife, influenciada por alguém que deves conhecer, digo-te que não há nada melhor que os vícios! ;)

Patife disse...

SlaveGirl:
Muita gente diz que não há nada melhor que os vícios. Mas
afinal o que importa é não ter medo. Fechar os olhos frente ao precipício e cair verticalmente no vício. Já dizia o Cesariny. ;)

Mariluu disse...

Se ela tem uma cona-de-açucar vê lá se não te tornas diabético!

Patife disse...

Mariluu:
Seria sempre por uma boa causa. ;)

Patife disse...

Mariluu:
Diabético? Na cama já me chamaram foi Diabo Eléctrico. ;)

Curiosa disse...

Patife ...
maravilhoso ler você, como sempre ... estou para dizer que esses sabores são fundamentais em uma relação ...

beijo pra você ...

xarmus disse...

aahhhhh grande patife... és cá dos meus

Patife disse...

Curiosa:
Mas há sabores que causam grandes dissabores. ;)

xarmus:
Uma boa colheita, portanto. ;)

Cat disse...

ahahahahahahah
oh Patife olha que com tanta publicidade ainda deixas queimar a sobremesa :P

Pacheca disse...

Esta cronica e absolutamente extraordinaria!
Abraço ao Pacheco.
;))