terça-feira, 29 de junho de 2010

A menina do encore

Há sempre um momento nas nossas vidas que nos vai marcar e definir um desvio comportamental daí em diante. Hoje reencontrei a Menina do Encore na rua e lembrei-me do momento que fez o Patife ser um exibicionista de primeira água. Aliás, tenho para mim que o prazer inigualável que atinjo na berlaitada da via púbica em via pública, sob o risco de alguém estar a observar, tem muito a ver com este momento. O Patife era ainda um noviço sexual - sei que é difícil de acreditar que não nasci ensinado - e tinha uma amantizada que acordava logo de manhã cedinho, ia para minha casa, enfiava-se na minha cama e por lá ficava até o despertador tocar. Depois ia cada um para o seu liceu. Ela ia de papo cheio. O Patife ia de bolas vazias. Era uma espécie de negócio. Mas houve um dia em que a menina do encore entra na minha cama em fogo, tal a necessidade de se sentir uma franguinha no espeto em brasa. Dá-me então a sua versão de morning glory pachecal, ficando boquiaberta de espanto. Ainda pensei em carregar no snooze oral, só para ter nova dose passados dez minutos, mas o Pacheco não deixou e ele é que dita as regras dentro da dita. Ora pouco depois, estava a moça já montada de cabelos ao vento – sim, é verdade: de cabelos ao vento. Sempre que uma moça assume a posição de cavaleira tenho na cabeceira da cama uma ventoinha que me apresso a ligar na direcção da moça, para dar um efeito visual mais cinematográfico. Ela passa logo ao galope e eu sinto-me um puro sangue lusitano. Mas dizia eu antes de me perder em detalhes: Ora estava a moça já montada de cabelos ao vento - já falei da ventoinha, não já? – em êxtase puro, de rédeas soltas, quando no preciso momento em que se atinge o orgasmo, o despertador de rádio toca sintonizado numa estação de música. A questão é que se tratava do final de uma música ao vivo, pelo que assim que atingi o final da performance, na rádio que se liga apenas se ouve um maralhal de gente a aplaudir e a gritar em histeria, pedindo bis e encores. Confesso-vos que me comovi com o público a aplaudir mesmo no final da minha performance. E desde esse dia, sempre que há avianço fora de portas, imagino uma plateia de mirones a admirar o acto em segredo, entrando em euforia aplaudista a arrancar cabelos e a comentar a performance do Patife.

53 comentários:

Stargazer disse...

Mauvais Mac,

Atenção à cronologia...são oito e picos da manhã. Enfim, presumo que tenhas encontrado a Menina do Encora esta madrugada, après Cinderella Time. Era Abóbora ou ainda teve tempo de te deixar um Manolo Blahnik?

Meu querido Bad Guy, o "Puro Sangue Lusitano" és tu cavalgado por mim nas cocheiras do castelo alguns posts abaixo, mas ok, deixo-te o plágio, porque te adoro!

Sempre tive um je ne sais quoi de exibicionista :)...

Voyeur Kiss,

Your truly,

The starry Amazon!

Stargazer disse...

P.S. Ah, sim, os paradoxos do meu comentário devem-se à hora madrugadora, mas nada melhor que acordar para um dia de trabalho à leitura das aventuras do Pacheco!

:)

Louise disse...

Está certo que o Patife é muito mais do que um Patife.
E pelo que podemos ir constantando o Patife gosta de drama e efeitos especiais - cabelos ao vento, loiras espalhafatosas, toiletes a rigor, plateias ao rubro...
Mas e então de simplicidade e naturalidade, o Patife não gosta?

Vera, a Loira disse...

Nisto tudo o que retive de mais importante foi imaginar uma plateia a aplaudir eufórica o acto e a performance desempenhada.

Sou gaja para experimentar, não a plateia em si, mas imaginá-la.

Gingerbread Girl disse...

Eu acho que devias ter feito a vontade à plateia, várias vezes.

Gingerbread Girl disse...

Prá i umas cinco.

Gingerbread Girl disse...

Ou seis.

Pedro disse...

Enfiava-se na tua cama pela manhã, nos tempos do liceu? É pá...isso é muito à frente.
:)

Alentejano disse...

Tu não és um Patife tu és é um Pedrófilo!!!E ao pequeno almoço não bebias um garoto!!!

A minha essência disse...

Eh pá! Com tanta plateia e a concentração se mantinha?! Isso é que é de profissional! ;)

... Mas pensando bem, isso de plateia é assim a modos para o esquisito! :S

Ulisses disse...

Tenho de experimentar essa cena da ventoinha...

Pá, berlaitada ao vivo, sim, mas a tentar passar desapercebido...

...mas já me fizeram uma "Lap Dance com uma assistência de mais de 5000 pessoas a assistir, e, por isso, compreendo-te perfeitamente...

:)

Denise Luz disse...

Adorei a parte dos cabelos ao vento!!

Boa, Patife! :)

Rice disse...

"Ela ia de papo cheio. O Patife ia de bolas vazias" mágico, quase que chorei de emoção.

Ps. Quero uma ventoinha.

VM disse...

que grande filme, com produção e tudo... vejamos, temos um patife disponível pela manhã, uma menina doida de levar com um barrote igualmente pela manhã e, acessório indispensável, uma ventoinha... só falta um escravo para abanar a folha de palmeira (que foi logo a imagem sugestiva que se passeou aqui no neurónio já cadáver)... não sei o que fumas, que quero um bocadinho...

lol

pintas* disse...

Essa cena da ventoinha....de rir :D

Olha que merecer uma ovação dessas, não é qualquer um. Ai não é, não ;)

Margarida disse...

Epá, oh patife, essa da ventoinha deixou-me curiosa!!!

Valmont disse...

Ah grande Patife,

afinal de contas tu és uma lenda. na ventoinha incorporas uma mangueira que vai deitando água e ela vai ficando ainda mais molhada. viste este apontamente de ainda mais molhada, porque eu sei que tu não as deixas ficar secas.

para mim passava as pinocadas do Patife no canal da assembleia.

The Fine Pair disse...

Ahahahahahahahahahahahahah...

A da ventoinha foi de génio. Já te estou a ver numa montagem (nos dois sentidos!) de filmes eróticos dos anos 80. ;D

Desidéria disse...

Este blog é uma coisa fora de série, tal não é a imaginação e os factos aqui relatados...

Gosto da descontracção, a "pseudo" ordinarice que não o chega a ser...e da escrita que, dentro do género, é cuidada!

Obrigada por seguires o meu :)*

Desidéria disse...

p.s adorei o pormenor da ventoinha (só de imaginar já me dá vontade de rir)

Quando aos aplaudos...isso não é para todos não :P

desejo disse...

Patife, tu és o génio dos contos eróticos pessoais, com uma certa discrição no vocabulário jucoso que muito bem sabes usar.
Delicio-me com os teus posts. Grandes vivências, grande imaginação, grande sentido de escrita.
E, quanto ao post de hoje, sabes que me deliciei? Imaginei-me aqui a cavalgar, ventoinha a "soprar" o meu cabelo, e agora com este calor...mesmo que sendo ao despertar do som de um maralhal a aplaudir a perfomance.E que performance!
Fora de portas, ai com este calor, o Pacheco deve entrar ao rubro com tanta mulher na rua exibindo as suas mamocas atrevidas...!


:) desejo

T I N I N disse...

HAHAHAHA
Fantastico!
Adorei!
Uma figura unica , voce e seus textos!
Sou sua mais nova seguidora e gostei do que encontrei aqui!
Beijo
T I N I N

Lolita disse...

Meu querido Patife patifório, não precisas de imaginar a dita plateia de mirones sempre que actuas em publico! O teu público está aqui. Aqui mesmo neste e noutros comentários, e mais naqueles outros que se escusam a mostrar!
Viste que lindo!
E agora a cereja no topo: os teus detalhes, nos quais te perdes, são a ventoínha virada para nós, leitores, que cavalgamos de cabelos ao vento enquanto te lemos ;)

duda disse...

e aí?
teve bis ou não?

→ Calipso disse...

o pormenor da ventoinha e qe foi de mestre, hein =P

Rui Caldeira disse...

Admito que deve ser interessante espeta-lo todo e na altura de fazer o golo, ouvir aplausos vindos de milhares de pessoas , muito interessante.

oral_muito_melhor_que_palavras disse...

Patife,

Realmente és uma inspiração até para os mais desajeitados, pensas realmente em tudo.

Um abraço.

Continuo a ler. . .

Pedro disse...

Será que o Patife foi patifar alguma espanhola para afogar ás mágoas pachecais?

Felina disse...

Uma ventoinha???? estás doido??? é muito perigoso apanhar correntes de ar quando se está suado...

(uma ventoinha que interessante...)

Patife disse...

Stargazer:
Ahahahah. Encontrei-a mesmo logo pela manhã, tinha o Patife ainda os olhos fechados. Já ela após este encontro casual ficou com olho aberto. ;)

Logo vi que a minha Stargazer tinha um je ne sais quoi de exibicionista. O Patifa gosta disso. Disso e de ser o teu Puro Sangue Lusitano nas cocheiras do castelo. É imagem que povoa frequentemente as minhas fantasias. ;)

Louise:
O Patife não tem lá muito jeito para simplicidades. Essa coisa de adensar a carga dramática das situações e de promover episódios carregados de efeitos especiais corre-me nas veias. Mas há sempre dias em que a simplicidade a naturalidade marcam pontos. Na ponta. ;)

Vera, a Loira:
É um imaginário fabuloso. E como se sabe, o exílio do imaginário é uma espécie de longa insónia. E o Patife anda bem acordado. ;)

Gingerbread Girl:
Ahahahahaha. A menina Gingerbread quando aparece é logo com três de seguida. E o Patife aprecia três de seguida.

P.S: E achas tu muito bem. O Patife é um animal de palco que se preocupa com o prazer da plateia, do primeiro balcão e dos camarotes. ;) Várias vezes.

Pedro:
Por acaso com aquela mocita era muito atrás. ;)

Alentejano:
Pedrófilo era se me chamasse Pedro. Sou mais Patifófilo. ;)

A minha essência:
Não apenas se mantinha como aumentava a performance. E ainda vou acenando e sorrindo para as eventuais e hipotéticas câmaras fotográficas. Isso sim é que é esquisito. ;)

Ulisses:
Recomendo vivamente o uso da ventoinha. Sobretudo se tiveres uma assistência de 5000 pessoas pois o calor acumulado era capaz de gerar a criação de um vulcão em Portugal continental.

Denise Luz:
No final é o que elas dizem todas ao Patife. ;)

Patife disse...

Rice:
Muitas também choram de emoção após a performance do Patife. ;)

P.S: Ahahahahahah. Eu dou-te a ventoinha.

VM:
Eheheheh. Ainda assim preferia uma escrava para me abanar a palmeira. E o Patife partilha o que fuma, que é coisa de altíssima qualidade. ;)

Pintas:
O Patife é um pintas da berlaitada. Daí merecer ovações públicas. ;)

Margarida:
Não seja por isso querida Margarida. O Patife está aqui para saciar a sua curiosidade. ;)

Valmont:
Mas que belíssima imagem. Já a estou a desenhar a carvão e tudo. E claro, no molhado é que está o ganho.

Cuidado com essa ideia das pinocadas do Patife no canal da assembleia, pois já aconteceram coisas estranhas com o Patife dentro da assembleia. (True story). ;) Mas gosto da ideia. Oh se gosto.

The Fine Pair:
Ahahahahahahah. Como sabias que o Patife era fã de filmes eróticos dos anos 80? Sublimes. Isso sim é que eram montagens. Nos dois sentidos. ;)

Desidéria:
Eh lá... Calma lá com os encómios que qualquer dia o Patife ainda acredita que isso é verdade. Vénias para as suas palavras. ;)

P.S: Mais vénias para a menina. (Não façam é vénias ao Patfie que ele aproveita logo a posição). ;)

Desejo:
Ah... Isto é música para os ouvidos do Patife. Ou neste caso: Isto é pintura expressionista para os olhos do Patife. Agora estou eu a imaginar a menina desejo nesses preparos.

E tens razão. Este calor que atrai decotes e vestidos curtos deixa o Pacheco em êxtase continuado. ;)

TININ:
Ora essa. O Patife está aqui para servir o vosso humor. Bem-vinda.

Patife disse...

Lolita:
Não podia estar mais de acordo. Brilhante análise sociológica. Patife e Pacheco aplaudem em uníssono. Imaginar-vos a todos de cabelo ao vento de ventoinha +e imagem grandiosa. Que acho, na verdade, que é como deveriam ler sempre este canto de patifaria. De ventoinha ligada. ;)

Duda:
Teve Tris, cara. ;)

Calipso:
De mestre foi a berlaitada. A ventoinha foi efeito secundário. ;)

Rui Caldeira:
É coisa de gente exibicionista. Ou parva. O Patife tem ambos. De sobra.

Oral_muito_melhor_que_palavras:
O Patife pensa sempre com duas cabeças, por isso pensa melhor e em tudo. ;)

Pedro:
Ahahahahaha. Vês como já topaste o Patife? Nem mais. Estive fugido umas horas pois sempre que um país fode a minha pátria, como bom patriota que sou, vou logo ajustar contas e devolver em dobro com uma nativa do lado de lá. Mas como foi só 1-0 a espanhola também só teve direito a uma. ;)

Felina:
Eheheh. Os conselhos sensatos não entram na cama com o Patife. O que torna tudo muito mais interessante. Como as ventoinhas. ;)

Malena disse...

Oh homem, tu tem cuidado com a ventoinha, não vá o Pacheco ensarilhar-se na dita e depois é a desgraça! ;))

Ulisses disse...

Em Portugal continental, mais concretamente na Vidigueira, durante a concentração motard, que foi onde isto se passou...

(que eu, já agora, recomendo vivamente, sobretudo a ti, Patife. Podes sempre mandar a boca "Não queres ir ali ver o meu selim?")

:)

Patife disse...

Malena:
Isso seria um grande sarilho. Mas para a ventoinha. Que não ficaria em bom estado no confronto com o Pacheco. ;)

Ulisses:
Ah, as míticas concentrações motard com direito a concursos de miss t-shirt molhada. Muito bem. Nos tempos em que participava nesses grandiosos eventos elas vinham sempre ver o tubo de escape REMUS do Patife. ;)

desejo disse...

Ó Patife, então deste UMA á Espanhola? Estivesse eu no teu lugar, e vingava-me.F**** o "patife" do Pacheco e da (Es)pa(nha)chacha.

Gata Malhada disse...

Continuo a achar que isso é tudo uma síncope literária e que as únicas vezes que realmente consegues torcer o Pacheco é na tua mão.

Pequena Lince disse...

Extraordinário!!!!! Gostei especialmente da parte da ventoinha!!! Vou pedir ao Lince para comprar uma....até ando a trote mais vezes :D

Lili disse...

...tens um sentido de humor fantástico. Eu adoro. Já agora, como tem "evoluido" teu sindrome de tourette ! ;)

Felina disse...

Então os conselhos sensatos não entram na cama não é? e os preservativos entram?

Dora disse...

Depois de ler todo o post, ñão consigo deixar de pensar em...bolas vazias.

Já pensáste em criares um livrosinho com o teu próprio léxico?

Patife disse...

Desejo:
Ahahaha. Mas o Patife é um tipo justo e a favor da igualdade entre as classes. ;)

Gata Malhada:
Já nem isso. A mão é que fica toda torcida quando se digladia com o Pacheco. ;)

Pequena Lince:
Ah... O Patife gosta que ouçam os seus conselhos. Vão ver que apreciam. Linçai-vos meus caros. ;)

Lili:
Finalmente alguém que se preocupa genuinamente com a saúde do Patife. A devida vénia. Tem melhorado bastante o raio do síndrome. Mais uns meses e pareço um daqueles menino de coro que dobram o pijaminha. ;)

Felina:
Ahahahah. Bem apanhada essa. Os preservativos não entram na cama do Patife porque estão lá sempre. Nem saem de lá. Mas nem lhes chamo conselhos sensatos. São obrigações sine qua non para o Pacheco funcionar. ;)

Dora:
Não tinha pensado. Até este momento. Mas já meti em agenda. O que seria do Patife sem o sentido prático da Dora que até já deu ideias para posts como o do "ganda par da mamas". ;)

Dora disse...

E antes de ontem contribuí para um blogger mudar de template. temos de ser uns para os outros :-

Patife disse...

Dora:
O Patife é para umas e outras. ;)

Stargazer disse...

Meu querido Bad Guy,

Agrada-me sobremaneira a tua utilização dos pronomes possessivos. Trazem-me à ideia um "je ne sais quoi" de "belonging" (sem posse, obviamente!). Saber-te "meu" Puro Sangue e eu "tua" querida Stargazer anima-me o coração :)

Let's go out for a ride?

Kiss,

Libertya... disse...

Hum... uma ventoinha... não me parece nada mal, de facto. Uns cabelitos a esvoaçar aqui e ali dão um toque suis géneris à coisa! O ohhhhhh, clap clap clap, bis, acenos e afins são poderosississsissssissssimossssss.... Fiquei sem palavras!

Não te aproximes é muito dela (ventoinha entenda-se)... ou viras gaspacho!

Corset disse...

estou-me a rir às GARGALHADAS!!! Que post genial pah! damn!

Pestinha disse...

Ainda me estou a rir com a cena da ventoinha...

Patife disse...

Stargazer:
Belonging sem posse é assim uma ideia muito simpática. Sinta então o seu coração animado, minha queria Stargazer.

Up we go...

Libertya:
O Patife é cinéfilo e por isso tenta emprestar o brilho cinematográfico a todas as situações. Agora, eu teria pena era da ventoinha se ela se aproximasse do Pacheco. ;)

Corset:
O Patife imaginou as gargalhadas sonoras da Corset por aqui. O Patife gostou e sorriu. As vossas gargalhadas são o bálsamo matinal do Patife. ;)

Pestinha:
Elas ao princípio também se riem. Eeheheh. Mas depois entram no filme e não querem outra coisa. Uma vez, em pleno Inverno, uma disse-me: Então hoje não ligas a ventoinha?

alexandra disse...

Com tanto fodelho não devias ter a corneta d`ouro mas de platina

Patife disse...

Alexandra:
Ahahaah. Também tenho, mas a de Platina está guardada só para ocasiões especiais. ;)

Senhor Geninho disse...

O palco do Coliseu, a meio de um concerto do Tony Carreira, era o lugar ideal!!

Patife disse...

Senhor Geninho:
AHAHAHAHAHAHAHAH. Genial.