quinta-feira, 12 de maio de 2011

Bocavícius

Ontem conheci uma brasileira que tinha um vício de boca inigualável. Obviamente que o Patife é um tipo cordial que dá o nabo ao manifesto para ajudar a saciar os apetites que teimam em prosperar por essas bocas cheias de vícios. Por isso hoje acordei a pensar que se o Bocage e o Vinícius de Moraes fossem um só haviam de ter saído pérolas poéticas capazes de reforçar a qualidade da literatura transatlântica de língua portuguesa. E se o Bocage e o Vinícius de Moraes fossem um só teriam certamente criado coisinhas poéticas lindas assim:

Soneto do tesão total

Avio-te tanto, com o coração distante
Com tal tesão que nem parece verdade
Avio-te à bruta mas só como amante
Numa sempre diversa realidade.

Avio-te aqui desprovido de prazer prestante
E aviso-te além que não vou sentir saudade.
Afinfo-te, enfim, com grande liberdade
Sem promessas de eternidade a cada instante.

Fodo-te como um bicho, simplesmente
De um tesão sem mistério e sem virtude
Com um mastro maciço e permanente.

E de te aviar assim, muito e amiúde
É que um dia na tua chona de repente
Hei-de morrer de foder mais do que pude.

28 comentários:

EU SOU EU disse...

Há quem seja poeta...quando está de boca fechada...há quem seja poeta enquanto dorme...o grande PATIFE...é poeta enquanto o mastro está no auge a malhar...
Excelente conjugação.....um poema...fantástico...talvez seja bom para se propor para futuras análises nas aulas de Português...no secundário....

Dança dos Dias disse...

Sublime, sublime! Uma verdadeira pérola!

Ou a minha caixa de correio electrónica enlouqueceu ou o Patife é o meu comentador anónimo! (J.A.)

Patife disse...

EU SOU EU:
Gosto muito de dar aulas particulares de poesia e língua portuguesa. ;)

Dança dos Dias:
Uma verdadeira pérola
é aqui o Pacheco. ;) E o Patife nunca comenta nada de forma anónima. É um pouco como as quecas que dou. Tenho sempre necessidade de dizer a todo o mundo que fui eu que as dei. Gosto muito de ser responsabilizado pelos meus actos, tanto verbais como sexuais. ;)

O Alentejanito disse...

Por acaso onde conheceste essa brasileira não tinha uma luz vermelha por perto? lol

Sairaf disse...

clap clap clap
Patife és um verdadeiro poeta!!
Se morreres a foder,
ao menos morres de prazer...
Abraço
Com carinho
Sairaf

Tripolar disse...

Pacheco pode "morrer" (i.e: dar-lhe na impotência) mas, Patife é eterno!
Porque sabem qual é o orgão sexual mais poderoso que o Homem tem?


O cérebro!

Patife disse...

O Alentejanito:
A única coisa vermelha por perto era mesmo a cabeça do Pacheco a espreitar. ;)

Sairaf:
Sou mais um verdadeiro penetra. ;)

Tripolar:
Duvido que o meu cérebro ganhasse numa luta contra o Pacheco. ;)

Dança dos Dias disse...

Ahaha
Cá para mim, o Patife até diz que dá... as que nunca deu!

Patife disse...

Dança dos Dias:
Até a foda que aquela senhora deu, não foi ela. Fui eu. ;)

Aqueleparvo disse...

Ah grande artista!... lol. Mas acho que isso é plágio. Tenho a cer-tesa que li isso nos Lusiadas na secundária... Recordo que na altura ainda andava com a cara cheia de acne de tanta punheta que batia e que ainda assim deixava por bater...

Patife disse...

Aqueleparvo:
Isto não é plágio. É Bocavícius. Ou como costumo chamar-lhe: Poesia de fusão. ;)

Isis disse...

Afinfo-te de aplausos por tamanha grandiosidade! Patife de "cu gnome" O Poeta ;-)

Dança dos Dias disse...

Patife, quem muito fala, pouco fode. Resumindo: muita parra, pouca uva.

S* disse...

Acho que nunca é de mais... por isso não te preocupes, desse mal não morres.

Aqueleparvo disse...

Uma pergunta fora do tema: Também ficaste coisa de 24h sem blogger?

Patife disse...

Aqueleparvo:
Confere. Sem blogger e sem comentários. Lá tive de me entreter a amolar a ferramenta numa turista. Antes sem blogger que sem brocher. ;)

Aqueleparvo disse...

lol... Vá lá que tu e o Pacheco andam sempre com a moral virada para cima. Tiveste q publicar este poema intemporal e sem preço de novo... O meu comment era qualquer coisa como:
"Acho que este poema está plagiado. Tenho quase a cer-tesa que li isto nos Lusiadas quando estava na fecundária. Recordo-me porque na altura ainda andava com a cara cheia de acne de tanta punheta que batia e ainda assim deixava por bater..."
(Depois já não tive oportunidade de ver a resposta, se é que a houve...)

Petra disse...

Genial patife...
Então e as pesquisas dos meses de Maio e abril?

Anónimo disse...

A mais pura das realidades,disfarcada com belas palavras,q muitas teimam em näo querer ver.Contribuiste para ficar um pouco mais culta hoje.Obrigado
Mazi

Lost Soul disse...

em frente patife...


-___-

Stargazer disse...

Mauvais Mac,

Com poemas desses em perfeita simbiose transatlântica, porque não criar a segunda versão dos "Secos e Molhados?"...

Se me prometer cantar essa maravilhosa criação, eu serei a Garota de Ipanema.

Beijo "mais lindo, mais cheio de graça" :)

Malena disse...

Muito nabo comem essas moças!!! Não conhecerão outro tubérculo??? ;)

Tripolar disse...

Patife, estás-me a falhar a Segunda-feira...

Jo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jo disse...

Vinha eu aqui à pressa, já a pensar que estava com um episódio do patife em atraso e afinal... nada! Andas com falta de patifarias patife?:p

Patife disse...

Aqueleparvo:
Lido e respondido, mas devidamente perdido. Dizia eu, pois então, que isto não é plágio. É poesia de fusão. ;)

Petra:
Logo vi que serias tua notar essa ausência. Não havia material que se justificasse. As pesquisas andam pouco criativas. Mas prometo que para o mês que vem não faltam. ;)

Mazi:
O Patife contribui para um Mundo melhor. E está sempre à procura de um fundo melhor. ;)

Lost Soul:
Por vezes gosto mais que me digam: Atrás Patife. ;)

Stargazer:
Parece-me mais do que justo. E como o Patife aprecia tudo o que é justo, temos acordo, garotinha. ;)

Malena:
Devem conhecer. Mas o nabo previne as cãibras, que é coisa que muitas costumam ter quando estão a ser aviadas pelo Patife. ;)

Tripolar:
Tens toda a razão. Mas foi por uma boa causa. (Leia-se por uma boa gaja.) ;)

Jo:
Pelo contrário. Patifarias a mais é que não deixam o Patife chegar perto de um computador. A de ontem não me deu um minuto de descanso. Nem a mim nem ao Pacheco. ;)

Isabel disse...

Um dos meus sonetos preferidos, o Amor Total do Vinícius de Moraes. Nunca mais vou conseguir lê-lo da mesma forma… Patife, a emporcalhar as mentes desde Abril de 2010.

Patife disse...

Isis:
Quando dizes que me aplaudes por tamanha grandiosidade falas aqui do Pacheco, certo? ;)

Dança dos Dias:
É verdade que falo mais do que fodo. O que é um sarilho porque fodo muito. ;)

S*:
Elas por vezes é que dizem que o Pacheco é demais! ;)

Isabel:
Ahahahah. Queira desculpar por lhe estragar a experiência de leitura do Vinícius. ;)