segunda-feira, 2 de maio de 2011

A carecona

Quis uma ironia do desatino que uma das melhores quecas do Patife tivesse sido proporcionada por uma gaja careca. Confesso que sou um pouco preconceituoso com a insuficiência capilar no escalpe de uma gaja. Uma tipa de cabelo rapado assemelha-se ao ex-árbitro italiano Collina e imaginar uma careca a soprar-me no apito pode originar uma dissonância cognitiva difícil de ultrapassar. Mas ela tinha uns olhos magnetizantes, profundos e vacilantes que lhe enfeitavam um rosto de linhas suaves e delicadas. Pelo menos foi o que me disseram, que eu cá só reparei no ganda par de tetas que desafiava a lei da gravidade e me desfocava a visão. Depressa achei que o facto de ter encontrado uma mulher careca deveria ser um sinal cósmico, já que ela é carecona e o Patife quer é cona. Dou grande importância a estes paralelismos fonéticos. Considero-os as rimas da vida e um aviso do além. Por isso avancei. Mas, ó sorte marreca, quem iria imaginar que uma gaja de cabeça completamente rapada mandava a maior farfalheira da história da pachacha? Uma autêntica farfalhuda da selva da qual não custava imaginar que pudesse saltar ali do meio um puma a qualquer instante. Que completa falta de simetria capilar. Sou só eu a notar a falta de mau gosto e a incoerência da questão? É o auge da publicidade sexual enganosa. Um ludíbrio imaginativo. Uma finta desleal ao poder de dedução. Qualquer homem que se preze e com o mínimo de tesão assim que vê uma gaja de cabelo rapado põe-se a imaginar um papinho de cona onde se pode fazer patinagem artística e fazer deslizar o nabo, dando a ilusão de estar a brincar num escorrega chonal. Mas aquilo intrigou-me e tive de aprofundar com tesão. E deixem-me que vos diga: Ainda bem que lhe dei o benefício da pívia.

48 comentários:

Margarida disse...

Patinagem artística... ahahahahah tu és demais!

VM disse...

Do Colina lembro-me de um gajo feio, de olhos esbugalhados, de meter medo ao susto, de apito na boca, sempre pronto a vincar o olhar como fosse um cartão vermelho, um autentico ejacular precoce... espero que a tua "Colina" estivesse à altura de uma via verde lol

Patife disse...

Margarida:
Demais foi a pinagem artística que lhe dei. ;)

VM:
Ahahahaha. Foi sempre a aviar, foi. ;)

Blue star disse...

Pobre patife...
Mas valeu o benefício da pívia ao menos.. ;)

Eu próprio... disse...

És grande pacheco! Mesmo quando o cenário pode ser assustador, tu avanças e dás a "mão", dando a oportunidade de "pachecar" mesmo a uma cona mal aprumada!
És um autêntico "Mandela das conas", digno de um prémio Nobel da paz sexual!!

Patife disse...

Blue Star:
Sou um benemérito das pívias. ;)

Eu próprio:
Ahahah. "Mandela das conas" é título que me apraz. Quase tanto como lhes ir atrás. ;)

Salvador disse...

Bom dia, Patife ))

Porra (foda-se não me parece apropriado em tão puritano espaço)! Não me diga que fodeu, perdão, que teve relações sexuais com a Sinead O' Conna?

Tripolar disse...

Nãããããããooooo, deveras uma dissonância cognitiva! Como é que o Pacheco se orientou (sem se meter pela cabeça da sennhora ao invés da...)?

Patife disse...

Salvador:
Eheheheh. Já estou como o Cesariny: Não sei se fodo tudo ou se tudo me fode. ;)

Tripolar:
O Pacheco diverte-se com estes contrastes. Dão sempre boas histórias para relatar. ;)

Bianca disse...

Uma careca com grande pintelheira!?!?!? Devia era ser presa!!!

Ulisses disse...

...há que dar sempre o beneficio da pívia...

...e, sem dúvida, há que aprofundar sempre o mais possível as questões...

:)

Apicolector disse...

Passei-te um cheque careca no blog hehe Abraço.

Patife disse...

Bianca:
Estou perfeitamente de acordo. É uma conjugação criminosa. ;)

Ulisses:
Para aprofundar está aqui o Pacheco. Dar é bom. Mas o Pacheco prefere receber os benefícios da pívia. ;)

Apicolector:
Ahahahah. Da queca careca ao cheque-careca. Está bem sim senhor! ;)

Sairaf disse...

Estou a ver que o aprofundamento valeu a pena!!!
Ando com pouca inspiração Patife!!
Abraço doce e obrigado pela visita seu danado!!! :P
Sairaf

Anuska disse...

Nada como experimentar hehe

desejo disse...

"e imaginar uma careca a soprar-me no apito pode originar uma dissonância cognitiva difícil de ultrapar"
2ó sorte marreca, quem iria imaginar que uma gaja de cabeça completamente rapada mandava a maior farfalheira da história da pachacha?";

"imaginar um papinho de cona onde se pode fazer patinagem artística e fazer deslizar o nabo, dando a ilusão de estar a brincar num escorrega chonal"

ahahahahahahahahaha!
Fantástcio!
Que delírio!


:)

S* disse...

"Mas ela tinha uns olhos magnetizantes, profundos e vacilantes que lhe enfeitavam um rosto de linhas suaves e delicadas. Pelo menos foi o que me disseram, que eu cá só reparei no ganda par de tetas que desafiava a lei da gravidade e me desfocava a visão."

És tão homem... e ainda bem. :D

Oh meu caro Patife, não se deve avaliar a mulher pela farfalheira que possui (ou não). Apesar de eu não gostar de antiguidades, podem ter o seu encanto. E se ela te convenceu, valeu a pena.

Patife disse...

Sairaf:
No aprofundar é que está o galho. ;)

Anuska:
É o que digo sempre às moças que duvidam que o Pacheco proporciona a maior festa orgásmica da via láctea. ;)

desejo:
Delírio, delírio é um papinho de cona onde se possa fazer patinagem artística. O resto só são palavras a tentarem descrever a realidade. É sempre um prazer conhecer a tuas passagens preferidas. ;)

S*:
Pois. De vez em quando lá temos de ir visitar um Museu e ver antiguidades a favor da cultura nacional. Desde que não seja todos os meses, tudo bem. ;)

Aqueleparvo disse...

Essas gajas são boas de pinar é quando a careca mostra um terreno achatado. É poisar a caneca na careca e fazer um 2 em 1. Já a farfalheira até dá jeito para o agasalho do mangalho em noites frias. 3 em 1 sendo assim e assim fodendo. O Pacheco não passa frio, o Patife não passa sede, e ainda se fode como gente grande.

Desejo Evidente disse...

Admito que sou céptica em relação a mulheres "farfalhudas"... mas cada uma tem o corpo como lhe parece melhor. Já eu, sou adepta do visual patinagem artística, como lhe chamas. ;)

Inês disse...

A única coisa que consigo dizer é que me parti a rir com estes paralelismos.

Fruto Proibido disse...

Pelo menos valeu a pena... Patife... se eu fosse enganada dessa maneira não perdoava.

Felina disse...

É a lei da compensação...

carpe vitam! disse...

Xiii, isto ainda dura? e agora não é só à quinta e à sexta, é mais dias e tudo! Mas que belo portfolio fodente, sim senhor... :)

Isis disse...

Vou seguir o teu "lema": em caso de dúvida aprofundo o "tema" ;-)

Malena disse...

Fizeste como o menino que se perdeu na floresta? Foste deixando marcas para saberes regressar? ;)

Pulha Garcia disse...

I was never much of a bush man ...

Patife disse...

Aqueleparvo:
Ora aí está uma ideia válida. Vou experimentar já hoje. ;)

Desejo Evidente:
Óptimo. Pois eu sou um Evgeni Plushenko do pinanço. ;)

Inês:
Boa! Antes assim partir rir. Ainda no outro dia uma se partiu a vir e não foi bonito de se ver. Ou de se vir, no caso. ;)

Fruto Proibido:
Consigo encontrar apontamentos de humor nos contrastes. Foi uma foda galhofeira. ;)

Felina:
Ai fui bem compensado, fui. ;)

Carpe Vitam!:
Se ainda dura!? Oh senhores. É dura por natureza e dura para eternidade. E por acaso essa é uma das expressões que elas mais dizem após quatro horas de pinanço: Xi, isto ainda dura? ;)

Isis:
Aprofundar é preciso! Hoje, amanhã e sempre. ;)

Malena:
Ahahahah. Era caso para isso, mas não. O patife raramente regressa a uma local do crime. Uma vez feito, já fico satisfeito. ;)

Pulha Garcia:
Nem o Patife. Mas sempre dá para brincar às escondidas fálicas e imaginar que o nabo é um puma a caminhar pelos arbustos. ;)

Fallica disse...

"Ela é carecona e o Patife quer é cona". Até me mijei a rir!!!!

Patife disse...

Fallica:
Vê lá se não te mijas a vir. Isso seria bem mais problemático. ;)

► JOTA ENE ◄ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
{Mulher carecona}...

... não confundiste com aquelas modelos de enfeitar montras ou tudo o que vem à rede é peixe?

Junkie Jones disse...

Há uma serie de ditados populares a dizer o mesmo que eu, que quanto mais fodo menos penso em foder.

Senhor Geninho disse...

Uma questão cabeluda! Mas há sempre maneira de lhe descobrir a careca... :D
Abraço.

Patife disse...

► JOTA ENE ◄:
Eh eh eh. Essas não têm farfalheira lá em baixo. ;)

Junkie Jones:
O Patife quanto mais pensa em foder mais fode. É o raciocínio inverso. ;)

Senhor Geninho:
Há sim senhor. Ainda assim prefiro cobrir a careca. ;)

Barão Mervelho disse...

Após uma batalha nocturna, entre resquícios de produtos manhosos e uns estilhaços de absinto, um camarada confessou-me:

- Sabes do que um gajo precisa mesmo mesmo mesmo? De uma imperial bem tirada e fresca... e de uma macaca pelada.

E não é que ele tinha razão?

Pusinko disse...

Já não passava cá há uns tempos. Ainda bem que manténs o nível :)
E um bom conselho para não desdenhar logo. às vezes os sinais são confusos mas revelam-se em sintonia.

Patife disse...

Barão Mervelho:
Desde que se cumpra a máxima "Cada macaca no seu mangalho". ;)

Pusinka:
O Patife tem aqui um belo nível tem. ;)

lampâda mervelha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Barão Mervelho disse...

O mesmo já não se aplica a macacas do proletariado.

Patife disse...

Barão Mervelho:
Às do proletariado digo "cada macaca no meu galho". Aprecio o facto de estarem rotinadas no trabalho manual. ;)

às 27h no meu blog disse...

ahahaha este texto está hilariante!!

SlaveGirl disse...

É para veres um que sofre a maioria das gajas! Mas nós näo é so com o cabelo, é tambem com a altura, com a tagarelice...
;)

Patife disse...

às 27h no meu blog:
Por acaso acho que está mais pilariante. ;)

SlaveGirl:
Cá se fazem, cá se pagam. ;)

Antonio disse...

Muito bom! A fazer lembrar os tempos do blog "O meu Pipi". Ou será que estamos na presença de uma segunda versão d'O meu pipi? A prosa é parecida embora com maior qualidade!

Abraço
Antonio

Patife disse...

Antonio:
Maior qualidade não tem. Mas tem um autor com um nabo bem maior. Já me contento com isso. ;)

Patife disse...

António:
Maior qualidade que o meu pipi não tem. Mas o autor tem um nabo maior. Já me contento com isso. ;

Cat disse...

Por mim, quanto menos florestação melhor (on both ways, darling)